Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Terça-Feira, 10 de Dezembro de 2019
0
Publicado em 07/10/19, às 09:38

No governo

Em 2016, o então deputado estadual Nelson Gonçalves obteve 22.215 votos como candidato a prefeito. Apesar da expressiva votação, ficou em quarto lugar (Samuca foi eleito) e, de quebra, perdeu a chance de retornar à Alerj. De outubro de 2016 a setembro de 2019, Nelsinho, como é conhecido, hibernou. Sumiu do mapa. Passou a se dedicar à profissão (ele é médico oncologista), e, principalmente, aos netos. “Não quero saber de política até o final do ano”, chegou a contar o ex-parlamentar ao se encontrar com um repórter do aQui.
Nelsinho, para quem não sabe, tem o sangue político correndo em suas veias. Não é à toa que ele é filho do ex-prefeito doutor Nelson dos Santos Gonçalves, e pai do ex-vice-prefeito Nelson dos Santos Gonçalves Filho. Sua carreira como deputado estadual foi longa. Começou em 1995 e, desde então, nunca se meteu em confusões. Nem em escândalos. Talvez por isso tenha sido convidado – e tenha aceitado – a assumir a secretaria de Governo do Palácio 17 de Julho. “É impressionante a capacidade dele de entrar em gabinetes do governo Estadual, Federal. O nome e a responsabilidade que ele tem, justificou Samuca ao falar sobre o convite a Nelsinho. “Agora ele está à nossa disposição”, acentuou.
Samuca vai além. “Apesar de ser um nome político, foi também uma questão técnica. Estamos aproveitando o que ele já fez pela nossa cidade, pelo nome dele, pela postura dele, o que ele sempre representou. É impressionante a capacidade dele (Nelsinho) de trazer pessoas, autoridades e abrir portas para a prefeitura de Volta Redonda”, crê Samuca.
Procurado pelo aQui, o titular da secretaria de Governo, como lhe é característico, concordou em falar (pouco) com a reportagem. Nem entrou em polêmicas, embora tenha negado ter tido uma conversa com o ex-prefeito Neto ao ser convidado, pela primeira vez, a se aliar a Samuca. Na época, o convite foi recusado e hoje, já no Palácio 17 de Julho, Nelsinho garante não ter conversado com Neto.

aQui: Antes de ser convidado a fazer parte do governo Samuca, o senhor esteve conversando com o ex-prefeito Neto. Ele chegou a lhe fazer alguma proposta de aliança? Qual teria sido?
Nelson Gonçalves:
Desculpe, mas esta informação não confere. Não estive com o ex-prefeito Neto.

aQui: O que o levou a aceitar a proposta do prefeito Samuca de fazer parte da equipe dele?
Nelsinho:
Quem conhece a minha trajetória sabe que sempre trabalhei por projetos e propostas voltadas ao desenvolvimento da nossa cidade e melhoria da qualidade de vida da nossa população. Durante meus mandatos como deputado estadual defendi, incansavelmente, projetos priori-zando setores como Educação, Saúde, Trabalho, Meio Ambiente, entre outros.
O prefeito Samuca Silva trilha esta linha de pensamento da qual comungo, ou seja, ele trabalha com foco nestas áreas, então não poderia deixar de agregar forças a este governo, porque, no final de tudo, o que importa mesmo, é o bem estar da nossa população.

aQui: Como tem vivido longe da Assembleia Legis-lativa? Com quais deputados tem feito contato e acha que Samuca poderia lhe designar como uma ponte entre o Palácio 17 de Julho e a Alerj?
Nelsinho:
Após 24 anos como deputado estadual, fica a experiência parlamentar e acredito estar agregando forças, aproximando o governo Samuca a deputados estaduais e federais.

aQui: Qual será, na prática, a sua missão?
Nelsinho:
Ser justamente, entre outras funções, um elo entre o governo Samuca e a Alerj, além, é claro, de contribuir para colocar em prática, projetos do governo voltados aos interesses da nossa comunidade. Gosto de estar envolvido com a população, ouvir as pessoas e entender os anseios delas em relação à administração pública municipal.

aQui: Como faz parte do governo, a sua candidatura a prefeito em 2020 já estaria descartada? Admite se lançar candidato a vereador ou acha que, por ter sido tantas vezes deputado estadual, isso nunca ocorrerá?
Nelsinho:
A função atual tem me ocupado bastante e sobre as eleições do ano que vem, adianto apenas que o foco agora é trabalhar engajado no projeto político do prefeito Samuca.

aQui: Como analisa a política local na última década?
Nelsinho:
Vivemos em uma democracia onde a decisão da população define as mudanças que vêm ocorrendo.

aQui: Pretende mudar de partido? Por quê?
Nelsinho:
Sou Presidente do PSD-VR.

aQui: Em que ponto o governo Samuca precisa melhorar?
Nelsinho:
Volta Redonda é uma cidade dinâmica e exige investimentos diversificados. Temos uma população atuante, que acompanha o dia a dia, tanto do Executivo quanto do Legislativo, o que considero um ponto positivo. As melhorias estão ocorrendo e se tornam realidade em diversos setores. Alguns projetos, devido a sua amplitude, demandam mais tempo para se tornar realidade, mas as propostas defendidas pelo prefeito estão em prática, muitas, inclusive, já consolidadas.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.