Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Segunda-Feira, 20 de Maio de 2019
0
Publicado em 08/05/19, às 08:59

Tipos de fraude que podem ser cometidas

Embora a Internet nos tenha conectado a mais informações do que nunca, a era digital atual permite que os fraudadores conduzam suas atividades fraudulentas com mais facilidade.

De publicações falsas em redes sociais a phishing para senhas de contas financeiras, os golpistas encontraram inúmeras maneiras de acessar o dinheiro de outras pessoas.

Utilizam todos os meios para contactar as suas vítimas, por exemplo, por telefone, correio, correio eletrônico e Internet. Eles ganham a tua confiança e, depois de te enganarem, pedem-te dinheiro, levam-no e desaparecem.

As situações que eles usam para te tentarem estão em constante mudança. Mas você pode proteger a si mesmo, sua família e amigos, armando-se com conhecimento sobre os tipos mais comuns de fraude.

 

 

Tipos de esquemas mais comuns
Contrariamente ao que possa pensar, existem tipos de esquemas que são realmente muito comuns. Embora não saibamos explicar ao certo porque é que as pessoas cometem fraudes e esquemas, damos-lhe dicas para que se proteja.

1 – Pré-pagamento ou esquema de pré-pagamento
Pede-se à vítima que pague adiantadamente taxas por serviços financeiros que nunca são prestados.
As vítimas enviam frequentemente uma sucessão de transações com diferentes comissões iniciais. Métodos comuns incluem cartões de crédito, bolsas de estudo, empréstimos, herança ou investimentos.

2 – Falsos esquemas antivírus
Alguém contacta a vítima que afirma pertencer a um computador respeitável ou companhia de software e diz à vítima que um vírus foi descoberto no computador da vítima.
O fraudador informa a vítima que eles podem remover o vírus e proteger o computador por uma pequena taxa com um pagamento que pode ser feito por cartão de crédito ou transferência de dinheiro.
Na verdade, não havia vírus no computador e a vítima apenas perdeu o dinheiro que enviou para proteção.

3 – Esquema de Caridade
Geralmente, a vítima é contatada por e-mail, correio normal ou telefone e solicitada a enviar uma doação por transferência de dinheiro a um indivíduo para ajudar vítimas de um evento recente, como um desastre natural ou emergência (como inundações, ciclones ou terremotos).
As instituições de caridade legítimas nunca pedem doações para serem enviadas a um indivíduo através de um serviço de transferência de dinheiro.

4 – Golpe de Emergência
A vítima é levada a acreditar que está a enviar fundos para ajudar um amigo ou um ente querido com uma necessidade imperativa.
A vítima envia o dinheiro com urgência, aproveitando a sua preocupação natural com um ente querido.

5 – Golpe de Emprego
A vítima se comunica por meio de um anúncio de emprego e é contratada para o emprego fictício e envia um cheque falso para despesas relacionadas ao trabalho.
O montante do cheque excede as despesas da vítima e a vítima devolve os fundos restantes por transferência de dinheiro. O cheque é devolvido e a vítima é responsável pelo montante total.

6 – Extorsão
Ameaças de morte, prisões ou outras demandas de golpistas para obter ilegalmente dinheiro, bens ou serviços de uma vítima por coerção para supostas dívidas e ameaças se eles não cooperarem.
Estes são os mais comuns. Mas existem mais por isso nada como ter cuidado.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.