Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Quarta-Feira, 20 de Setembro de 2017
0
Publicado em 07/08/17, às 08:53

Recuperando sonhos

carreira

Vestibular não é preocupação apenas para adolescentes. Muitos adultos, com vida estável, família e emprego, estão buscando uma nova graduação – ou até a primeira – para fazer o que sempre sonharam. Segundo pesquisa feita pela Giacometti Comunicação, em 2016, 52% dos brasileiros na faixa dos 30 anos estão insatisfeitos com a carreira. Para mudar isso, muitos acabam voltando aos bancos dos cursinhos pré-vestibulares para seguir um novo caminho.

 

A tarefa, porém, não é muito simples. “Rever conceitos estudados há muito tempo e manter um ritmo de estudos puxado pode ser um desafio para quem já tem um emprego fixo ou filhos, mas, por outro lado, a maturidade e a experiência de vida podem ser aliados diferenciais, fazendo com que o aprendizado seja mais produtivo”, explica o diretor do Curso Positivo, Alceu Gnoatto. Além disso, ele lembra que os adultos costumam ter mais foco e responsabilidade com os estudos, uma vez que eles mesmos arcam com as despesas e compreendem o quanto a dedicação é fundamental para o sucesso.

 

Atualmente, apenas 2% dos alunos do Curso Positivo têm 30 anos ou mais, um contraste com os mais de 5 mil alunos que frequentam o curso todos os dias. Um dos exemplos é Enaiê de Aprígio Zanotto. Com 33 anos, casada e há mais de uma década formada em Farmácia, ela resolveu voltar para as cadeiras do pré-vestibular para ir atrás do que sempre sonhou: a Medicina. “Quando eu era mais nova, não tinha condições de bancar o curso, então fiz o que era mais próximo e viável para o momento. Mas agora as coisas estão melhores e posso fazer o que sempre quis”, conta a farmacêutica.

 

Além do momento mais propício na vida, Enaiê explica que se sente mais madura e consciente para estar em um curso pré-vestibular. “A maturidade ajuda muito; vejo muitos adolescentes desperdiçando a oportunidade que têm, faltando aulas e não se dedicando, porque não têm noção do que podem conseguir aqui. Eu vejo cada aula como uma oportunidade de alcançar meu objetivo”, diz. Para conseguir acompanhar o conteúdo, porém, ela conta que fez algumas aulas a mais para lembrar disciplinas em que tem mais dificuldade. Mas, segundo ela, “nada que um esforço a mais não resolva”.

 

Germano Marcos Cheva está seguindo um caminho parecido. Aos 31 anos, o soldado da Polícia Militar se prepara para a prova de Oficial. “Mesmo sendo um pouco cansativo, trabalhando de dia e estudando à noite, o cursinho foi o melhor meio que encontrei para me preparar”, conta.

Universidades

A procura de adultos por cursos de graduação também pode ser notada nos resultados de processos seletivos de universidades. No vestibular 2016/17 da Universidade Federal do Paraná (UFPR), mais de 2 mil candidatos tinham mais de 30 anos de idade e, dentre eles, 12,4% foram aprovados. Além disso, os dados mostram que, dentre os quase 55 mil candidatos, mais de 6 mil já iniciaram algum curso superior e mais de 3 mil são formados. O maior motivo de prestar o vestibular ressalta a tendência em mudar de carreira: a maior parte dos candidatos alegou “desejar outra formação”, quando perguntados “qual sua principal razão para participar deste processo seletivo”. Os dados podem ser consultados em: https://goo.gl/TY6yS5.  

Sobre o Curso Positivo

Fundado em 1972, o Curso Positivo nasceu de um sonho de um grupo de jovens professores, apaixonados pela profissão, que se uniram por um ideal: criar um curso pré-vestibular diferente, que acompanhasse os estudantes até os dias que antecediam o vestibular – algo pioneiro no Brasil, no início da década de 70.

 

O Curso Positivo utiliza o Sistema Positivo de Ensino, da Editora Positivo, que fornece sistemas de ensino de vanguarda para escolas públicas e particulares, atingindo atualmente mais de 2 milhões de alunos no Brasil e no Japão.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.