Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Segunda-Feira, 6 de Abril de 2020
0
Publicado em 30/12/19, às 09:33

Prêmio Jacaré

Mico do ano

Vai, como não podia deixar de ser, para o presidente da Fundação Beatriz Gama, Davi Silva. Ele foi incapaz de, ao longo do ano, enfrentar e resolver os problemas internos da entidade. Dois dos piores momentos foram, só para exemplificar, o sequestro de uma criança, até hoje sem solução; e flagrante de um caso, que não foi o único, de relação sexual entre adolescentes, um rapaz  e duas meninas,  em um banheiro da fundação. Este caso, inclusive, Davi tentou negar ao ser procurado pelo aQui (edição 1168). Pior. Chegou a dar uma versão diferente do que o jornal apurou a representantes do Ministério Público Estadual e ao Juizado da Infância e Juventude e do Idoso, que acreditaram na tese espalhada por ele.  

Jacaré do Mal vai para…

MPE, por acreditar em uma versão do presidente da Fundação Beatriz Gama, Davi Silva, sem procurar descobrir se ele estava mesmo dizendo a verdade. E, pior, por pedir à Justiça que censurasse a edição do aQui, de nº 1168, de 28 de setembro, sobre um caso de sexo entre menores da entidade. Ou seja, quis esconder a reportagem que o jornal apurou, que, aliás, é bem diferente da versão oficial.

Juizado da Infância e Juventude e do Idoso da comarca de Volta Redonda, que acatou o pedido feito pelo MPE para censurar a edição do aQui com a reportagem exclusiva sobre o caso de sexo entre menores na Fundação Beatriz Gama. A ação, típica dos regimes militares, começou em outubro e até hoje a edição está sob censura.  

José Geraldo, o Zeca, presidente do Saae-VR. Ele até que começou bem no governo Samuca Silva, mas foi se enrolando todo ao longo dos meses e, em 2019, se envolveu com um grupo de servidores da autarquia. Chegou a assinar portarias de exoneração para que alguns funcionários do Saae passassem a ter direito a gratificações que chegariam a R$ 12 mil, dependendo do sortudo. Se enrolou ainda mais ao mandar cancelar as portarias, reeditá-las e novamente cancelá-las. Encerra o ano com um caso de assédio sexual (Portaria nº 395/2019) por apurar, envolvendo gente graúda da autarquia, o que leva muita gente a crer que tudo pode acabar em pizza. Para piorar, nada fez para evitar a falta de água que vai ocorrer durante o verão.

MPF em Volta Redonda, que passou o ano atazanando a vida da CSN. Chegou ao cúmulo do absurdo de pedir o fechamento da Usina Presidente Vargas, o que, se ocorresse, levaria a cidade do aço à bancarrota.

Washington Granato, que se destacou durante o ano não pelos projetos de lei que pode ter apresentado na Câmara de Volta Redonda, mas por fazer ameaças a jornalistas que cobrem o Legislativo. Seu nervosismo, inclusive, pode estar ligado à reportagem do aQui (edição 1157, de julho) sobre sua intenção de abandonar a política e lançar seu irmão, Júnior, como candidato a vereador em 2020. Foi depois disso que o espírito do vereador mudou…

Marcelo Cabeleireiro, deputado estadual de primeira viagem, que seguiu os passos de Granato e passou a fazer ameaças a jornalistas, inclusive do aQui.

Rua de Lazer, projeto que a secretaria de Esporte da prefeitura de Volta Redonda teima em manter, e que passa por fechar a Radial Leste, uma importante via de acesso entre a BR-393 e diversos bairros, para que meia dúzia de gatos pingados possam ter alguns momentos de lazer aos domingos, debaixo de sol ou de chuva, em um espaço sem qualquer estrutura. A média de usuários é ínfima.      

Maurício Ruiz, secretário de Meio Ambiente da prefeitura de Volta Redonda. Permitiu que um grupo de empresários de uma família de latifundiários da cidade do aço sepultasse de vez a Lagoa do Belvedere. Com fama de plantador de árvores em Miguel Pereira, de onde veio, Ruiz plantou a maior lorota do ano ao dizer que na Rodovia dos Metalúrgicos não existia nenhuma lagoa. Até cego podia ver que existia, sim.

Rotatória da Rodovia dos Metalúrgicos, que uma empresa contratada pelo Grupo Campos Pereira construiu para facilitar o acesso dos carros ao Portal da Saudade e, por tabela, ao Park Sul e à região dos bairros do Jardim Belvedere. E olha que sua inauguração, que não aconteceu, chegou a constar das comemorações do aniversário de Volta Redonda, em 17 de julho. Por enquanto, a rotatória só serve para os mortos…

Paulo Dalboni, ex-comandante da Guarda Municipal de Volta Redonda, que virou motivo de chacota na tropa desde que postou, em 2018, um vídeo fazendo ameaças a bandidos e vagabundos, como se super-homem fosse. Só não foi demitido porque Samuca tem um grande coração. Mesmo assim, o prefeito decidiu afastá-lo da função em 2019 logo depois de uma nova bravata que ele postou nas redes sociais. Dalboni foi substituído por Dalessandro de Assis e atualmente, sem poder, diz que é assessor especial da secretaria de Segurança Pública.

Ataíde Vaz, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Volta Redonda, que ganha o seu segundo Jacaré do Mal. Pior que sua administração nos últimos anos foi a postura da oposição, incluindo os ex-diretores ligados a Ataíde, que renunciaram de uma só vez, para que uma nova eleição acontecesse. Ela aconteceu, foi marcada por brigas e denúncias de trapaças e até hoje Ataíde continua mandando no órgão.  É tão maquiavélico que se lançou candidato à sucessão de Samuca.

Viação Sul Fluminense, empresa que chegou a deter 70% das linhas de transporte municipal em Volta Redonda, e que, por motivos diversos, já sofreu intervenção por parte da Justiça e do governo Samuca. A falta de manutenção, por exemplo, fez com que dois ônibus da empresa pegassem fogo, com passageiros dentro deles. Felizmente, ninguém morreu. Mas a empresa está por um fio… Chegou a comprar ‘ônibus’ para vender para Samuca a ideia de que eram zero km. Já eram bem rodados e, mais tarde, foram arrestados por falta de pagamento.  

Horácio Delgado – O ex-presidente do Saae-BM entrou e saiu da poderosa secretaria de Infraestrutura (antiga secretaria de Obras) do governo Wilson Witzel sem dizer o que fez. Ou o que deixou de fazer.

Jacaré do Bem vai para…

Benjamin Steinbruch – O presidente da CSN andou sumido do noticiário local. Se não fosse pela perseguição que sofre tanto do MPE quanto do MPF, sua participação na vida da cidade do aço seria maior, por dar aval à criação do polo metalomecânico de Volta Redonda e abrir as portas da CSN às empresas que beneficiam o aço produzido pela Usina Presidente Vargas. Ele fez a sua parte. Quer mais? Em Julho, a CSN anunciou um investimento de R$ 400 milhões para melhorar a eficiência ambiental na Usina Presidente Vargas.

Samuca Silva que, ao apagar das luzes, mostrou ter bom senso para resolver, mesmo que temporariamente, a questão do transporte de passageiros em Volta Redonda. Ao passar várias linhas operadas pela Sul Fluminense para a administração direta do Sindpass (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Barra Mansa e Volta Redonda), permitindo que o órgão dê espaço até aos problemáticos ônibus da Sul Fluminense, evitando que a mesma feche a porta de vez, Samuca merece o Jacaré do Bem. O Jacaré do Bem também merece ser entregue a Samuca pelo prêmio que ele recebeu em Brasília, em 2019: de prefeito empreendedor.

Rodrigo Drable, que consolidou sua posição de bom administrador à frente da prefeitura de Barra Mansa. Mesmo tendo problemas financeiros deixados por administrações passadas, Rodrigo conseguiu pagar os salários e o 13º do funcionalismo, além de ter obtido verbas suficientes para marcar 2020 como o melhor do seu governo. Deve ter dinheiro em caixa para terminar a novela do Pátio de Manobras e vai asfaltar a Avenida Presidente Kennedy, que liga seu município ao de Samuca Silva. Não é para qualquer um.

Silvio Campos, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, que, contrariando as expectativas da oposição, conseguiu manter as atividades do órgão e fechar bons acordos, como para os operários que trabalham em reve-zamento na Usina Presidente Vargas. Tem mais. Brigou pela manutenção dos empregos do pessoal da Votorantim Barra Mansa. Não conseguiu manter todos, mas salvou um bocado de cabeças.

Park Sul – Apesar de ainda contar com várias lojas vazias, o empreendimento caiu no gosto de quem mora em Volta Redonda e nas cidades vizinhas. De quebra, cuidou de construir a calçada em frente ao shopping, facilitando a vida de quem faz caminhadas pela região.  

família de Davi, que acabou de completar 10 meses no último dia 24 de dezembro. Os pais, Jucelena e Heverson, travam uma verdadeira cruzada para atenuar os efeitos de uma AME (Atrofia Muscular Espinhal), doença neuromuscular que afeta o pequeno. O casal precisa do apoio de todos, pois só um dos remédios que Davi tem que tomar custa uma fortuna – a dose de Spinraza, importada dos EUA, sai por ‘apenas’ R$ 325 mil.  Tem mais. A família precisa tanto da prefeitura de Volta Redonda quanto do governo do Estado para que Davi tenha direito a um home care para deixar o Hospital Regional, onde está internado, e poder ser transferido para casa. Seria um bom presente de fim de ano se Samuca e/ou Witzel lhe ajudassem. Ganhariam até o Jacaré do Bem eterno. Os demais podem ajudar através da vaquinha Ame Davi Lucas em www.vaquinha.com.br/vaquinha/todos/pelo-davi-jucelena-ribeiro.

Gotardo Netto – O ex-prefeito de Volta Redonda deu a volta por cima ao ser um dos primeiros voltarredondenses a apostar no nome de Wilson Witzel para o governo do Rio. E, depois de atuar quase que o ano todo nos bastidores do Palácio Guanabara, acabou sendo nomeado para a AgeRio, a Agência Estadual de Fomento. É o nome certo para ajudar o Sul Fluminense no governo Witzel.  

Maurício Batista – O ex-vereador voltarredondense, conhecido pelo apelido de homem-bomba, voltou a ser o centro de várias polêmicas envolvendo mudanças no trânsito da cidade do aço. Acertou na maioria delas, mas como mexeu no quintal de gente famosa, com sala no Palácio 17 de Julho, acabou tendo que adiar a maior delas, a da mudança do trânsito no Aterrado. Tem tudo para emplacar em 2020. 

Caio Souza, de 25 anos. O jovem voltarredondense ganhou a medalha de ouro no Pan-Americano de Lima, no Peru. Foi na prova individual de ginástica artística, disputada em seis aparelhos.  

FiscalizaVR, aplicativo lançado, em fevereiro, pelo governo Samuca para que a população possa registrar seus pedidos, reclamações e até mesmo fazer denúncias envolvendo a administração pública.

D. Luiz Henrique da Silva Brito o novo bispo da Diocese de Volta Redonda-Barra do Piraí. Os católicos comemoraram a mudança e, só para que os leitores tenham ideia, o novo líder religioso só agora em dezembro, nove meses depois de sua chegada, é que fez contato com os prefeitos da região.    

Felipe Steinbruch, filho mais novo de Benjamin Steinbruch, presidente da CSN. O jovem circula, meio que anonimamente, entre os mais de dez mil operários da UPV, mesmo estando à frente da CSN Inova, criada para viabilizar projetos de inovação de produtos siderúrgicos. Logo, logo, ele estará mais acima…    

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.