Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Sábado, 19 de Agosto de 2017
0
Publicado em 31/07/17, às 10:15

Parado e com fome!

rodrigo

Roberto Marinho

Não se sabe se foi a fome ou a pressa de retornar ao batente; o fato é que na semana passada o prefeito Rodrigo Drable usou as redes sociais para soltar os cachorros em cima da CCR Nova Dutra, que opera a Via Dutra (BR-101), a mais importante do Brasil, onde circula metade do PIB nacional. Drable fez um vídeo relatando que estava parado há quase três horas em um engarrafamento provocado por três engavetamentos sucessivos, com uma vítima fatal.

 

O prefeito de Barra Mansa – cidade que tem o segundo maior trecho cortado pela Dutra – afirmou na gravação, postada na sexta, 21, que a concessionária cobra um pedágio “extorsivo”, para manter uma “péssima” rodovia, salientando que a Dutra conta, no trecho que corta o território fluminense, apenas com duas pistas “desde 1967”, desde que foi privatizada.

 

Rodrigo Drable acertou nas críticas à Nova Dutra, tanto que recebeu apoio da maioria dos internautas – seu vídeo registra mais de 16.755 visualizações, 607  curtidas e 281 compartilhamentos (até o fechamento desta edição, ontem, sexta, 28). Com mais de 144 comentários. Não é para menos. Afinal,  todos os dias, e noites também, milhares de pessoas passam pelas mesmas agruras que o prefeito, que foi para Resende, onde tinha um compromisso – “Resolvi tudo logo cedo”, informa no vídeo – e estava retornando para Barra Mansa. “Isso antes das 8h30min saí da cidade e até às 11h20min eu estava parado na estrada, ainda na altura de Resende. Esse é o meu tempo, o seu tempo, é o nosso combustível – que é caríssimo – sendo jogado fora porque a Nova Dutra é uma péssima concessionária”, avaliou.

 

Ele foi além. “Esse é o momento da gente pensar que tem que ter novamente a licitação da concessão da rodovia. O País inteiro tinha que se unir para falar disso, porque esse é o eixo mais importante (do Brasil)”, afirma Drable, que encerrou o vídeo mandando “um abraço” aos internautas, enquanto ele ficava “na rodovia, parado. “E com fome”, ironizou.  

 

Vala lembrar que recentemente a Via Dutra ficou fechada por mais de 14 horas. Pior. Durante a noite toda, provocada por acidentes, quase que simultâneos, nas duas pistas da BR. Uma viagem de 100 km, entre Rio de Janeiro e Volta Redonda, por exemplo, chegou a ser feita em 14 horas. Parece piada, mas não é!

Mobilização

Rodrigo Drable não ficou só no discurso ou nas redes sociais. Quer criar uma frente com outros prefeitos, parlamentares – estaduais e federais -, além de lideranças políticas e empresariais para pressionar o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre), a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e o governo Federal para que seja estabelecido um novo modelo de concessão, já a CCR Nova Dutra, entre outras, não estaria atendendo uma série de demandas, como, por exemplo, a construção de uma nova pista de descida na Serra das Araras. Detalhe: que estava prevista no edital de privatização. 

 

Na quinta, 20 – um dia antes da gravação onde esculachava a Nova Dutra –, Drable se reuniu com o subsecretário Estadual de Transportes, Delmo Pinho, e o secretário de Desenvolvimento Rural de Barra Mansa, Adilson Rezende, para discutir a necessidade de melhorias nos serviços prestados pela Nova Dutra.

 

Parece até que estava prevendo o que aconteceria no dia seguinte. “Barra Mansa é afetada diretamente pela péssima qualidade do serviço, pagamos caro para ficarmos engarrafados e isso não está correto”, pontuou Drable, que completou: “O contrato que a CCR Nova Dutra assinou há 20 anos não foi cumprido, pois a administradora não atende aquilo que se propôs quando assinou a concessão e o serviço prestado não é digno para permitir o desenvolvimento da rodovia”. 

 

O prefeito de Barra Mansa teve o apoio do subsecretário de Transportes. “Estamos falando de algo suprapartidário para o estado do Rio de Janeiro. É preciso trabalhar a segurança e a economia do estado e a Dutra é de extrema importância. A minha grande preocupação é com a economia que está quebrada e dificilmente será possível voltar ao patamar de quatro anos atrás, porque muitas empresas industriais e de serviços estão se retirando do Rio de Janeiro e isso é aterrorizante”, afirma Delmo Pinho.

 

Acidentes na Dutra

A tarde de quinta, 27, na Via Dutra, voltou a ser trágica. Em dois acidentes envolvendo caminhões, na altura de Barra Mansa, dez pessoas ficaram feridas, duas delas em estado grave. De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), no primeiro acidente, ocorrido na Rua José Hipólito, entrada do bairro Cotiara, um caminhoneiro perdeu o controle do veículo quando pegava a pista de retorno para a Dutra, atingindo seis carros. Nove pessoas ficaram feridas no acidente, duas delas em estado grave. As vítimas foram encaminhadas para a Santa Casa de Barra Mansa. O acidente interditou a via de acesso à Dutra na Cotiara, para limpeza e retirada dos veículos envolvidos.      

Quase ao mesmo tempo, outro acidente ocorreu no km 277, na altura do bairro Vila Ursulino, também em Barra Mansa, na pista sentido São Paulo. Dois caminhões se envolveram num engavetamento. O motorista do caminhão que atingiu a traseira do outro veículo ficou preso às ferragens, com ferimentos graves. Ele também foi encaminhado para a Santa Casa de Barra Mansa.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.