Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Sexta-Feira, 19 de Outubro de 2018
0
Publicado em 09/04/18, às 08:39

No amor

zeca-saae-vr

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto iniciou na segunda, 2, a troca de milhares de hidrômetros em Volta Redonda. Segundo o órgão, a cidade contabiliza 68% de hidrômetros com mais de cinco anos de uso e, importante, cerca de cinco mil não estão funcionando, o que compromete a medição do consumo. São os famosos ‘gatos’. A troca dos aparelhos não vai gerar nenhum custo para os consumidores, garante José Geraldo Santos, o Zeca, presidente do Saae-VR. “A nossa previsão é trocar cerca de 11 mil hidrômetros até o final de 2018”, dispara.

 

Zeca vai além. Explica que a troca será feita de forma gradativa. “Nós dividimos os bairros de Volta Redonda por setores. No total, temos dez setores. Em abril vamos atuar no setor 1, com 13 bairros. Vamos realizar uma média de 1.500 trocas de hidrômetros por mês”, disse. O setor 1 compreende os seguintes bairros: Vila Santa Cecília, São Carlos, Nova Primavera, Minerlândia, Ponte Alta, Morada da Granja, Santa Inês, São Cristovão, Siderópolis, Sidervile, Sessenta, Vila Elmira e Paraíso.

 

Zeca explicou ainda que os hidrômetros com mais de cinco anos de uso também serão trocados, pois esse é o tempo de vida útil do equipamento. “Para os usuários interessados, o Saae pode realizar testes nos hidrômetros. Os testes são realizados para checar se o equipamento está funcionando conforme o previsto”, detalhou, para logo acrescentar: “Os usuários não vão pagar pela troca dos hidrômetros. Estamos realizando esse serviço dentro de um planejamento até alcançar todos os bairros. É importante essa troca pois muitos hidrômetros já ultrapassaram seu tempo útil”, disse.

 

Segundo a direção do Saae-VR, em maio a troca de hidrômetros será realizada no setor 2, que compreende os bairros: Roma II, Parque das Garças, Rio das Flores, (Roma), São Francisco (Roma), Condado do Ipê (Roma), Roma I, Jardim Vila Rica, Village Sul, Casa de Pedra, Monte Castelo, Jardim Belvedere e Jardim Tiradentes. 

 

O usuário que tiver dúvida pode solicitar ao Saae a realização do teste pelos telefones 115 ou (24) 3344-2900. Ou ainda pode ir pessoalmente ao setor de atendimento do Saae.

 

BARRA MANSA – Saae alerta sobre importância da coleta seletiva do lixo

Ao invés de promover campanhas de divulgação em jornais, rádios e TVs, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Barra Mansa está distribuindo informativos, que a maioria joga fora, inclusive nas ruas, para incentivar a coleta seletiva de lixo no Centro da cidade. A medida vai tentar conscientizar lojistas e moradores sobre a importância do procedimento para preservar o meio ambiente. Tudo muito bonito, de eficácia relativa. Além de buscar aumentar o tempo de vida útil do aterro sanitário, o órgão busca economizar nos serviços de limpeza urbana.

Implantada no mês passado, a coleta seletiva no Centro ainda necessita de maior adesão da sociedade, reconhece o gerente de Destinação Final de Resíduos e responsável pelo programa, Sérgio Antônio da Silva. “Os geradores de resíduos ainda não atentaram para a responsabilidade que o município tem a partir do desenvolvimento da coleta seletiva do lixo. Neste contexto, estamos retornando às lojas, edifícios, salas comerciais e residências entregando o material com instruções e orientações sobre o programa e solicitando que cada um disponibilize o lixo reciclável produzido, de forma adequada, no horário determinado pela autarquia”, justificou.

De acordo com Sérgio, logo depois o Saae-BM passará a agir duro contra quem não aderir à campanha. Serão entregues, diz, notificações individuais informativas com abordagem na Lei Federal 12.305/2010, que trata sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos. “A legislação estabelece princípios, objetivos, instrumentos e diretrizes para a gestão e gerenciamento dos resíduos sólidos. Também as responsabilidades dos geradores, do poder público, e dos consumidores, bem como os instrumentos econômicos aplicáveis para a produção do lixo e sua destinação adequada. A lei consagra um longo processo de amadurecimento de conceitos e princípios, como a prevenção e precaução, do poluidorpagador, da eco-eficiência e a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida do produto”, destacou.

A coleta seletiva no Centro é realizada pelo Saae em parceria com a CoopCat (Cooperativa de Catadores de Barra Mansa), de segunda a sexta, das 13h15min às 17 horas. O serviço é efetuado criteriosamente dentro do horário estipulado, assim sendo, comerciantes e moradores devem disponibilizar o lixo reciclável para a coleta seletiva pelo menos cinco minutos antes do horário divulgado pela autarquia.

Diversos bairros do município, como: Ano Bom, Parque Independência, Vila Orlandélia, Santa Rosa, Ary Parreiras, Piteiras, Boa Sorte, São Luiz, Colônia Santo Antônio, Água Comprida, Vila Nova, Jardim Boa Vista, Nossa Senhora de Fátima, São Silvestre, Morro do Cruzeiro e Verbo Divino, além de alguns condomínios, edifícios e empresas como supermercados e escolas já recebem o serviço de coleta seletiva. Ainda este ano, existe a perspectiva de que o projeto seja implantado em outros 24 bairros.

O coordenador de Resíduos Sólidos do Saae, Jackson Rabelo, revelou que a meta é dobrar a quantidade de material reciclável coletado. “Queremos passar das 100 toneladas de lixo reciclável recolhido em 2017 para 200 toneladas este ano. Este crescimento possibilitará a geração de pelo menos mais 20 postos de trabalho e aumento da renda média dos catadores da Coopcat, o que acaba retornando em investimentos no comércio da própria cidade”, ressaltou.

Dicas
O lixo seco, como papéis, papelão, metais, plásticos e vidros, deve ser acondicionado separadamente. Copos plásticos com restos de bebidas precisam ser lavados antes de irem para o lixo. É fundamental que o óleo de cozinha seja colocado em garrafas Pets para a coleta seletiva.
Já o lixo orgânico, como restos de comida, cascas de frutas e legumes, deve ser disponibilizado para a coleta de lixo comum. Enquanto o lixo eletrônico, como monitores de computador, aparelhos celular, impressoras e afins, deve ser descartado em empresas e cooperativas próprias na área de reciclagem deste tipo de material.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.