Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Quarta-Feira, 1 de Abril de 2020
0
Publicado em 09/03/20, às 09:21

Viralizou

Ninguém podia imaginar que o 8º caso confirmado do coronavírus no Brasil – o 1º do estado do Rio – seria registrado logo em Barra Mansa. A informação foi confirmada pelo secretário estadual de Saúde, Edmar Santos, durante coletiva de imprensa na tarde de quinta, 5, no Rio. A paciente é uma jovem de 27 anos que esteve na Itália, Portugal e Alemanha entre 9 e 23 de fevereiro, tendo visitado especialmente a cidade de Lombardia – considerada área endêmica para a doença. A mulher, que seria servidora da secretaria de Meio Ambiente da prefeitura local, está em casa, isolada socialmente, e as pessoas que viajaram no mesmo voo já foram identificadas e estão sendo monitoradas pela Anvisa. Segundo Edmar Santos, os sintomas da paciente estão brandos e o exame que confirmou a doença foi analisado pela Fiocruz.
A paciente, cujo nome não foi divulgado, deverá permanecer no isolamento até o dia 20 de março. O período é protocolar. O marido (que viajou na companhia da esposa) e demais parentes que tiveram contato com ela também serão acompanhados e monito-rados pela Vigilância Epidemiológica de Barra Mansa. A SES recomendou que os profissionais de saúde de Barra Mansa que atenderam a paciente na Santa Casa também sejam monitorados. “É um caso importado. Não há motivos para pânico”, frisou o secretário de Estado de Saúde.
Os primeiros sintomas, de acordo com Edmar Santos, foram coriza e tosse e surgiram no dia 17 de fevereiro, durante a viagem. No dia 20, a mulher procurou uma unidade de saúde em Portugal, onde recebeu atendimento médico e tomou anti-inflamatórios. No voo de volta ao Brasil ela não apresentou sintomas, mas decidiu procurar a Santa Casa, no domingo, 1º de março, para realização de exames. As amostras da paciente foram analisadas pelo Laboratório Central Noel Nutels (Lacen-RJ) no dia 2 de março e no dia 3 foi emitido um laudo. A con-traprova do exame foi feita pela Fiocruz, que confirmou o resultado do Lacen.
Durante a coletiva de imprensa, Edmar Santos divulgou novo boletim epidemiológico. Porém, horas depois da divulgação, novas notificações foram feitas pelas secretarias de Saúde de Barra do Piraí e de Valença, tornando o documento desatualizado. Há ainda outras notificações feitas entre a noite de quinta e a tarde desta sexta, 6, que devem chegar ao conhecimento da SES. É o caso de duas mulheres que teriam dado entrada no Hospital São João Batista com alguns sintomas da doença. Elas seriam amigas da paciente confirmada de Barra Mansa e teriam tido contato com ela na viagem de retorno. Até o fechamento desta matéria, não havia mais informações sobre notificações.
O boato de que um caso confirmado do coronavírus teria sido registrado no Hospital Unimed foi descartado pelo secretário de Saúde de Volta Redonda, Alfredo Peixoto. Ele, inclusive, garantiu ao aQui que o Hospital São João Batista está preparado para receber os casos suspeitos do Covid-19, podendo inclusive fazer os exames necessários para confirmar ou não a existência do vírus. Alfredo lembrou que os casos suspeitos poderão explodir nos próximos dias devido ao Carnaval. “O quadro poderá piorar considerando o prazo de 14 dias do Carnaval para o aparecimento dos sintomas do coronavírus”, justificou.

Barra Mansa tenta enfrentar a doença
Horas antes da confirmação do caso de Barra Mansa, o prefeito Rodrigo Drable anunciou que a secretaria de Saúde e Vigilância Epidemiológica teria traçado um fluxo de atendimento nos hospitais e unidades de saúde pública e privadas para casos do coronavírus. Este fluxo não inclui a internação, já que o hospital referenciado pelo Estado para atendimento a pacientes que necessitam de internação é o Hospital Regional de Volta Redonda. O fluxo de atendimento, ou plano de ação, foi formalizado durante reunião no auditório da Santa Casa de Barra Mansa, na quarta, 4, com a presença de lideranças em saúde pública e privada do município.
Nesta reunião foi apresentado o número de casos notificados em Barra Mansa até 4 de março: três no total, sendo um deles o da mulher infectada com o novo coronavírus. Um segundo caso é de uma paciente do distrito de Floriano, de 54 anos, que retornou recentemente da Itália, e recebeu atendimento na terça, 3, no Hospital Geral Municipal São Francisco de Assis, em Porto Real. Não há informações sobre o terceiro caso. Todos os pacientes foram orientados a ficar em isolamento domiciliar, submetidos à coleta de secreção respiratória. O material foi encaminhado ao Lacen, e posteriormente à Fiocruz. “Estamos construindo o protocolo municipal de atendimento, seguindo rigorosamente o Plano de Contingência Nacional para Infecção Humana pelo Coronovírus”, comentou a diretora da vigilância em Saúde de Barra Mansa, Juliana de Souza.
Uma informação curiosa é que a assessoria de imprensa da prefeitura de Barra Mansa informou, por meio de aviso de pauta encaminhado à imprensa, que o resultado do exame da paciente que foi atendida na Santa Casa no dia 1º de março – ou seja, a mulher de 27 anos – foi considerado negativo. Horas depois, o Estado confirmou a positividade do exame e à noite o prefeito Rodrigo Drable gravou um vídeo para tranquilizar a população. No vídeo, o prefeito está acompanhado do secretário de Saúde, Sérgio Gomes, e diz que não há motivo para desespero. “O momento não é de desespero, mas de cuidado redobrado, precisamos ficar atentos”, alertou.
Ainda no vídeo, Rodrigo Drable faz um apelo às pessoas que apresentam sintomas como tosse seca, dificuldade respiratória, febre e coriza, que procurem uma unidade de saúde para avaliação e realização de exames. “Eu peço a vocês que participem conosco, estejam engajados a identificarmos os casos de risco, e que se você tiver a gripe ou a suspeita, ou mesmo contato com alguém que veio de fora, procure a Secretaria de Saúde”, finalizou.

Fake news

Assim que o Ministério da Saúde confirmou o primeiro caso de coronavírus no país, um vídeo de um homem se dizendo químico autodidata viralizou nas redes sociais. Nele, o homem coloca em xeque a eficácia do álcool em gel e sugere que as pessoas substituam o produto por vinagre. O Conselho Federal de Química logo desmentiu as informações do vídeo e alertou a população para o perigo das fake news. Desde então, várias mensagens mentirosas circularam pela internet, dando conta até que as autoridades estariam escondendo os números verdadeiros do COVID-19.
Nesta semana, a secretaria de Estado de Saúde resolveu agir. Divulgou nota para todas as secretarias municipais de saúde alertando sobre o risco da infodemia na prevenção ao coronavírus. “A disseminação de fake news é a principal ameaça do momento. Ela dificulta a comunicação de orientações de prevenção e tratamento dos pacientes”, alerta a SES, que aproveitou a mesma nota para esclarecer a diferença entre casos notificados e casos suspeitos. A confusão, pasmem, acontece até mesmo entre agentes públicos.
“Nesse momento, é muito importante ter clareza sobre como ocorre o contágio do coronavírus, os cuidados para se prevenir e quando procurar o serviço de saúde. Então, se as informações forem confusas ou falsas, a atuação de contingenciamento dos órgãos responsáveis fica comprometida, e há riscos para a população. Todos temos responsabilidade ao compartilhar qualquer conteúdo. Os perigos das fake news são reais”, alerta Edmar Santos, secretário de Estado de Saúde. Em nota, Edmar recomenda que, ao receber mensagens, fotos e vídeos em redes sociais, avalie a fonte e confirme a veracidade dos dados antes de encaminhá-los. “Os órgãos e instituições oficiais são as fontes mais indicadas para esclarecer dúvidas sobre coronavírus, como as secretarias de Saúde”, ressaltou.
Sobre a diferença entre casos notificados e suspeitos, Edmar Santos explica que os notificados pelas unidades de saúde ou secretarias municipais ainda não podem ser, necessariamente, considerados suspeitos. A explicação é bastante simples: estes casos dependem da avaliação de critérios definidos pelas autoridades sanitárias. Já os casos considerados suspeitos e divulgados pela SES ou pelo Ministério da Saúde já passaram por avaliações detalhadas e são confirmados ou descartados com base em análises laboratoriais.
Outra informação importante é que a testagem laboratorial de cada suspeita do coronavírus ocorre no Laboratório Central de Saúde Pública Noel Nutels- LACEN-RJ, que realiza exames para vírus respiratórios comuns. Diante de um resultado negativo para esses vírus, a amostra segue para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que analisa a compatibilidade para outros vírus, como o da dengue ou de outras arboviroses, por exemplo.
De acordo com Edmar Santos, a população pode ajudar tomando a vacina contra o Sarampo e eliminando os criadouros de mosquitos. “Havendo uma eventual epidemia pelo coronavírus é importante não ter uma sobreposição com outras epidemias. Por isto se alguém quer ajudar, por favor, vão se vacinar contra o sarampo. Combatam os criadouros de mosquitos, com isso evitará casos de sarampo, Zika, Dengue, Chikungynia e Febre Amarela urbana”, garantiu.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.