Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Quarta-Feira, 20 de Setembro de 2017
0
Publicado em 10/07/17, às 14:00

Renovando a frota

27-03-17 - Fiscalização Onibus - Yuri Melo-2_cor11

Desde que assumiu o Palácio 17 de Julho, o prefeito Samuca Silva tem mantido reuniões com os empresários de ônibus da cidade do aço a respeito do reajuste da passagem. Na última, o presidente do Sindpass (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros), Paulo Afonso de Paiva Arantes, apresentou um documento onde aborda temas que impactam no aumento das tarifas. Um deles, e que gera muitas reclamações, é a gratuidade garantida aos idosos e o documento que eles são obrigados a apresentar para ter acesso ao benefício.

Paulo Afonso, inclusive, garantiu a Samuca que os empresários vão fazer uma campanha de esclarecimento voltada aos idosos com mais de 60 anos. “Estamos cadastrando, sem custo algum, todos os idosos que têm direito à gratuidade. Quem tem mais de 60 anos pode usar os ônibus dentro de Volta Redonda, os que têm pintura amarela, sem pagar”, frisa Paulo, que faz um alerta: “Os idosos, entretanto, não têm direto à gratuidade nos ônibus das linhas intermunicipais (ônibus escrito RJ), que circulam nos bairros limítrofes entres cidades vizinhas, como Barra Mansa e Barra do Piraí. Esse tipo de gratuidade é para idosos com mais de 65 anos”, frisa.

Como presidente do Sindpass, Paulo Afonso sugere que todos os idosos que utilizam ônibus como meio de transporte se cadastrem no órgão. “Fazendo o cartão do idoso, ninguém ficará sujeito a ter que mostrar identidade, ser questionado ou outra questão nesse sentido. Basta passar o cartão na bilhetagem e usufruir do benefício”, pontua, lembrando que existe um posto de cadastramento no segundo andar do Pontual Shopping, na Vila. Para se cadastrar e obter o cartão, o idoso precisa apresentar CPF, RG e um comprovante de residência.

Sem demissões – Outro item apontado pelas empresas nas conversas com o prefeito Samuca Silva diz respeito aos cobradores e motoristas. E Paulo Afonso garante que os empresários não têm a menor intenção de acabar com a categoria dos cobradores. Outra questão é sobre o reajuste salarial dos funcionários das empresas de ônibus. “Fechamos um acordo com o Sindicato dos Rodoviários, que tem data-base em primeiro de junho. O reajuste ficará prorrogado até 30 de julho, mas assim que for fixado o percentual, o pagamento será retroativo ao dia primeiro de junho. Esse é o nosso compromisso”, afirmou. 

Além desses temas, Paulo Afonso quer que a prefeitura avalie a questão do  pagamento do ISS (Imposto Sobre Serviços), já que a maioria das empresas estaria em dificuldades para manter tudo em dia. Pensando nisso, Paulo diz que a categoria irá apresentar ao prefeito um pedido de dilatação no prazo das parcelas, para que as empresas paguem seus impostos atrasados.

Em termos de renovação da frota, Paulo Afonso diz que a categoria tem dois projetos em andamento. “Um deles é que estivemos numa reunião em Brasília para tentar com nossos representantes, uma negociação junto à Caixa Econômica para aprimorar as condições do financiamento do Programa Refrota. Mas, independentemente dos resultados dessa negociação, nós estamos nos comprometendo com o prefeito Samuca que num prazo de até 120 dias (quatro meses), pelo menos 10% da Frota Ativa, que são cerca de 200 ônibus, serão substituídos por novos. Serão 20 ônibus zero km que entrarão em funcionamento”, concluiu, recebendo a seguinte resposta de Samuca: “Sabemos que as empresas precisam reajustar o valor da tarifa, mas a população merece atenção especial e essas condições estão nas negociações”, pontuou.    

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.