Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Quarta-Feira, 1 de Abril de 2020
0
Publicado em 26/02/20, às 09:46

A continuação…

A novela envolvendo o prédio ocupado pelo antigo Hospital Vita, de propriedade da CSN, deu cria. Ou melhor, um novo litígio. Desta vez entre a CSN e a empresa CFV Serviços Médicos (leia-se Hospital das Clínicas), formada pelos médicos da antiga unidade. A 8ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro determinou que a CFV desocupe o imóvel em 90 dias para que o ICC – Instituto do Câncer do Ceará – possa gerir o Hospital, conforme contrato firmado pelo grupo cearense com a direção da CSN em 22 de janeiro último.   
 A decisão do TJ-RJ é de segunda instância e ainda cabe recurso. O curioso é que, ao contrário do que vem sendo divulgado pela mídia, não foi a empresa CFV Serviços Médicos quem questionou o acordo que tem com a CSN para gerir o hospital. E sim a própria CSN que recorreu à 4ª Vara Cível pedindo a saída do grupo médico do imóvel. Isto fica evidente na decisão do relator do TJ que acatou o pedido da CSN e deferiu a liminar. Vale ressaltar que o juiz da 4ª Vara Cível, Roberto Henrique dos Reis, não aceitou o pedido da CSN para retirar o CFV do hospital, por isto a empresa recorreu ao Tribunal de Justiça. O CFV Serviços Médicos ainda não se manifestou à decisão.

Entenda o caso
Em janeiro de 2018 a Justiça determinou o despejo do grupo Vita do prédio da CSN por falta de pagamento de aluguel. Por se tratar de um hospital, e do impacto que esta desocupação causaria, a Justiça autorizou que o corpo clínico do antigo Vita assumisse a gestão do hospital por 4 meses ou até que a CSN anunciasse um novo grupo para gerir a unidade. O corpo clínico (não confunda com Centro Médico, empresa que administra um prédio ao lado do Hospital -antigo Hotel das Enfermeiras) acabou criando o CFV Serviços Médicos e assumiu a gestão, mudando o nome de Vita para Hospital das Clínicas.
No mês passado, a CSN anunciou que assinou contrato com o ICC, grupo do Ceará, para ser o novo gestor do hospital. Houve chiadeira por parte da direção do CFV e para garantir a entrada do novo grupo no prédio, a CSN recorreu à Justiça para garantir a saída do CFV. Em primeira instância, a CSN perdeu. Em segunda, ela ganhou, mas ainda não levou, pois há possibilidade de recurso por parte dos médicos do CFV.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.