Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Segunda-Feira, 16 de Setembro de 2019
0
Publicado em 26/08/19, às 09:43

Trânsito livre

A secretaria de Transportes e Mobilidade Urbana de Volta Redonda tomou duas decisões impactantes que vão mexer com a vida dos passageiros de ônibus e motoristas da cidade do aço. A primeira foi que reativou o sinal de trânsito, que estava apagado há quase dois anos, no cruzamento da Rua São João com a Avenida Getúlio Vargas, no Centro. A partir desta mudança, que é experimental, os motoristas já podem virar à esquerda na avenida, pegando a pista ao lado da rede ferroviária com destino a Barra Mansa, sem passar pelas ruas de dentro da Vila Santa Cecília.
“Vamos permitir, experimentalmente, que os motoristas virem à esquerda na Getúlio Vargas, como era no passado, em direção a bairros como Conforto, Ponte Alta e Barra Mansa, sem passar pela Vila Santa Cecília. A ideia é diminuir o número de carros que passam desnecessariamente pela Vila”, explica Maurício Batista, titular da pasta, lembrando que, com a municipalização do trecho da BR-393 que cortava os bairros do Jardim Amália e Conforto, o número de veículos foi bem reduzido. “Os caminhões agora utilizam a Rodovia do Contorno e não passam mais pela Getúlio Vargas em direção à Via Dutra (pelo Conforto) ou Barra Mansa”, completa.
Ele vai além. Lembra que os motoristas que não conseguiam sair da Avenida Amaral Peixoto pela Rua Piauí para pegar a antiga BR-393 e seguir em direção a Barra Mansa tinham que obrigatoriamente passar pela Vila, saindo da Amaral Peixoto, passando pela Rodoviária Francisco Torres até a Praça Juarez Antunes e, aí sim, atravessar a rodovia federal, hoje municipalizada. “Os congestionamentos eram inevitáveis”, disparou Maurício.
“Sem os caminhões, o número de veículos utilizando a Getúlio Vargas caiu muito, assim decidimos fazer uma experiência ligando o sinal que existia na Getúlio Vargas, perto do posto do JK, reativando o que existia na São João. Quem desce a São João pode virar à direita para o Jardim Amália e Barra do Piraí ou à esquerda para a CSN ou Barra Mansa. Ninguém vai ter que passar por dentro da Vila”, detalha Maurício Batista.
Outra decisão adotada, experimentalmente, pela secretaria de Transporte e Mobilidade Urbana de Volta Redonda tem a ver com o drama de quem utiliza uma das 31 linhas operadas – e mal – pela Viação Sul Fluminense. “É a mais problemática, campeã em reclamações”, dispara Maurício Batista, referindo-se à linha Circular 15. Desde ontem, sexta, 23, além dos ônibus da Sul Fluminense, veículos da Viação Elite estão rodando entre Vila Rica e Retiro para aumentar os horários oferecidos à população. “A Sul Fluminense não conseguia dar conta do serviço. Assim, a princípio, nessa linha, os passageiros poderão utilizar tanto os carros da Elite quanto os da Sul Flu-minense”, completou Maurício. “Tem tudo para melhorar a vida dos passageiros” sentencia.
Um dos motivos é que, até ontem, os passageiros do Retiro que moram no entorno da Praça Cafezal em diante ficavam no ponto ao Deus dará, pois os carros da Sul Fluminense que vinham de Santa Rita de Cássia e do Açude passavam lotados. “Ninguém conseguia chegar a tempo no trabalho”, confessa um dos passageiros. E no sentido contrário, os ônibus da Sul Flu-minense que saíam da Ponte Alta com destino ao Retiro ficavam com superlotação já a partir de Niterói. “O problema deve acabar”, crê Batista
Foi por essas e outras que, para melhorar ainda mais as condições de locomoção de quem mora nos bairros do grande Retiro, Maurício Batista, a pedido de Samuca Silva, como frisa, decidiu estender o trajeto da Linha 15.

Veja como ficou:
Saindo da Vila Rica
Av. Santa Edwiges, Av. 4, Av. 850, VRD 001, Rua 725, Rua 758, Rua 650A, Rua 659, Rua 652, Rua 665, Rua 60, Rua 62 A, Rua 60, Rua 62, Rua 39, Rua 60, Rua 33, Rua 16, Rua 160, Rua 161B, Av. Dr. Nelson Gonçalves, Rua Gustavo Lira, Rua São João, Av. Amaral Peixoto, Viaduto N.S. das Graças, Av. Lucas Evangelista, Rua Luiz A Pereira, Av. Sete de Setembro, Pte. Pres. Medici, Av. Antônio Pedro da Costa, Av. Adeodato Pires, Trevo da Voldac, Av. Sávio Cota de Almeida Gama, Av. Antônio de Almeida, Praça Cafezal.
Saindo da Praça Cafezal
Av. Antônio de Almeida, Av. Sávio Cota de Almeida Gama, Av. Nossa Senhora do Amparo, Pte. Pequetito Amorim, Av. Paulo de Frontin, Rua Neme Felipe, Viaduto N.S. das Graças, Av. Getúlio Vargas, BR 393, Rua Cristóvão Colombo, BR 393, Av. Amaral Peixoto, Av. dos Trabalhadores, Rua 33, Rua 39, Rua 62, Rua 60, Rua 671, Rua 652, Rua 659, Rua 758, Rua 725, VRD 001, Rua 850A, Av. 5, Av. Santa Edwiges, Rua 42, Rua 17, Rua 45, Rua 17 e Av. 2.
Empregos garantidos
O titular da secretaria de Transportes e Mobilidade Urbana, Maurício Batista, aproveitou para esclarecer e salientar que o projeto do Circular 15 foi adotado pelo prefeito Samuca Silva, que levou em consideração a manutenção dos empregos do pessoal da Sul Fluminense. “A empresa não terá que demitir ninguém dessas linhas, pois os seus veículos continuarão circulando normalmente. E a Viação Elite, por sua vez, terá que contratar mais gente para operar na linha 15, gerando mais empregos”, avaliou. “Foi uma solução técnica e prática. Não prejudica ninguém e os passageiros terão mais veículos para irem ao trabalho e vice-versa”, sentenciou.
Linhas intermunicipais
A Comissão da Pessoa com Deficiência da Alerj ameaça fiscalizar os ônibus de todo o estado do Rio juntamente com o Detro-RJ e a Polícia Militar para garantir a acessibilidade de deficientes físicos e visuais em todas as linhas intermunicipais. “O que a comissão quer hoje é fazer cumprir a lei. São muitas reclamações por parte dos cadeirantes e de suas mães pelo fato de os coletivos não terem acessibilidade. Mandamos fazer coletes para a comissão, vamos realizar operação em vários municípios e apreender ônibus que não cumprem a lei de acessibilidade’, garantiu o presidente do grupo, Gil Vianna (PSL).

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.