Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Segunda-Feira, 16 de Setembro de 2019
0
Publicado em 26/08/19, às 09:52

Vixe, Maria!

 

O noticiário da grande imprensa no início da semana, dando conta que os caciques do PSDB e DEM estariam negociando uma fusão das duas legendas, por conta do fim das coligações partidárias, já para a eleição de 2020, com reflexos na de 2022, pode criar um verdadeiro quiproquó na política voltarredondense. Caso a negociação vingue, o que é admitido por nada mais nada menos que Rodrigo Maia, o poderoso presidente da Câmara dos Deputados, com a fusão, o prefeito Samuca Silva, do PSDB, e o ex-prefeito Neto, que comanda o DEM, poderiam se tornar ‘aliados’.

A hipótese, que só um maluco poderia aventar, foi negada, categoricamente, pelos dois principais políticos da cidade do aço. O ex-prefeito Neto foi o primeiro a se pronunciar a respeito da fusão. “Tenho certeza que as diferenças locais serão respeitadas em todas as conversas que irão acontecer. Da mesma forma, afirmo com muita tranquilidade que não pretendo e não vou estar no mesmo palanque que o atual prefeito”, disparou, acrescentando que, dependendo dele, sai candidato pelo DEM.

“A tendência é eu permanecer no DEM”, disse Neto, revelando que a estratégia passa por manter o partido sobre suas asas e não perder o comando de outros partidos com vistas à formação das nominatas para as eleições municipais. “O PTB tem o Deley (ex-deputado) e o Munir (seu irmão), assim a tendência é ficar no DEM, ao lado de Sebastião Faria (presidente do diretório municipal dos Democratas)”, garantiu.

O prefeito Samuca Silva também abordou a anunciada união do PSDB com o DEM para as eleições de 2020 e 2022. “A política, assim como o relacionamento, tem a fase do namoro antes do casamento. E os dois partidos estão namorando. Se vai virar casamento, só o tempo dirá. Entretanto, as duas legendas sinalizam que vão caminhar juntas em 2022 e isso passa pelas eleições municipais de 2020. Acredito que PSDB e DEM vão caminhar juntos nas principais cidades do Brasil”, pontuou.

Apesar da postura conciliatória, Samuca não deixou por menos e descartou, ao ser indagado, ocupar o mesmo palanque do ex-prefeito Neto, seu arqui-inimigo. “Não vejo essa possibilidade. Eu estou filiado ao PSDB. Já o ex-prefeito, até onde sei, é do MDB, do Cabral, Cunha e Picciani. E, de qualquer forma, não vejo essa possibilidade. Mas se existir, alguém terá que sair. E eu não saio do PSDB”, detonou.

 

PSD

Samuca e Neto que coloquem as barbas de molho. A direção estadual do PSD soltou orientação aos seus filiados para que escolham os nomes que vão disputar as eleições municipais de 2020 em todas as cidades fluminenses com mais de 100 mil habitantes, como é o caso de Volta Redonda. O nome mais forte da legenda na cidade do aço é o do ex-deputado estadual Nelson Gonçalves. Em conversa com amigos, Nelsinho (pai) dá conta que até dezembro não vai pensar em eleições. “Vou cuidar do meu netinho”, justifica. Neto consanguíneo, é claro.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.