Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Sábado, 25 de Novembro de 2017
0
Publicado em 07/11/17, às 09:29

Ônibus de compras ou de passeio?

Em compras

Versão oficial

Assessoria de imprensa

Prefeitura de Volta Redonda divulga balanço parcial das pesquisas que estão sendo realizadas nesse período de teste do ‘Tarifa Comercial Zero’

Em apenas 15 dias de circulação, o ônibus elétrico já está atendendo a expectativa do governo municipal e dos usuários que utilizam o transporte. De acordo com uma pesquisa de opinião, realizada pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Volta Redonda, 93,9% dos usuários que utilizaram o transporte público se sentiram incentivados a ir ao comércio fazer compras. Desse total, 34,1% foram para a Vila Santa Cecília; 26,6% para o bairro Aterrado; 23,6% para a Amaral Peixoto; e 15,3% para o Retiro.

Ainda segundo a pesquisa, 43,2% dos passageiros queriam conhecer como funcionava o ônibus, 21,4% utilizaram o transporte público para fazer compras e 17,9% para irem ao trabalho. Entre os principais bairros de origem das pessoas que utilizaram o ônibus estão: Retiro, Vila Mury, El Dourado, Santa Cruz, São Geraldo, Ponte Alta, Aterrado e Conforto.

“Somos a primeira cidade do país com um centro comercial integrado e a primeira cidade do Estado do Rio com ônibus elétrico gratuito para a população. Nossa intenção é de aquecer a economia, levando os consumidores aos principais centros comerciais da cidade, sem interferir nas linhas convencionais”, explicou o prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva.

Além disso, o projeto é um grande investimento em proteção ao meio ambiente, já que os ônibus serão elétricos e não poluentes. O prefeito ainda espera que o ‘Tarifa Comercial Zero’ contribua para melhorar o trânsito do município. “Pois vai incentivar que as pessoas deixem seus carros em casa e circulem pelo centros comerciais pelo Tarifa Comercial Zero”, concluiu.

A aposentada Marilene Gonçalves Araújo, de 65 anos, moradora do bairro Vila Mury, aprovou o ônibus. “É simplesmente maravilhoso. Nunca imaginei que na minha cidade fosse ter um meio de transporte tão confortável assim. Agora, até para ir ao médico eu sinto prazer”, comemorou a aposentada.

Quem concorda com ela é o estudante Tácio Matheus Fidélis, de 26 anos, morador do bairro Jardim Amália. “O ônibus é muito confortável e, além de tudo, não polui o ambiente. Já utilizei tanto para trabalhar quanto para ir ao comércio fazer compras”, disse o estudante.

Entenda o projeto

Um ônibus sem gases poluentes, com tarifa zero e que interliga os pontos comerciais da cidade, está circulando desde o inicio do mês, em fase de teste. Com capacidade para 27 pessoas sentadas e 57 em pé, além de espaço para deficiente físico, o ônibus com ar condicionado e wifi tem pontos específicos para embarque e desembarque nos bairros: Vila Santa Cecília, Aterrado, Retiro e Centro.

“Não serão utilizados os pontos de ônibus já existentes. Esse ônibus da Tarifa Comercial Zero vai utilizar pontos exclusivos, que já estão demarcamos, inclusive com horários diferenciados”, explicou o secretário municipal de Transporte e Mobilidade Urbana, Wellin-gton Silva.

 

Confira os pontos de embarque e desembarque:

Ponto 1 (saída): Rua Campos, no bairro Retiro.

Ponto 2: Avenida Paulo de Frontin (ao lado do Palácio 17 de Julho)

Ponto 3: Rua C, na Vila Santa Cecília (atrás do Escritório Central).

Ponto 4: Rua Gustavo Lira, no Centro.

Ponto 5: Rua Eduardo Junqueira, de acesso a Avenida Amaral Peixoto, no Centro.

Ponto 6: Avenida Lucas Evangelista, no Aterrado (próximo ao Saae-VR)

2017-11-01-PHOTO-00000209

A passeio

Por Gabriel Távora

Boa parte dos voltarredondenses está animada com os testes, que terminam na próxima quinta, 9, do ônibus elétrico do prefeito Samuca Silva. Tanto que o veículo se tornou uma atração turística. A todo momento, por exemplo, é possível ver pessoas parando nas ruas para tirar fotos e até mesmo fazer a famosa ‘selfie’ com um dos novos produtos ‘made in Palácio 17 de Julho’. Sem contar aqueles que entram e fazem uma viagem apenas para usufruir do ar-condicionado e ainda do Wi-Fi disponíveis.

A esperança de quem já andou no ‘tarifa-zero’ para que o projeto dê certo e seja implantado é alta. Entretanto, após a primeira viagem oficial, aquela que foi cancelada por causa de uma pane elétrica derivada de uma sobrecarga do sistema do ônibus, ainda há quem ache que o plano não vai deslanchar. “A gente tem que aproveitar enquanto tem. Não sabemos se isso (o ônibus) vai continuar ou não. Eu acredito que depois do teste o prefeito vai falar que não deu certo e aí é mais dinheiro que foi jogado fora” disse uma fonte do aQui, pedindo para não ter seu nome revelado.

Ela pode estar certa. É que os números divulgados pela assessoria do prefeito Samuca não batem com a realidade (ver release ao lado). Levantamento feito pelo aQui mostra que a maioria dos usuários é formada por idosos. Detalhe: fazendo um tour pelas ruas da cidade aço. O sorriso deles – de orelha a orelha – chega a ser contagiante. Alguns chegam até a incentivar outros passageiros a continuar utilizando o ‘Tarifa Zero’ para que o prefeito acredita que a população gostou realmente do novo “presente”. Presente que já ganhou até apelido, carinhoso. O de “trenzinho elétrico da melhor idade”.

Os aposentados estão gostando da novidade. Mas para quem tem que se preocupar com horários, o ônibus não tem se mostrado uma boa opção. Muito pelo contrário. É que o veículo começa a rodar em torno das 8h30min do ponto localizado no Retiro, nas proximidades da Rua Campos. Saindo dali, o percurso pode demorar uma hora ou mais para passar pelo Aterrado, Vila, Amaral Peixoto, retornar ao Aterrado e voltar ao ponto de partida, no Retiro, onde vai ficar mais uns 40 minutos parado. Recarregando as baterias? Não, fica parado à toa até a nova viagem.

Com relação aos pontos de paradas – seis por toda a cidade – a realidade também não agradou a quem já fez um tour  de ônibus elétrico. Os pontos foram, inclusive, considerados mal posicionados e muito distantes uns dos outros. “Às vezes a pessoa quer pegar o ônibus para atravessar a Amaral Peixoto, mas não pode porque o único ponto é logo no começo (nas proximidades do Posto JK) e a próxima parada só acontece perto do Sesi, no Aterrado. Precisa de mais pontos”, argumentou o estudante Tiago Moraes.

Já o comerciante Rubem de Oliveira discordou de Tiago enquanto dava sua primeira volta de ônibus elétrico. Para ele, a localização dos pontos é ótima. Não é para menos. É que sua loja fica na Avenida Paulo de Frontin e sua casa perto do Escritório Central da CSN. “Maravilhoso!”, ressaltou.  “Espero que continue ainda mais porque um só não vai resolver, mas está excelente!”, completou, referindo-se aos novos veículos que a prefeitura pretende adquirir.

Mesma sorte não tiveram dois moradores do Retiro. Eles chegaram às 10h40min ao ponto do ônibus elétrico, que já estava estacionado esperando o próximo horário de partida, que só iria ocorrer às 11h30min. Ao serem informados pelo motorista da previsão de saída do veículo, eles desistiram do passeio e falaram que não valia a pena esperar tanto tempo. Acabaram utilizando um ônibus da Viação Elite.

Ajuda, São Pedro!

2017-11-01-PHOTO-00000211

O ônibus é novo, custa caro e ainda deve gerar dor de cabeça para a prefeitura de Volta Redonda. Além da pane elétrica no seu primeiro dia de funcionamento, o veiculo tem passado por alguns perrengues quando o assunto é a chuva. “Fica de olho aí!”, disse uma funcionária do ônibus para sua colega quando viu que a chuva – quinta, 26 de outubro – estava engrossando, isso porque a saída de emergência da parte da frente do teto estava com goteiras.

Pior. O vão entre as portas e o chão do ônibus faz com que a água escorra e entre direto para os pés dos passageiros. Isso quando não passa algum outro automóvel do lado e joga água de poças pelo mesmo espaço, encharcando os sapatos de quem está ali dentro.

Mas o maior problema mesmo é a internet. Em dias de chuva o Wi-Fi simplesmente para de funcionar. Na verdade, a magia da internet liberada dentro do ônibus acaba quando se descobre que um chip da operadora Claro é responsável por transmitir o sinal para os passageiros. Aliás, estejam avisados: quando tem seu limite atingido, o sinal é cortado e a internet para, só voltando no dia seguinte quando é feita a troca do chip. O aviso de “você atingiu 100% da sua rede móvel disponível” que assombra quase toda a população, é um pesadelo até para Samuca. Ou para quem anda de ônibus às custas do Palácio 17 de Julho. 

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.