Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Sábado, 17 de Agosto de 2019
0
Publicado em 21/01/19, às 10:11

Triângulo do aço

A secretaria estadual de Fazenda (Sefaz-RJ) está passando um pente finíssimo nas empresas de siderurgia do Sul Fluminense. O objetivo é combater a sonegação das que possuem benefícios fiscais. Na quinta, 17, auditores da Receita Estadual identificaram operações irregulares em no mínimo R$ 500 milhões em algumas das 20 empresas fiscalizadas.

Batizada de Operação Triângulo do Aço, a ação envolve as unidades da Sefaz-RJ no Sul Fluminense. Segundo o aQui apurou, empresas com atividades siderúrgica em Valença, Volta Redonda e Barra Mansa já foram visitadas pelos auditores fiscais. Documentos foram levados, em alguns casos até computadores foram apreendidos, mas nenhum detalhe sobre a operação foi informado. Ainda não se sabe quais as empresas estão sob investigação e o montante que estaria sendo sonegado. O aQui não conseguiu confirmar se a maior indústria siderúrgica do Estado (a CSN) estaria entre as auditadas.

Basicamente, a operação se dá da seguinte maneira: fiscais estão auditando as contas das empresas de siderurgia inseridas no benefício de incentivos fiscais e que não estão dando a devida contrapartida ao Estado. As irregularidades encontradas poderão acarretar em multa para as empresas e, principalmente, na revogação dos incentivos. “O objetivo principal é responsabilizar os beneficiários da fraude, reaver o imposto referente às operações comerciais simuladas e regularizar o comportamento tributário dos contribuintes. As empresas irregulares terão que pagar o imposto devido e perderão o benefício fiscal”, diz um trecho de uma nota emitida pela Sefaz-RJ.

Fiscalização

Na quinta, 17, primeiro dia da operação, 18 empresas foram visitadas pelos auditores estaduais. Em três delas, as suspeitas não foram confirmadas, mas em outras 10 foram encontrados indícios de irregularidades. Destas 10, duas teriam sido impedidas, imediatamente, de emitir nota fiscal em virtude da gravidade dos problemas encontrados. Já as demais vão passar por uma nova análise ainda mais detalhada, para verificar se há, ou não, ilegalidades. Das irregularidades encontradas estão: industrialização incompatível com a capacidade produtiva, simulação da operação com troca de etiqueta de fornecedor, maquinário sem operação e inexistência do estabelecimento. Não houve apreensão de mercadorias.

O aQui tentou falar com a Sefaz-RJ, no final da manhã de ontem, sexta, 18, mas ninguém foi encontrado para comentar o assunto. Em nota, o subsecretário Adilson Zegur disse que, neste primeiro momento, a operação envolve empresas do ramo de siderurgia, mas que as próximas vão investigar outros setores da economia. O objetivo é o mesmo: verificar a situação fiscal das empresas a fim de combater a sonegação fiscal.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.