Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Quinta-Feira, 23 de Janeiro de 2020
0
Publicado em 30/12/19, às 10:26

Retrospectiva 2019

Que ano!

2019 não chegou de mansinho. Parecia um furacão, levantando muita poeira por onde passou. Foi um ano em que a natureza se enfureceu por causa da irresponsável ação humana. Os quatro elementos da natureza fizeram vítimas. Sim, as grandes tragédias do ano vieram pelo fogo, pela terra, pelo ar e pela água. Não soubemos respeitar a mãe natureza! O rompimento da barragem do Feijão, em Brumadinho, deixou um rastro de lama no Brasil. Mais de 250 mortos e uma sensação de impunidade que nasceu em Mariana.

2019 não chegou de mansinho. Parecia um furacão, levantando muita poeira por onde passou. Foi um ano em que a natureza se enfureceu por causa da irresponsável ação humana. Os quatro elementos da natureza fizeram vítimas. Sim, as grandes tragédias do ano vieram pelo fogo, pela terra, pelo ar e pela água. Não soubemos respeitar a mãe natureza! O rompimento da barragem do Feijão, em Brumadinho, deixou um rastro de lama no Brasil. Mais de 250 mortos e uma sensação de impunidade que nasceu em Mariana.

Enquanto Minas Gerais chorava seus mortos pela fúria da terra e da água, o fogo queimava os sonhos de 10 meninos que dormiam no Ninho do Urubu, no Rio. Volta Redonda, enlutada, perdeu Arthur Vinícius, um jovem de 15 anos que dormia no alojamento do Flamengo.

Este ano não foi igual ao que já passou. Nunca é. Cada mês vivido já dava uma retrospectiva e tanto. Por aQui também teve história e o maior tempero das histórias daQui, certamente, foi a política. O prefeito Samuca Silva soube fazer política trazendo uma máxima histórica para dentro do seu governo: ele tornou parceiros (quase) todos os seus inimigos. A estratégia deu certo até agora, mas se vai falhar daqui pra frente, só a retrospectiva de 2020 pra dizer. Enquanto isto não acontece, separamos os principais fatos que marcaram a cobertura jornalística do aQui em 2019. Os registros vão além da política. Confira!

Por Pollyanna Xavier

CIDADE

O prefeito Samuca Silva começou bem o ano ao reabrir as portas do Restaurante Popular de Volta Redonda. Foi na primeira semana de janeiro e desde então as refeições são vendidas a preços bem populares: R$ 3,50 o almoço e R$ 2,00 o café da manhã. O projeto do Restaurante Popular era do governo estadual, que mandou fechar todos as unidades localizadas no estado entre 2013 e 2015. Muitos estão até hoje em estado de completo abandono, como o de Barra Mansa, que Rodrigo Drable pretende reabrir em janeiro. O de Volta Redonda foi reaberto graças a Samuca, que o mantém para a alegria de quem não pode pagar R$ 15 em um marmitex.

Em janeiro, os vereadores de Volta Redonda mudaram a lei que previa a cobrança da taxa de iluminação pública e, por conta disto, a prefeitura deixou de arrecadar R$ 500 mil mensais. Com a mudança, os usuários que consomem abaixo de 600 Kw (ou seja, 90% da população) ficaram isentos da taxa. A mudança, claro, não agradou ao Palácio 17 de Julho e Samuca prometeu entrar com uma ação de improbidade administrativa contra os vereadores (o que não aconteceu).

No dia 16 de janeiro, um temporal atingiu Volta Redonda e Barra Mansa, derrubando árvores, destruindo telhados e provocando enchentes em vários pontos das duas cidades. Pra variar, a população ficou sem energia elétrica por até 10 horas. O cenário deixado pelo temporal lembrava o da passagem de um furacão: ruas sujas, galhos e telhas quebradas e espalhados pra todo lado, árvores no chão. Felizmente ninguém morreu.

Comerciantes do início da Avenida Amaral Peixoto passaram por maus bocados em março, devido às fortes chuvas que caíram em Volta Redonda. A água invadiu as lojas e o prejuízo foi alto. Especialistas ouvidos pelo aQui garantiram que a ocupação ao longo da Rodovia dos Metalúrgicos (leia-se Park Sul, Spani, Walmart e outros comércios) sobrecarregou o Córrego São Geraldo. A chuva forte provocou a inundação na Avenida Amaral Peixoto.

Uma obra particular de construção de um novo loteamento, da família Campos Pereira, uma das mais ricas de Volta Redonda, pode ter acabado com uma nascente ao longo da Rodovia dos Metalúrgicos. Foram várias as reportagens que o aQui publicou em 2019, com informações de moradores antigos e técnicos ligados à área ambiental confirmando que no local do empreendimento havia a nascente. Os responsáveis pelo licenciamento e pela obra negaram a existência dos cursos d’água – todos aterrados por conta das obras. Meses depois o Inea reconheceu o crime ambiental e admitiu o assoreamento de uma lagoa, de uma nascente e a canalização de um rio no trecho da obra.

No dia 25 de abril, logo após a Semana Santa, a secretaria de Transporte e Mobilidade Urbana de Volta Redonda intimou os técnicos da Terraplan – empresa que tocou as obras do clã Campos Pereira na Rodovia dos Metalúrgicos – e suspendeu os trabalhos até que fosse apresentado um plano de ação para a travessia do cruzamento na entrada do Jardim Belvedere. A suspensão aconteceu após o asfalto desmoronar. 

Uma estrutura de ferro, mais parecida com uma enorme aranha, foi instalada nas paredes do Residencial Girassol – um condomínio do Programa ‘Minha Casa, Minha Vida’, no  Jardim Cidade do Aço, em Volta Redonda. A gambiarra foi colocada para dar sustentação ao prédio de oito apartamentos construído pela Construtora Casaviva, aprovado pela Caixa Econômica Federal. Assustados com a possibilidade de o prédio vir a baixo, os moradores o apelidaram de “muzema do aço”, em alusão ao edifício que desabou no Rio, em abril deste ano, matando dezenas de pessoas.

A secretaria de Transportes e Mobilidade Urbana conseguiu, em novembro, concluir a implantação de várias mudanças no trânsito da cidade do aço. A maioria deu certo, outras nem tanto. Os principais bairros afetados foram Vila, Aterrado, Niterói e Retiro.

Samuca prometeu para dezembro a implantação do VR Parking Digital – o novo sistema de estacionamento rotativo de Volta Redonda, que vai aumentar de 1890 vagas para 5.393. O início da operação está previsto para o próximo dia 6 de janeiro. 

ECONOMIA

Em fevereiro, a ArcelorMittal de Barra Mansa – antiga SBM – anunciou que fecharia sua aciaria temporariamente. A notícia, claro, causou indignação aos dirigentes do Sindicato dos Metalúrgicos, que não acreditaram que o fechamento seria por apenas um período de tempo. Houve preocupação e protesto quanto à manutenção dos empregos. A ideia era fechar em fevereiro e reabrir em julho, coisa que não aconteceu. 

No finalzinho de abril, Samuca Silva anunciou a realização do 1º Mutirão do Emprego de Volta Redonda. O evento foi na Ilha São João e levou milhares, mas milhares mesmo, de pessoas desempregadas em busca de uma oportunidade. Empresas como CSN, CBSI, Drogaria Retiro, Floresta e Cimbal são algumas das que captaram currículos para o mutirão.

A Peugeot pode deixar de fabricar carros em Porto Real. A informação foi publicada pelo aQui em julho, com exclusividade. Os modelos da marca Peugeot passarão a ser montados na Argentina e a fábrica do Sul Fluminense vai montar apenas os carros da marca Citroën. A marca, claro, negou a mudança, mas, como diz a máxima, quem viver verá!

POLÍTICA

Com exclusividade, o aQui divulgou, em janeiro deste ano que Samuca Silva estava de mudança para o PSDB, legenda do governador de São Paulo, João Dória. A filiação aconteceu no dia 12 de fevereiro com a presença do governador paulista. A vida como tucano, porém, não durou muito tempo. É que Samuca pretende deixar o ninho e ir de mala e cuia para o PSC, do governador Wilson Witzel. A troca de partido deverá ser oficializada às vésperas do fim do prazo de desincompatibilização para as eleições de 2020, justamente para que o PSDB não tenha tempo de lançar um nome para concorrer à sucessão de Samuca.

Thiago Martins, que se destacou em Volta Redonda no comando da Associação dos Aposentados e Pensionistas (AAP-VR), assumiu, em janeiro, o cargo de diretor administrativo e financeiro da Loterj. O convite partiu do secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e Geração de Emprego e Renda, Lucas Tristão.

Ainda em janeiro, o vereador Granato (que está em seu quinto mandato) teria decidido abandonar a política, desistindo de tentar a reeleição ou mesmo de tentar se eleger prefeito. A informação foi repassada ao aQui com exclusividade por uma fonte do jornal, que explicou que a intenção de Granato seria a de preparar seu irmão, Geraldo Júnior Granato, para sucedê-lo. A estratégia está mais viva do que nunca!  

O prefeito Samuca Silva demitiu, em janeiro, 300 cargos comissionados da prefeitura de Volta Redonda. Os CCs eram ligados ao ex-prefeito Neto. Foi a maior limpa dos ‘netistas’ promovida no governo Samuca.

No final de janeiro, o ex-prefeito Neto teve a desagradável surpresa de ser processado pelo MP por conta do contrato firmado com a empresa Locanty quando ainda era prefeito. Em decisão de tutela antecipada, o MP conseguiu o bloqueio de R$ 9,5 milhões das contas de Neto, do ex-procurador do município e da própria Locanty. Para o MP, todos erraram na licitação que culminou com a contratação da empresa. Ao invés de usar o pregão presencial, como foi feito, Neto deveria ter feito uma concorrência pública.

Em fevereiro, o aQui noticiou que Volta Redonda ganharia uma secretaria Extraordinária de Ordem Pública, para coordenar as ações de segurança pública e ser interlocutora com as polícias Civil, Militar, Federal e Rodoviária Federal. Tudo por conta das maluquices geradas pelo então comandante da Guarda Municipal do governo Samuca, Paulo Dalboni.

O TRF-2 condenou os deputados estaduais do MDB, Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi. A sentença é de março e coube recurso. Picciani, ex-presidente da Alerj, recebeu a pena mais longa, de 21 anos, além de uma multa de R$ 11 milhões. Albertassi foi condenado a 13 anos e quatro meses de prisão e foi multado em R$ 6 milhões. Paulo Melo, único que não foi condenado por lavagem de dinheiro, recebeu uma pena de 12 anos e 10 meses e multa de R$ 7 milhões. Dos três, apenas Albertassi continua preso.

Os problemas envolvendo o transporte coletivo de Volta Redonda se arrastaram durante todo o ano de 2019. Começou em março, quando Samuca deu uma dura nos ônibus da Viação Sul Fluminense e pediu a apreensão de 11 deles por uma série de irregularidades. Por decreto, a prefeitura acabou cassando a concessão que a Sul Fluminense detinha para explorar 33 linhas municipais, anunciando que iria abrir uma concorrência pública para contratar uma nova empresa. A licitação deveria ter ocorrido em setembro, mas o caso foi parar na Justiça e o processo licitatório acabou suspenso por determinação do TCE (Tribunal de Contas do Estado).

Terminou no dia 30 de abril o prazo para que Samuca Silva demitisse os cerca de três mil funcionários da prefeitura em regime de RPA e contratasse novos por meio de concurso público. A decisão fez parte do Termo de Ajustamento de Condutas que a prefeitura assinou com o Ministério Público do Trabalho, justamente para evitar a precarização. Samuca não conseguiu cumprir o prazo e as demissões ocorreram aos poucos, sem pegar os funcionários de surpresa.

Em julho, Samuca se disse surpreso ao saber que Antônio Furtado poderia ser seu adversário político nas eleições para prefeito, em 2020. “Recentemente eu estive em Brasília e conversei sobre política com o deputado, que me disse não ser candidato”, disparou. “Estou trabalhando para ajudar quem me ajuda e atrapalhar quem me atrapalha”, emendou. Para amenizar as polêmicas e dar tempo ao tempo, Samuca se esquivou e considerou ser muito cedo para falar de eleição “Isto atrapalha governar”, avisou.

Ainda em julho, Samuca foi à sede do MPE, no Rio, para entregar uma pasta de documentos, tudo devidamente protocolado, contendo todos os contratos da prefeitura de Volta Redonda para que os promotores fiscalizassem um por um. A medida foi necessária porque vereadores da oposição aventaram que o governo estaria mergulhado em irregularidades, especialmente na contratação da OS que administra o Hospital do Retiro.

Caciques do PSDB e DEM negociaram, em agosto, uma fusão das duas legendas por conta do fim das coligações partidárias, visando a eleição de 2020. Se vingar, a fusão pode colocar Neto e Samuca no mesmo palanque. Pura lorota, diriam os entendidos.  

Em agosto, Samuca criou um Grupo de Notáveis, formado por ex-adversários para derrotar o grupo de Neto nas eleições de 2020. Ele aproveitou e deu uma pasta ou uma coordenadoria para o ex-deputado estadual Nelson Gonçalves, a ex-vereadora América Tereza, o empresário Rogério Loureiro e até o ex-prefeito Paulo Baltazar.

Ao ser convidada para fazer parte do governo Samuca, América Tereza não escondeu a felicidade. Aceitou e justificou o convite dizendo que quer reconquistar sua cadeira na Câmara de Volta Redonda. América é ex-aliada de Neto e avisou que iria se abrigar no ninho tucano para se lançar como candidata a vereadora pelo PSDB. No governo Samuca, Tereza assumiu a titularidade da pasta que ajudou a criar quando vereadora: a secretaria de Políticas para as Mulheres, Idosos e Direitos Humanos.

Em setembro, novas mudanças no governo Samuca culminaram com a saída de Samuquinha – fiel escudeiro do prefeito – da secretaria de Comunicação Social. Ele foi substituído pelo marqueteiro paulista Gustavo Pinchiaro Santos, o Guga. Samuquinha voltou às antigas funções, de assessor político.

Em novembro, o ex-prefeito Neto fez as contas e garantiu que em 2020 vai eleger seis vereadores. A promessa foi feita quando visitou a redação do aQui e afirmou que seu grupo político será formado por apenas três partidos (PTB, DEM e um terceiro com quem ainda está conversando). Em cada grupo, garantiu Neto, serão eleitos dois vereadores.

Na semana de pagar a segunda parcela do décimo terceiro salário dos servidores, o Tribunal de Justiça do Estado do Rio mandou bloquear 100% do dinheiro que estava depositado em todas as contas da prefeitura de Volta Redonda. Os recursos, segundo o TJ, seriam destinados para o pagamento de dívidas do Palácio 17 de Julho referentes a desapropriações de terras para a construção do Hospital Regional, contraídas em 2011, “durante a administração passada”. A dívida era de R$ 1,2; milhões, mesmo assim, o TJ mandou bloquear tudo. A decisão, claro, causou correria no Palácio 17 de Julho. A segunda parcela do 13º só foi quitada na segunda, 23. 

GERAL

O editor do aQui, Luiz Alfredo Vieira, recebeu, no dia 9 de julho, uma moção de aplausos do vereador Paulo Conrado. A homenagem foi feita durante sessão solene na Câmara de Volta Redonda, em função da passagem pelo aniversário de 43 anos do antigo Jornal Opção. 

Em janeiro, o Dnit publicou o extrato do termo de municipalização de 6km da BR-393, no trecho entre o Jardim Amália e o bairro Santa Inês – na divisa com Barra Mansa. Depois da municipalização, o prefeito Samuca mandou pintar a rodovia, criando, além da sinalização horizontal, cerca de 400 vagas de estacionamento.

Ataíde de Oliveira, presidente do Sindicato dos Servidores de Volta Redonda, foi destituído do cargo no dia 12 de fevereiro. Ele foi acusado de mudar o estatuto para permanecer comandando o órgão.

Em fevereiro, logo após a tragédia que atingiu o Ninho do Urubu – cujo incêndio matou 10 jovens –, o aQui fez um alerta, infelizmente ignorado pelas autoridades: o portão que serve de saída de emergência para o Cine 9 de Abril, na Vila, está trancado há pelo menos 5 anos, e continua até hoje. O cinema, um dos maiores do Sul Fluminense, tem capacidade para 1.500 pessoas sentadas e possui uma única saída de emergência, que vive trancada. Por ela ninguém vai conseguir escapar em caso de um incêndio.

Em maio, professores, estudantes e funcionários públicos de diversas cidades ocuparam as principais ruas da cidade do aço, em protesto contra o corte de 30% nas verbas das universidades federais. A manifestação foi liderada pelo Sindicato dos Profissionais da Educação (Sepe–VR).

Em outubro, ocorreram as eleições para eleger os novos conselheiros tutelares do quadriênio 2020-2014. As eleições aconteceram de forma simultânea em todas as cidades do estado. Em Barra Mansa, candidatos eleitos foram acusados de receber apoio da Igreja e da Câmara de Vereadores.

Volta Redonda foi destaque na Times Square, nos EUA. O feito aconteceu no dia 6 de outubro, e foi noticiado pelo aQui com exclusividade. Enquanto muita gente achou que era fake news, o nome de Volta Redonda estava visível nos painéis eletrônicos da avenida mais badalada de Nova York. Tudo começou por conta de uma campanha desenvolvida pela Stone Fintech, empresa de serviços financeiros, que em 2019 comemorou um ano da abertura de capital na Nasdaq, a bolsa de valores mais importante do mundo. Ao destacar o nome da cidade do aço, a Stone procurou desenvolver e reforçar que o Brasil vai muito além de capitais. E, claro, mostrar a importância dos empreendedores locais. Chique, né?!

Em março foi anunciado pela Cúria Diocesana o nome do novo bispo da Igreja Católica: D. Luiz Henrique da Silva Brito, auxiliar da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro. Ele assumiu o lugar de D. Biasin, que se aposentou, mas que continua morando na cidade do aço. O novo bispo, que não deve ter medo de fantasmas, tomou posse no dia 11 de maio, na Igreja Nossa Senhora da Conceição, no Conforto.

MEIO AMBIENTE

Em março, durante uma audiência pública, o secretário de Meio Ambiente de Volta Redonda, Maurício Ruiz, anunciou que a cidade do aço ganharia uma reserva ambiental no entorno do Parque Municipal Fazenda Santa Cecília do Ingá, na região do bairro Santa Cruz. A área entraria na categoria de Reserva de Vida Silvestre (Revis) e se chamaria Reserva do Puris, em homenagem aos habitantes originais da região: os índios Puris. Seria uma boa, mas, infelizmente, ela não saiu do papel.

A Federação Nacional dos Estudantes de Direito (Fened) se aproveitou do incêndio na Amazônia – noticiado pela grade imprensa – para convocar moradores de Volta Redonda para uma manifestação em favor da Floresta da Cicuta. O ato aconteceu no dia 7 de setembro, mas pouquíssimas pessoas participaram. Era fogo de palha.

SAÚDE

Em março, o Hospital São João Batista – um dos maiores da região e que recebe atendimento de urgência da maior parte dos acidentados da Via Dutra (trecho de Barra Mansa a Piraí) – passou a ter plantão administrativo noturno. A novidade foi implantada pelo prefeito Samuca, devido à complexidade da demanda do hospital.

Volta Redonda registrou em maio a primeira morte por H1N1. A vítima foi um homem de 40 anos, que tinha cardiopatia e outras patologias. Além deste óbito, outras 30 notificações da doença, com três casos confirmados, foram registradas entre janeiro a junho.

A União Hospitalar Gratuita (UHG), por meio da sua fundação (FUHG), entrou com um pedido de impugnação do edital de chamamento público para a contratação de uma OS para gerenciar o Hospital São João Batista. O pedido foi feito em agosto à Comissão Especial de Licitação da própria prefeitura de Volta Redonda, mas não foi pra frente. A Associação Filantrópica Nova Esperança (AFNE), de Campos dos Goytacazes, assumiu no dia 1º de dezembro, a direção do HSJB.

Em novembro, o prefeito Samuca prometeu que irá reinaugurar o Hospital Santa Margarida em janeiro. Na verdade, a promessa é de colocar para funcionar apenas os quatro primeiros andares da unidade. Vale lembrar que dentro do Hospital terá uma Clínica para o Servidor, que irá atender exclusivamente os funcionários da prefeitura. Anotado!

POLÍCIA / SEGURANÇA PÚBLICA

 No dia 21 de janeiro, pela primeira vez na história do 28º Batalhão de Polícia Militar de Volta Redonda, uma mulher assumiu o comando da corporação. Trata-se da tenente coronel Luciana Rodrigues Oliveira. Com fama de inteligente, a oficial pisou feio na bola ao criticar o Jornal Diário do Vale, em maio, por conta de uma reportagem que mostrava as estatísticas dos crime praticados em Volta Redonda. Os dados eram oficiais e foram disponibilizados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP). A tenente-coronel chegou ao ponto de dizer que o jornal diário era inimigo da PM, por ter feito a reportagem. Em tempos de fake news, quem publica informações oficiais deveria ser condecorado, e não rechaçado.

Em fevereiro, o presidente da Aciap-VR, Joselito Magalhães, e o comerciante Rafael de Oliveira Andrade – dono de duas revendedoras de gás em Volta Redonda – protagonizaram uma briga que virou caso de polícia. Tudo começou com um incêndio em um dos depósitos de Rafael, que culminou na perda de dois carros do comerciante. No mesmo dia, Rafael registrou um boletim de ocorrência na 93ª DP acusando Joselito de estar por trás do incidente. Os dois disputam pontos de venda de gás há algum tempo e são desafetos. Um laudo comprovou que o incêndio foi criminoso, mas Joselito negou participação. O caso continua sob investigação da polícia.

Em março, as forças de segurança de Barra Mansa – Guarda Municipal e Polícias Civil e Militar – agiram rápido e identificaram os suspeitos de serem os autores de um vídeo que viralizou nas redes sociais com ‘ameaças terroristas’ ao campus do Centro Universitário de Barra Mansa. Dois deles eram alunos da instituição e foram ouvidos pela Polícia.

Em maio, Samuca e o deputado federal Antônio Furtado (que já foi delegado titular de Volta Redonda) anunciaram a criação de uma Delegacia de Homicídios para atender o Sul Fluminense. A nova unidade policial deve ser construída no Retiro. Por enquanto, tudo é um sonho e os crimes continuam subindo nas estatísticas.

Em junho, uma decisão do ministro do STF Edson Fachin fez com que mais de 400 menores infratores, que cumprem medidas socioeducativas em unidades do Degase, fossem soltos. Em Volta Redonda, 77 internos foram liberados, o que equivale a 42,7% do total de internos do Degase. Hoje, a unidade abriga cerca de 150 internos, com direito a protestos e rebeliões, como a que ocorreu em 11 de dezembro.

Volta Redonda teve o 1º semestre mais violento dos últimos 16 anos. A informação é do ISP, que registrou 51 assassinatos nos seis primeiros meses de 2019, contra 45 no mesmo período de 2009. Tem mais. 2019 foi o mais violento dos últimos cinco anos em Volta Redonda. A informação também do Instituto de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro – ISP-RJ, que registrou, de janeiro a outubro, 72 assassinatos contra 56 no mesmo período de 2018. Os roubos aumentaram 27% e os crimes violentos letais intencionais cresceram 22%. Os roubos de rua aumentaram 4,7%, e o roubo de carga quase que dobrou, passando de quatro para sete ocorrências/mês. Os dados foram divulgados em novembro.

Em setembro, oito policiais militares do 28º BPM foram denunciados pelo Ministério Público estadual por associação criminosa e corrupção passiva. Os policiais foram afastados de suas funções e respondem administrativa e criminalmente pelas acusações. As denúncias contra os nove tiveram origem nas operações Katitula (2016) e Camará (2017), ambas deflagradas pela Polícia Federal.

O prefeito Samuca Silva precisou recorrer à segurança particular por conta de ameaças de morte sofrida depois que resolveu mexer na questão dos ônibus da Viação Sul Fluminense. Samuca chegou a registrar um Boletim de Ocorrência na Delegacia por conta das ameaças.

Três menores abrigados da Fundação Beatriz Gama (FBG), em Volta Redonda – um rapaz  e duas meninas – teriam sido flagrados, em julho, por funcionários da entidade mantendo relações sexuais. Ao ser flagrado e informado que poderia ser punido – além de ter o nome inscrito no livro de ocorrências da FBG –, o jovem se revoltou e, em um acesso de fúria, teria quebrado janelas, móveis e outros objetos.

Em outubro, o Estado mudou a titularidade da 93ª DP. Assumiu a unidade policial, o delegado Wellington Parreira Vieira.

O médico voltarredondense Marcelo Mendes foi absolvido, em novembro, no processo de assédio sexual que respondia na Quarta Câmara do Tribunal de Justiça do Estado do Rio. Marcelo também foi absolvido pelo Conselho Regional de Medicina. Foi mais uma vítima da irresponsabilidade dos internautas que acham que podem escrever o que quiserem nas redes sociais. Não podem.

Em maio, a tenente Suellen Bazoni Seródio foi afastada da PM por suspeita de envolvimento com traficantes e bicheiros de Volta Redonda. Suellen chegou a comandar interinamente a 2ª Cia do 28ºBPM, em Barra Mansa. A investigação contra a tenente segue em sigilo pelo comando do Batalhão.

REGIÃO/ ESTADO

Em janeiro, a secretaria estadual de Fazenda do Rio de Janeiro (Sefaz) deflagrou a operação Triângulo do Aço, no Sul Fluminense, para combater a sonegação das empresas siderúrgicas que possuem benefícios fiscais. Mais de 20 empresas foram visitadas e duas delas impedidas de continuar as atividades. A Sefaz não divulgou o nome das empresas e nem o saldo da operação. Estranho é que ao longo do ano não se falou mais no assunto.

Uma equipe de resgatistas voluntários da Defesa Civil de Resende (RJ) viajou até Brumadinho (MG), para ajudar no resgate às vítimas do desastre ambiental da barragem Mina Córrego do Feijão. A Mina pertence à mineradora Vale e se rompeu no início da tarde do dia 25 de janeiro, matando centenas de pessoas. Até hoje, 11 meses depois da tragédia, alguns corpos ainda não foram encontrados. O grupo de voluntários é formado por bombeiros civis e ficou na região de Brumadinho por aproximadamente uma semana.

Em abril, o aQui descobriu (e publicou, claro) a existência de um esquema que desviou milhões dos cofres da Ternium (antiga CSA) nos últimos três anos. Operado por engenheiros, supervisores, técnicos e até gerentes, o esquema consistia no superfaturamento de obras dentro da usina de Santa Cruz, com desvios que ultrapassaram R$ 40 milhões. A notícia irritou muita gente grande dentro da antiga CSA, que procurou o jornal exigindo saber quem era a fonte.

O Centro Universitário de Barra Mansa (UBM) foi despejado do Campus Cicuta por falta de pagamento. O imóvel pertence à CBS e o UBM estaria inadimplente com o valor do aluguel acordado. Em nota, o UBM informou que o campus Cicuta não funcionará em 2020 e todos os cursos serão oferecidos no Campus Barra Mansa.

No dia 2 de maio, um helicóptero da baixada fluminense pousou em Porto Real com quatro homens a bordo que queriam falar com o prefeito Ailton Marques. Um deles estava armado e o caso foi parar na delegacia. Dias depois, a explicação era de que os homens estavam cobrando uma dívida de campanha, contraída no governo do ex-prefeito Jorge Serfiotis, no valor de R$ 1 milhão. O grupo estaria ameaçando Ailton, que recusou fazer o pagamento. Dentre os quatro, está o filho do ex-prefeito Serfiotis, Adriano Serfiotis. Ele chegou a ser preso. 

O Ministério Público do Estado ajuizou, em maio, uma Ação Civil Pública contra o ex-governador Pezão, por improbidade administrativa. Além de Pezão, o ex-superintendente da diretoria de Competitividade da Codin, Edson Valadão, e a empresa Litográfica Valença também respondem na ação. Segundo o MP, a empresa teria se beneficiado da concessão de benefício fiscal ilegal por parte de Pezão com o aval da Codin.

BARRA MANSA

No início de abril, um temporal atingiu Volta Redonda e Barra Mansa e levou os prefeitos Samuca e Rodrigo Drable, respectivamente, a decretarem estado de Emergência em seus municípios. A chuva caiu na madrugada do dia 7 de abril, encheu os córregos Brandão, Secades e o Rio Barra Mansa, causando estragos em vários pontos das duas cidades. Os dois prefeitos calçaram botas e foram para as ruas avaliar os prejuízos. Choveu em algumas horas 170 milímetros, classificando o temporal como a pior chuva da história dos dois município. Em Barra Mansa, todos os bairros foram afetados e registraram algum tipo de ocorrência. Felizmente não houve mortes.

No início de abril, uma foto do prefeito Rodrigo Drable foi postada nas redes sociais e deu o que falar. Nela, Rodrigo aparece calçado de botas, percorrendo ruas de Barra Mansa enlameadas pelas chuvas que atingiram a cidade. A foto teria sido postada pelo deputado estadual Marcelo Cabeleireiro e veio acompanhada de várias críticas ao prefeito. Muito nervoso e gaguejando bastante, o parlamentar negou que tenha sido o autor da postagem e jurou que suas redes sociais tinham sido hackeadas.

Barra Mansa ganhou, em maio, um novo bairro: trata-se de boa parte da (Floresta da) Cicuta. A novidade foi regulamentada pelo Decreto 9533, de 27 de maio.

Em julho, o prefeito Rodrigo Drable inaugurou a Fábrica de Óculos do município. A unidade funciona no pátio de prefeitura e tem capacidade para montagem de 50 óculos por dia. O ex-prefeito Neto foi convidado para a inauguração.

Falta menos de um mês para o prefeito de Barra Mansa, Rodrigo Drable, inaugurar o Viaduto da Barbará. Pelo menos essa foi a promessa feita por ele em setembro: que no dia 15 de janeiro de 2020 o viaduto seria inaugurado. A obra está prevista num pacote com outras nove obras importantes que Rodrigo Drable prometeu para Barra Mansa, dentre elas a retirada do famigerado pátio de manobras do trem do centro da cidade e a revitalização da Avenida Presidente Kennedy. Será?

Em junho, o prefeito Rodrigo Drable anunciou que teria mudado de legenda, saindo do MDB para se filiar ao PSC, do governador Wilson Witzel. Pouco tempo depois, soube-se que Rodrigo Drable nunca se filiou ao MDB. Ao aQui, ele confessou que está filiado ao DEM desde outubro de 2018 e que sua ficha partidária foi abonada pelo poderoso presidente da Câmara, deputado federal Rodrigo Maia.

Maria Julia Fonseca de Oliveira, de apenas 16 anos, foi assassinada dentro de casa, no Piteiras, por Maicon Douglas dos Santos Nascimento, o ‘Maikinho’, de 22 anos. Seu corpo foi encontrado pela mãe, caído na cozinha. O assassino foi preso dois meses depois, em Angra. Ele era vizinho da vítima e responde por latrocínio. O crime chocou Barra Mansa e causou comoção.

Jackson Emerick se lançou, em novembro, como pré-candidato a prefeito de Barra Mansa e garante que pode derrotar Rodrigo Drable.

Cinco vereadores da oposição de Barra Mansa foram denunciados por Rodrigo Drable, por terem pedido vantagens para aprovar a mensagem do Executivo permitindo remanejar 50% do orçamento. O caso aconteceu em agosto.

Duas mulheres foram agredidas em Barra Mansa com utensílios de cozinha. A primeira apanhou do marido, que usou um soquete de alho. As agressões foram tão violentas que o rosto da vítima ficou desfigurado. A segunda foi agredida com uma panela de pressão e infelizmente não resistiu. Os casos aconteceram em fevereiro e agosto, respectivamente.

Em agosto, a Polícia de Barra Mansa deu início às investigações sobre algumas ações criminosas que estariam sendo orquestradas por milicianos interessados em tomar o poder no município. A informação, na época, era de que milicianos de Angra dos Reis estariam se preparando para ingressar na política de Barra Mansa com vistas às eleições de 2020.

Guto Nader assumiu, em maio, a gestão do futebol de Barra Mansa. Ele foi presidente e dono do extinto Fênix 2005 F.C.

LUTO

Em Julho, o médico ginecologista e obstetra José Carlos Franco Faria nos deixou. Ele foi secretário de saúde de Barra Mansa e atuou na Santa Casa de Misericórdia desde 1957.  O médico morreu no dia 8, aos 86 anos, vítima de um câncer.

No dia 8 de fevereiro, um incêndio de grandes proporções atingiu o Centro de Treinamento do Flamengo (Ninho do Urubu), na Barra da Tijuca, matando 10 garotos, dentre eles o voltarredondense Arthur Vinícius de Barros Silva Freitas, de 14 anos. O fogo deixou ainda três feridos, um deles em estado grave. Arthur atuava como zagueiro há três anos nas categorias de base do Flamengo. Ele morava com a mãe, a tia e uma prima no Volta Grande II, em Volta Redonda. O jovem foi sepultado no mesmo dia que completaria 15 anos. Em dezembro, a Justiça determinou que o Flamengo indenizasse as famílias dos meninos mortos, mas, pasmem, o time recorreu. 

Este ano, o fotógrafo Antônio Calino, um dos grandes nomes da fotografia em Volta Redonda e região, nos deixou. Foi no dia 11 de março, vítima de uma pneumonia.

A professora Flávia Sampaio, ex-secretária de Educação de Barra Mansa, morreu no dia 21 de março, vítima de um câncer. Flávia tinha 47 anos e foi a primeira titular na pasta da Educação no governo Rodrigo Drable.

Morreu na madrugada de 30 de maio o ex-presidente da OAB-VR, Luiz Orlando Gomes, Coelho, 76 anos. Ele sofreu uma parada cardíaca em casa. Luiz Orlando deixou viúva, filhos e netos.

O desembargador Antônio Carlos dos Santos Bittencourt, 69, morreu na madrugada do dia 19 de agosto, em Campos do Jordão (SP). A causa da morte foi insuficiência respiratória aguda. Bittencourt foi juiz titular da 2ª Vara Criminal de Volta Redonda por mais de 25 anos.

No dia 19 de novembro morreu a mãe do ex-prefeito Gotardo Netto, D. Wilma Lopes da Silva Neto. O prefeito Samuca decretou luto oficial por três dias pelo falecimento de D. Wilma.

O Voltaço perdeu um dos seus maiores benfeitores e um dos mais apaixonados torcedores, o dentista Hamilton Periard, aos 92 anos. Ex-conselheiro e ex-diretor das divisões de base do Voltaço, Hamilton morreu no dia 5 de junho, de falência múltipla de órgãos.

Morreu no dia 1º de maio o engenheiro Alberto Flores, presidente do Conselho Consultivo da Associação dos Aposentados e Pensionistas de Volta Redonda. Alberto era associado da AAP-VR há quase 30 anos e era considerado uma das maiores autoridades da língua Esperanto no país. O engenheiro faria 96 anos em junho.

Em junho, o prefeito Samuca Silva perdeu o pai, Benício Ferreira da Silva, 81. Ele morreu no dia 15, de complicações cardíacas, depois de ficar 14 internado no CTI do Hospital São João Batista.

No dia 1º de julho, morreu a mãe do ex-prefeito Neto, Munira Arbex Francisco. Dona Munira tinha 91 anos e sofria de uma doença renal. 

O pop rock brasileiro perdeu em 2019 uma lenda. Morreu no dia 7 de junho o cantor Sergei, aos 85 anos, precursor do visual andrógino em shows. Ele estava internado no Hospital Regional de Volta Redonda, localizado no Roma.

CULTURA/ ENTRETENIMENTO

A voltarredondense Isadora Meira foi eleita miss Rio de Janeiro, representando Barra Mansa. Com 25 anos, a jovem é natural de Volta Redonda, mas decidiu representar a cidade vizinha, onde mora atualmente. O concurso foi realizado no dia 26 de janeiro, no Rio.

ESPORTE

Em janeiro, o empresário Rogério Loureiro foi eleito vice-presidente da Liga de Desportos de Volta Redonda. O presidente da LDVR é Cláudio Garcia Boher, o Dinho.

No dia 9 de fevereiro, Samuca e o governador Wilson Witzel inauguraram a Arena Olímpica de Volta Redonda.

O ginasta voltarredondense Caio Souza, de 25 anos, foi ouro no PAN, disputado em Lima, no Peru, em agosto. Caio se tornou o primeiro atleta do Brasil a conseguir uma medalha de ouro na ginástica artística masculina – prova disputada em seis aparelhos.

Na assembleia geral do Voltaço, realizada em novembro, foram aprovadas alterações e adaptações em cerca de 20 artigos do Estatuto. Uma delas retirou o título de presidente de honra dos ex-presidentes Neto e Rogério Loureiro, mantendo apenas o do ex-prefeito e fundador, Dr. Nelson dos Santos Gonçalves. O aQui noticiou a mudança na coluna do repórter esportivo Sérgio Luiz e a partir daí, deu um quiproquó dos diabos. Neto e Loureiro não gostaram da mudança e alguns conselheiros do Voltaço foram para as redes sociais criticar o jornal. Ficou feio pra eles. Entre mortos e feridos, tudo terminou bem e Neto e Loureiro mantiveram as honrarias. 

COMPORTAMENTO

Em julho, um vídeo viralizou em Volta Redonda e por pouco não virou caso de polícia. Nele, uma mulher com problemas mentais foi agredida pela irmã, quando saíam de uma clínica na Vila. Usando um andador e andando com dificuldade, a mulher foi agredida pela irmã para que atravessasse a rua mais rapidamente. O caso aconteceu no dia 11 de julho, foi parar nos jornais e causou revolta entre a população.

Em sete anos de fiscalização da Lei Seca, mais de 900 motoristas perderam a ‘carteira’ em Volta Redonda e Barra Mansa. A estatística era do ‘Programa Lei Seca’, do governo do Estado, e foi divulgada em maio com exclusividade pelo aQui. Os dados mostraram que desde que foi iniciada a fiscalização na região (a partir de 2013), foram feitas 5.632 abordagens só em Volta Redonda. Deste total, 4.489 motoristas foram submetidos ao teste do bafômetro e 722 foram reprovados. Em Barra Mansa, foram 2.737 abordagens desde 2013, sendo 2.332 testes do bafômetro, com registro de 274 casos de alcoolemia. No total, 255 CNHs foram recolhidas nas abordagens e 147 veículos foram rebocados. A operação Lei Seca também multou 634 motoristas em Barra Mansa.

O voltarredondense Eduardo de Salles Bartolomeo assumiu, em agosto, a presidência da Vale. Ele é engenheiro formado na Escola Superior de Engenharia Metalúrgica da UFF. Além dele, Benjamin Baptista Filho, nascido no Nordeste e criado em Volta Redonda, assumiu a presidência da ArcelorMittal.

aQui foi censurado. O fato aconteceu em setembro após a divulgação de uma reportagem dando conta que três internos da Fundação Beatriz Gama teriam sido flagrados mantendo relações sexuais no banheiro da unidade. Depois da publicação, o juiz da Infância de Volta Redonda acatou o pedido do MP e mandou recolher a edição 1168, determinando ainda que a mesma fosse retirada das redes sociais. Voltamos aos anos de chumbo?  

A jornalista Jussara Soares, que trabalhou no aQui entre 2003 e 2005, conseguiu a proeza de entrevistar o presidente Jair Bolsonaro quando este iniciava sua cruzada contra o jornal O Globo, onde ela trabalha. A entrevista foi realizada no final de julho e a matéria ocupou uma página inteira da edição de O Globo do dia 31 de julho.

Depois do caso envolvendo três internos pegos mantendo relações sexuais, a Fundação Beatriz Gama registrou outro caso bizarro. Foi em julho, quando uma menina de apenas três anos desapareceu da unidade, levada por seu pai. A menina era interna da FBG junto com sua mãe, uma adolescente de 16 anos. O pai tentou por duas vezes tirar a criança do local e não tinha conseguido.

O prefeito Samuca Silva foi um dos vencedores do Prêmio Nacional Prefeito Empreendedor por conta do projeto desenvolvido na cidade do aço na categoria ‘Inclusão Produtiva e apoio ao Microempreendedor Individual’. Ele também concorreu na categoria ‘Políticas Públicas para Desenvolvimento dos Pequenos Negócios’. A entrega do prêmio aconteceu em junho.

No dia 3 de junho foi inaugurado o primeiro colégio militar de Volta Redonda. Localizado no Açude, o colégio funciona no Ciep 403 e atendeu, inicialmente, pouco mais de 60 alunos. No dia da inauguração, três alunos desmaiaram depois de ficarem mais de 40 minutos em pé, enfileirados aguardando o início da cerimônia de inauguração.

Os Jogos Estudantis de Volta Redonda (Jevre) são a maior competição estudantil da região, e fazem parte do calendário das escolas da cidade. Mas este ano, um registro (quase) queimou o filme do campeonato: alguns menores foram flagrados bebendo cerveja no ginásio do Santo Agostinho. Os jovens, todos menores de idade, usavam uniformes de uma escola particular e teriam levado um cooler, cheio de latões de cerveja para o ginásio.

CSN

A CSN iniciou o ano anunciando investimentos para melhorar a eficiência ambiental da UPV. No anúncio, um pacote de melhorias que contemplou seis setores diferentes da usina, sendo a reforma do Alto Forno 3 a mais importante. Os investimentos foram da ordem R$ 450 milhões.

O Centro de Beneficiamento de Agregado Siderúrgico da CSN – a famosa montanha de escória – foi notícia o ano todo. O depósito de dejetos da CSN existente há mais de 20 anos no bairro Brasilândia, foi ‘descoberto’ por políticos dias depois da tragédia de Brumadinho. Desde então, há quem garanta que a montanha vai desabar e atingir o Rio Paraíba e até os moradores do entorno. A CSN já apresentou laudos dizendo que isto é impossível, e mesmo assim não tem sossego. Tanto a CSN quanto a Harsco (responsável pela escória) respondem na Justiça por crime ambiental.

Este ano, Samuca e CSN quase retomaram as negociações para o uso do Escritório Central. Quase. É que em março, Samuca Silva tornou público que tinha desistido, de continuar negociando a ocupação do Escritório Central. Em ofício à CSN, o prefeito disse que teria outras coisas relevantes para decidir. A verdade é que o Conselho de Administração da CSN estaria preparando um aluguel para a prefeitura pelo uso do prédio. Samuca, claro, não concordou. Foram quase dois anos de conversa.

Em junho, a CSN paralisou as atividades do Alto Forno 3 e o colocou em manutenção. O ‘paradão’ durou dois meses e voltou a operar em outubro. O investimento da CSN na reforma do AF-3 foi de R$ 250 milhões e o número de empregos gerados nesta reforma foi de 4 mil.

No dia 15 de maio, um acidente na aciaria da CSN provocou um estrondo enorme, que foi ouvido por milhares de pessoas dentro e fora da UPV. Em nota, a empresa disse que ocorreu uma reação com deslocamento de ar na panela da aciaria. O estrondo foi acompanhado por emissões fugitivas. Três trabalhadores foram socorridos no Hospital das Clínicas com suspeita de intoxicação por inalação de fumaça.

Em outubro, o governador Wilson Witzel assinou um decreto criando incentivos fiscais para empresas do segmento metalomecânico. O objetivo foi o de ajudar na criação do polo metalomecânico que o prefeito Samuca e o presidente da CSN, Benjamin Steinbruch, anunciaram em outubro de 2018 para Volta Redonda.

Em outubro, a cimenteira da CSN completou 10 anos no mercado da construção civil. Para comemorar o aniversário, a CSN mandou pintar um painel gigante no muro externo do seu Centro de Pesquisas, na Vila. A obra é do artista plástico Anderson de Souza e foi toda pintada à mão. O mural ganhou o nome de Transformação Concreta e pode ser visto por todos que trafegam pela Rua 4B.

TECNOLOGIA

A engenheira voltarredondense Caroline Vieira da Silva desenvolveu um aplicativo que auxilia mulheres em situação de violência. Quando o botão de pânico é ativado, o celular envia um SMS com a mensagem “fulana está solicitando sua ajuda” para duas “angels”, que podem ser amigas ou pessoas da família, com o link do Google e a situação da mulher em perigo. A criação foi mostrada ao mercado em novembro e é considerada uma inovação em soluções tecnológicas.

Em fevereiro, a prefeitura de Volta Redonda lançou o Fiscaliza VR – um aplicativo que promete melhorar o acesso da população aos serviços da prefeitura.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.