Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Sexta-Feira, 15 de Novembro de 2019
0
Publicado em 12/08/19, às 09:19

Sem treta!

A informação publica-da com exclusividade pelo aQui, na edição nº 1160, de que a Peugeot vai passar a fabricar seus modelos na Argentina, causou polêmica, como era de se esperar. Alguns grupos tentaram até desmentir a notícia plantando ‘fake news’ em outros jornais e nas redes sociais. Erraram feio. A notícia de que o Groupe PSA vai deixar de produzir os carros da marca Peugeot em Porto Real, mantendo apenas os modelos Citroën, é real. Tem mais. A mudança vai mesmo ocorrer a partir de 2020 e pode comprometer todo um turno de trabalho na fábrica, provocando demissões, ainda não calculadas. O engraçado é que a assessoria de Comunicação da PSA não desmentiu as informações divulgadas pelo aQui, limitado-se, como de praxe, a fugir pela tangente, dizendo que ‘não poderia comentá-las por se tratar de uma estratégia industrial da marca’.
O que os profissionais de comunicação da PSA não sabiam é que as informações divulgadas pelo aQui foram repassadas ao jornal por duas fontes  ligadas à Peugeot-Citroën. Fontes que não se conhecem, mas que conversaram com o repórter de forma instantânea para falar das notícias internas, ventiladas pela própria montadora aos seus colaboradores.
A tentativa de desmentir a informação e desmerecer o próprio jornal levou o aQui a entrar em contato com as fontes ouvidas inicialmente e elas foram unânimes em reafirmar o fim da produção do modelo Peugeot 208, a partir de março de 2020, e do Peugeot 2008, que também deixará de ser fabricado no Brasil em 2021. Elas garantiram que estes dois modelos sairão de série em no máximo dois anos, o que vai significar o fim da marca Peugeot na fábrica de Porto Real. ‘A ideia é produzir apenas os modelos Citroën na fábrica fluminense’, contaram as fontes.
Elas foram além. Explicaram que PSA é um grupo que une as marcas  Peugeot e Citroën, e que é errado dizer que PSA é somente Peugeot ou somente Citröen. ‘Groupe PSA não é Peugeot apenas. Groupe PSA é Peugeot-Citroën. Portanto, dizer que a Peugeot vai deixar de produzir seus modelos no Brasil não quer dizer que o Groupe PSA vai deixar de fabricar seus carros aqui. Eles têm ainda os modelos da Citroën e estes vão permanecer sendo produzidos em Porto Real. O mal-entendido está aí. Vocês não mentiram ao dizer que a Peugeot vai deixar o Brasil, porque a ideia é esta mesma, de não produzir mais os carros da marca Peugeot por aqui. O que vai ficar é o Groupe PSA com os modelos Citroën’, esclareceram.
Ainda de acordo com as fontes, há ainda uma segunda informação equivocada que foi plantada para desmentir o aQui. É a que diz que Groupe PSA ‘lançou o novo Suv Peugeot “2008, em abril deste ano, com um aporte de R$ 30 milhões de investimentos na fábrica de Porto Real”. Uma das fontes explicou que o ‘2008 foi lançado há mais de cinco anos, e o que houve em abril deste ano’ não foi o relançamento deste carro, e, sim, “uma modesta modificação no desenho do capô e do paralamas”, acrescentando que grande parte do aporte do grupo foi para a produção do Citroën Cactus, e não do Suv 2008.
Entenda
Há cerca de 10 dias, a reportagem do aQui foi procurada – em momentos distintos – por funcionários da Peugeot, que por motivos óbvios pediram anonimato, preocupados com os alertas da PSA envolvendo a produção dos carros Peugeot. Ambos foram unânimes em contar que a montadora francesa estaria retirando a produção de sua marca do Brasil, transferindo-a para a Argentina, onde também possui uma planta industrial. A informação dava conta também de que a unidade de Porto Real passaria, a partir de 2021, a produzir apenas os modelos da Citroën.
Para fundamentar a informação, as fontes contaram sobre ajustes opera-cionais que o Groupe PSA está realizando em Porto Real, e que, inclusive, foram confirmados pela assessoria de Comunicação do grupo, como por exemplo, a redução do transporte fretado para colaboradores que moram dentro do município. Sobre as demais mudanças, como redução de salários, de jornada e férias coletivas de 57 dias programadas para o final do ano, a assessoria disse que “todas as medidas tomadas no PIBR (Polo Industrial Brasil) foram discutidas com o Sindicato dos Metalúrgicos e acordadas com os funcionários, permitindo ao Groupe PSA a manutenção da em-pregabilidade de todos os seus dois turnos de produção”.
É bom que se diga que o aQui torce pelo crescimento da fábrica da Peugeot-Citroën de Porto Real, bem como pela empregabilidade de seus funcionários. Mas não pode deixar de cumprir seu papel, que é dar a notícia como ela é, sem filtro, sem manipulação. O aQui não mentiu ao dizer que os modelos Peugeot 208 e 2008 deixarão de ser produzidos em Porto Real. Esta informação, aliás, já teria sido repassada pela montadora aos seus fornecedores e distribuidores por meio de comunicado-oficial, e, talvez por isto mesmo, não tenha sido desmentida pela assessoria de Comunicação do Groupe PSA. Ficaria feio!
O aQui também não publicou uma inverdade ao dizer que a Peugeot deixará de fabricar seus modelos no Brasil, A informação é verdadeira. Como também é verdade que a PSA manterá sua produção na fábrica de Porto Real. C’estça?

Fimda barragem da Cimento Tupi

A barragem da Cimento Tupi – localizada entre Quatis e Barra Mansa, apontada como sendo de Alto Dano Potencial Associado, será finalmente desativada. A informação foi dada pela gerência da empresa e confirmada pela secretaria de Meio Ambiente de Barra Mansa em reunião na noite de quarta, 7, com moradores da Vila dos Remédios, que vivem nas proximidades da barragem. Ela será tamponada (lacrada) a partir de setembro.  

Com quase 20 metros de altura, a barragem da Cimento Tupi armazena cerca de 205 mil metros cúbicos de resíduos de exploração de quartzo – um minério não- tóxico, utilizado na fabricação de vidros. Por se localizar às margens do Paraíba e da Vila dos Remédios/Floriano, um rompimento poderia atingir a população do bairro e afetar o Rio Paraíba, comprometendo o abastecimento de água para milhares de pessoas. A barragem também fica a 500 metros da Via Dutra, que também poderia ser atingida por toneladas de argila arenosa.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.