Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Domingo, 20 de Agosto de 2017
0
Publicado em 27/03/17, às 10:01

Sem vaga

DSCN3149_cor1

O prefeito Samuca Silva (PV) terá mais um desafio pela frente. Tão difícil quanto foi vencer a eleição de 2012. Só que ele poderá ser indigesto: convencer os motoristas a deixar os carros nas garagens e ir de ônibus, táxis ou a pé para o trabalho ou às compras nas áreas comerciais da cidade do aço. A primeira ação, por enquanto, ao criar uma faixa exclusiva para ônibus na Avenida Amaral Peixoto, até prova em contrário, não deu certo. Muito pelo contrário. De segunda, 20, até ontem, sexta, 24, as vendas caíram cerca de 50% nas lojas da avenida, segundo estimativa feita por um lojista, que pediu que seu nome permanecesse no anonimato.

 

A queda no comércio foi sentida já na manhã de segunda, 20. É que ao implantar a faixa seletiva para ônibus no lado direito da avenida, a Suser transferiu os pontos de táxis para o lado esquerdo e acabou com dezenas de vagas de estacionamento rotativo. “Cortou pela metade. E sem as vagas e com medo das multas, meus clientes devem ter ido para outros centros”, avalia o lojista.  

 

Ele pode ter razão. É que as mudanças – apesar de terem sido promessas de campanha de Samuca – não foram anunciadas previamente para a população. E não agradaram a muitos comerciantes e consumidores diante da drástica redução do número de vagas para estacionamento na Avenida, que já foi a mais importante da cidade do aço. “Se estacionar já era difícil, agora ficou impossível, pois todas as vagas do rotativo que ficavam à direita foram extintas” disse. “Os pontos de táxis que existiam também foram transferidos para o lado esquerdo da avenida, ocupando muitas das vagas existentes”, completa. 

 

Outra reclamação generalizada diz respeito à pouca quantidade de vagas de estacionamento destinadas a idosos e deficientes, já que só duas teriam sido pintadas ao longo da Amaral Peixoto. O engraçado é que no afã de implantar a mudança – que o aQui revelou em sua página do Facebook na manhã de domingo, quando poucos sabiam o que estava por vir –, os ‘burrocratas’ da Suser se esqueceram das vagas existentes para os carros-fortes que prestam serviços para as agências bancárias da avenida. Resultado: os veículos paravam na pista, no peito, é bom que se diga, atrapalhando o fluxo dos veículos particulares e dos ônibus.

 

A Suser tem até amanhã, domingo, 26, data prevista para o fim das intervenções, para consertar todos os problemas. Se vai ter interesse ou não em executá-las de acordo com a opinião dos internautas, isso é outra história, afinal a autarquia ainda é comandada, interinamente, até hoje – quase quatro meses depois da posse de Samuca – por uma funcionária da pasta. Quer mais? Esqueceram dos caminhões de transporte que ficaram sem espaço para estacionar e descarregar as mercadorias para abastecer as lojas da avenida.  

 

Tarifa zero

A mudança no trânsito da Amaral Peixoto faz parte do sonhado projeto  ‘Tarifa Comercial Zero’ – promessa de Samuca de colocar um ônibus para circular pela Amaral Peixoto, Vila, Aterrado e Retiro, transportando gratuitamente qualquer passageiro que quiser se deslocar dos bairros para os centros comerciais e vice-versa. E é bom que isso seja feito logo, pois nas redes sociais as reclamações são várias. Um comerciante, pedindo para não ser identificado, disse que as mudanças só agradaram aos donos de estacionamento particular. “Ele estava preparado para o caos, tanto que reformou seu estacionamento, colocando cancelas novas, tudo automatizado”, ironizou, negando-se a fornecer seu nome. “O faturamento dele aumentou 80%”, disparou.  

 

Apesar das críticas, a Suser garante, através da assessoria de imprensa, que as mudanças foram debatidas com os empresários e taxistas, em reuniões na sede da pasta e na prefeitura. “Essas mudanças na sinalização vão favorecer a mobilidade urbana, com o transporte ganhando mais velocidade e fluidez, trazendo ainda benefícios ao transporte coletivo para o projeto Tarifa Comercial Zero”, destacou a diretora interina da Suser, Isabella Mota de Brito.

 

Segundo Isabella, a ideia é incentivar os consumidores a deixar os carros na garagem e usar o transporte público para o deslocamento e frequência nos quatro polos de incentivo ao comércio. Tem mais. As novas sinalizações de criação de faixas seletivas serão realizadas também na Avenida Paulo de Frontin, no Aterrado, e no Retiro. “Antes, porém, vamos conversar com os taxistas e os comerciantes dos bairros para, gradualmente, avançar com a nova sinalização das vias para receber a pintura da faixa exclusiva para os ônibus”, explicou Isabella, sem revelar os nomes dos empresários que teriam participado – e apoiado – a seletiva da Amaral Peixoto.

 

Novo modelo

A intenção de levar os consumidores a deixar os veículos na garagem e passar a usar o transporte coletivo também foi corroborada por Samuca Silva. Ele até garante que a construção de um edifício garagem na Amaral Peixoto não seria benéfica, já que iria incentivar o uso de veículos particulares. “É importante dizer que temos que incentivar o transporte público, seja táxi ou ônibus. O que a gente quer é que as pessoas usem o transporte público, deixando os carros em casa. Para isso as intervenções no trânsito são importantes. A lei exige uma faixa exclusiva para os ônibus”, comentou, durante entrevista a Betinho Albertassi, da Rádio 88. “Inclusive a população me cobrou muito durante a campanha as intervenções no trânsito da cidade”, completou.

 

O prefeito afirmou que está acompanhando de perto as mudanças na Amaral Peixoto e também destacou que teriam sido feitas reuniões pontuais com os comerciantes para discutir as intervenções. “É importante fazer essa mudança prévia para o programa Tarifa Zero, que vai ligar todos os principais pontos comerciais da cidade e vai melhorar a economia”, destacou, prometendo fazer uma conferência para tratar da mobilidade urbana na cidade do aço.

 

De acordo com Samuca, ao passar pela Avenida Amaral Peixoto durante a semana, ele já conseguiu perceber um aumento na velocidade média dos ônibus. “Até tinha um carro estacionado na faixa exclusiva para os ônibus, mas a Guarda Municipal vai fazer uma orientação, até porque isso era comum há anos”, comentou. “Nosso objetivo é movimentar a economia da cidade e melhorar o transporte público. É um projeto que vai mudar a cara da cidade. Mas estamos em fase de ajuste e, se for preciso, vamos fazer ajustes no projeto”, completou, ressaltando que chegou a ler, no site da Câmara de Dirigentes Lojistas, entidade que o apoia, uma reportagem (um release da sua própria assessoria, grifo nosso), elogiando o projeto.

 

Samuca crê até que, aumentando a velocidade dos ônibus, vai incentivar os voltarredondenses a deixarem os carros na garagem. “São várias etapas para melhorar o trânsito. Essa é a primeira fase. Outra fase será a de reestruturação do estacionamento rotativo. Vamos fazer uma Parceria Público Privada (PPP) para melhorar o serviço”, comentou. “A política de mobilidade atual é incentivar o transporte público. É isso que queremos. Nós sentamos com os empresários de ônibus pedindo melhorias. E muita reclamação que eles fizeram era que faltavam faixas exclusivas, que existem em várias cidades”, ressaltou, destacando que a criação das faixas agradou às empresas.

 

Para o prefeito, o problema no trânsito de Volta Redonda ocorre nos centros comerciais e nos horários de pico. “Nos bairros não temos muito esses problemas. Por isso vamos incentivar o transporte público, para as pessoas deixarem os carros em casa ao irem aos centros comerciais”, destacou, salientando que, por exemplo, a criação de um edifício garagem na Amaral Peixoto iria incentivar o uso de carros. “Quando a gente constrói um prédio assim estimula as pessoas a usarem carros. A política de mobilidade incentiva o transporte público. E a nossa tentativa é incentivar o transporte público, a melhoria do transporte de massa. É uma importante mudança”, pondera Samuca.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.