Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Domingo, 30 de Abril de 2017
0
Publicado em 15/08/16, às 10:21

‘Soldados do tráfico’

PPJ (2)

Os moradores de Barra Mansa e Volta Redonda já devem ter percebido que os casos de violência estão acontecendo em grande escala nas duas cidades nos últimos meses. A situação está tão grave que tanto o prefeito de Barra Mansa, Jonas Marins (PCdoB), quanto o Volta Redonda, Neto (PMDB), promoveram reuniões para debater o assunto. Só na cidade do aço, como mostrou a coluna Política & Cia na edição passada, nos primeiros seis meses de 2016 o número de homicídios praticamente dobrou.

 

Um deles foi o de Felipe Nascimento Rodrigues, 16, espancado por cerca de 20 adolescentes na Vila Santa Cecília. Ele chegou a ser socorrido no Hospital São João Batista, mas morreu em consequência de um traumatismo craniano. O assassinato violento de Felipe fez acender uma luz vermelha no Palácio 17 de Julho por mostrar o aumento da violência entre os jovens voltarredondenses. Por isso, o prefeito Neto convocou uma reunião com entidades civis, forças de segurança e secretários municipais para tentar buscar uma solução para o problema.

 

Presente à reunião, o delegado adjunto da 93ª Delegacia de Polícia de Volta Redonda, Rodolfo Atala, em entrevista exclusiva ao aQui, comentou o aumento da violência e o envolvimento de crianças e adolescentes em vários crimes. “O aumento de criminalidade envolvendo jovens é uma realidade onde crianças e adolescentes são vítimas de crimes e autores de atos infracionais cada vez mais violentos. Cabe à Polícia elucidar esses crimes”, avaliou o delegado, ressaltando que dar educação e dignidade aos jovens seria um excelente trabalho de prevenção.

 

“O tráfico de drogas alicia os jovens em idade cada vez mais baixa para atuarem como soldados do tráfico. O resultado disso é o envolvimento maior de adolescentes em facções que dominam o tráfico”, pontuou o delegado adjunto. Tem mais. O tráfico, segundo ele, é responsável pela maioria dos homicídios cometidos na cidade do aço. Só em 2016, foram 35 homicídios até agora. “A maioria dos homicídios está ligada ao tráfico de drogas e os jovens são as maiores vítimas das facções criminosas”, disse.

 

Em Volta Redonda, também houve um aumento gigantesco – 500% – nos casos de roubo a pedestres. “O aumento da incidência em crimes patrimoniais está ligado a diversos fatores, dentre eles a crise econômica. A Polícia Civil trabalha diuturnamente para a prisão de criminosos objetivando o bem estar social”, salientou, pedindo para que a população denuncie os crimes cometidos na cidade, seja indo à delegacia, ou ligando para o Disque Denúncia e o Teia Invisível. “O papel da sociedade é fundamento em uma política de segurança pública. Diversas prisões são realizadas a partir de denúncias realizadas pela sociedade”, afirmou.

 

Debatendo propostas

No encontro promovido no auditório do Palácio 17 de Julho, o prefeito Neto destacou a importância de se ouvir o que os jovens têm a dizer. “Isso para que as reivindicações sejam colocadas realmente em prática no município”, pontuou, passando a responder perguntas dos presentes. “O Poder Público está pronto para que esta política de paz seja uma ferramenta fundamental para a participação e interação da juventude na construção de um futuro melhor, que atenda as necessidades dos jovens”, completou.

 

O comandante do 28º BPM apresentou a sugestão de dois projetos esportivos – Lutando pelo Futuro e Jogando pela Vida – em parceria com a prefeitura, Ministério Público e Vara da Criança e Adolescente. Por eles, os alunos participarão dos projetos voltados para o desenvolvimento de uma cultura de paz, com aulas de rugby na sede do Batalhão da PM, na Voldac. Os projetos foram aprovados pelo plenário, com apoio do prefeito Neto, que garantiu que a prefeitura poderá ceder material esportivo para os estudantes, que deverão ser divididos em turmas de 20 a 30 alunos.

 

Outra sugestão aprovada foi a de se reforçar o trabalho nas próprias comunidades, em conjunto com as Associações de Moradores, buscando combater o uso de drogas e da violência. E ainda promover esse trabalho de um modo em que o jovem possa ser ouvido e ajudar a tomar decisões. Realizar palestras nos bairros e escolas também foram alternativas aprovadas no ‘Encontro da Paz’, no Palácio 17 de Julho.

 

PM pede ajuda para combater crimes em Barra Mansa

Com o crescente número de assaltos pelas ruas de Barra Mansa – que vem assustando a população -, a Polícia Militar fez um apelo para que o Poder Público ofereça mais apoio nas ações de combate ao crime. Na terça, 9, o prefeito Jonas Marins recebeu o comandante do 28º Batalhão de Polícia Militar, o tenente coronel Damião Luiz Portela, para discutir medidas preventivas. “É importante que trabalhemos juntos para diminuir o índice criminal, principalmente o roubo de rua. A população e os comerciantes precisam se sentir seguros e, agindo em parceria, vamos obter êxito nesse trabalho”,  crê o tenente coronel.

 

Jonas, por sua vez, fez questão de garantir que vai fazer o necessário para melhorar a segurança. “Há algum tempo tínhamos uma base da GM próximo da rodoviária. No entanto, ela precisou ser retirada para a reforma das calçadas do Centro. Hoje o espaço já foi liberado e podemos cedê-lo para que a PM monte um base estratégica que ajude no combate ao crime”, argumentou.

 

Outra estratégia que Jonas pretende usar é o Gabinete de Gestão Integrada de Segurança Pública de Barra Mansa. “O GGIM é formado por membros da secretaria de Ordem Pública de Barra Mansa, Corpo de Bombeiros, polícias Civil e Militar e representantes do Poder Legislativo. Nós fazemos reuniões pontuais quando precisamos discutir ações estratégicas de segurança. Vamos apresentar essa situação do crescimento do roubo de rua e traçaremos medidas para evitar que Barra Mansa sofra com essa situação”, garantiu.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.