Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Quarta-Feira, 1 de Abril de 2020
0
Publicado em 26/02/20, às 09:02

Bate-Bola Sergio Luiz

Varandão da saudade

Esta foto é de um combinado do União E.C. São Geraldo, S. E. Retiro e o DMA da CSN. Foi tirada no Estádio Municipal da minha Além Paraíba (MG), numa partida amistosa com o São José E.C., meu ex-clube, em 1972. Pertence ao acervo do Nilo.

Em pé, da esquerda para a direita: Julinho (diretor), Valci, Jota, Álvaro, Joaquim Lagoa, Jair, Zé Gordo, Jorge Zumbi e Noel (treinador). Agachados: Zé Luiz, Cunha, Nelsinho, Lulu, João Canela, Vado, Feijão e Nilo.

Decepção e vexame

Em menos de cinco dias, duas grandes decepções. Isso foi o que aconteceu com a torcida do Voltaço. A primeira foi no domingo, 16, quando deixou escapar a vaga para a final da Taça Guanabara ao empatar com o Boavista, em 1 a 1, resultado que levou o time de Bacaxá a decidir o título contra o Flamengo, hoje, sábado, 22, às 18 horas no Maracanã. Embora precisasse da vitória, o Volta Redonda mostrou-se confuso graças às modificações de última hora efetuadas pelo técnico Luisinho Vieira. Mudou errado e o tricolor de aço virou presa fácil para o Boavista, que jogou com o regulamento debaixo do braço para conseguir a vaga.
Para piorar, logo em seguida, talvez “abalado” pela eliminação, o Voltaço foi a Sergipe encarar o Lagarto, penúltimo colocado do estadual sergipano, pela Copa do Brasil. E toma decepção, que já está virando rotina na história do time voltarredondense. Mesmo com a vantagem do empate, o Voltaço apequenou-se e foi derrotado por 1 a 0, gol de Sapé, o craque. A eliminação precoce, diante de um time fraco, pôs fim ao sonho do Volta Redonda de mostrar serviço e ganhar alguns bons trocados em 2020.
Diante dos fracassos, chega-se à conclusão que a ‘boa campanha’ do Volta Redonda na Taça Guanabara foi conquistada mais pela fragilidade dos adversários do que dos seus próprios méritos. Na preparação para o estadual, chegamos a prever que os reforços eram muito pouco para um time que teria um calendário cheio a disputar ao longo do ano. E não deu outra. Os contratados, com raríssima exceção, não acrescentaram quase nada. Alguns até decepcionaram, mas como são de empresários, chegaram, jogaram e não deram em nada. Mas receberam seus salários em dia. Enfim, a Taça Rio será o termômetro para saber como será o Voltaço na série C. Quem viver verá!

Revolta
Os torcedores do Voltaço estão fulos da vida, e com razão. E já andam pedindo a cabeça do técnico Luisinho Vieira, considerando-o confuso. Muitos não entenderam, até agora, as modificações de última hora que ele promoveu na escalação do time contra o Boavista. Há quem ache, por exemplo, que houve interferência na escalação pelo fato de o jogo ser transmitido pela TV Globo.

Diretoria cobra
Na manhã de quinta, 20, o presidente Flávio Horta reuniu-se com o elenco do Voltaço e, irritado com as decepções na Taça Guanabara e na Copa do Brasil, cobrou uma nova postura do time na Taça Rio. Jogou na cara de todos que os salários estão em dia, que ficaram nos melhores hotéis, e que viajaram para Sergipe com dois dias de antecedência para apresentar um futebol abaixo da crítica. Admitiu que a diretoria, a comissão técnica e os jogadores tiveram culpa e exigiu que na Taça Rio seja diferente. Que todos estejam comprometidos com o clube. Sonhar não custa nada…

História
A bronca de Flávio Horta me fez lembrar do ex-prefeito Neto, que era o presidente do Voltaço, e trouxe um jogador de Portugal, contratado com fama de artilheiro. Porém, depois de cinco jogos, o cara não tinha feito nenhum gol. Num treino, alguns torcedores cobraram de Neto a contratação do craque. Neto, então, chamou o ex-jogador Betinho, que era o administrador do estádio, e perguntou: “Aí Betinho, eles não sabem de nada. Você que manja, diga pra eles: O cara de bobo não tem nada, não, né?”. Betinho coçou a cabeça, e respondeu: “É, Neto, ele não é nada bobo. Bobo é quem o contratou”. Neto saiu decepcionado. Qualquer semelhança é mera coincidência.

Taça Rio
O Volta Redonda estreia na Taça Rio contra o Macaé na próxima sexta, 28, às 19 horas, no Raulino de Oliveira. Na segunda rodada, no domingo, 8, encara o Vasco, também na cidade do aço. Dia 16, joga contra o Madureira, em Conselheiro Galvão. Dia 22, enfrenta o Fluminense, no Maracanã. E encerra sua participação no segundo turno do carioca, no dia 31, contra o Resende, no Raulino de Oliveira.

Resende e Vasco
Atenção vascaínos. A Federação marcou o jogo Resende e Vasco, pela na Taça Rio, para o dia 29 de fevereiro, sábado, às 19 horas, no Estádio Raulino de Oliveira. Isso se não mudarem o local, né?

Bola fora
Para o time do Voltaço, que voltou a decepcionar sua torcida ao ser eliminado de duas competições em menos de uma semana. Faltou garra, comprometimento e competência aos dirigentes, que contrataram mal; ao treinador; que se enrolou todo; e aos jogadores, que não jogaram nada. Lamentável!

Bola dentro
Para Flamengo e Boavista, que decidirão hoje, sábado, 22, às 18 horas no Maracanã, o título da Taça Guanabara. Foram os que mais investiram entre grandes e pequenos. Havendo empate, a decisão será nos pênaltis. Ah, o campeão garante vaga para a final do carioca de 2020. Isso se outro clube, como o Volta Redonda, conquistar a Taça Rio. Quem acredita?

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.