Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Terça-Feira, 12 de Dezembro de 2017
0
Publicado em 18/07/17, às 11:41

Na mesa

As avaliações: R$ 1.219,75 - Fernando Franco Consultoria Imobiliária R$ 1.400,00 - Ana Lima Imóveis R$ 1.500,00 - Morada Imóveis

As avaliações:
R$ 1.219,75 – Fernando Franco Consultoria Imobiliária
R$ 1.400,00 – Ana Lima Imóveis
R$ 1.500,00 – Morada Imóveis

A direção do Ressaquinha ainda não fez nenhuma proposta oficial à direção da CSN para tentar reaver o campo de futebol que a empresa retomou por decisão judicial. Mas encaminhou três avaliações, feitas por imobiliárias de Volta Redonda, onde apresenta valores que seriam ideais para abrir as negociações pela área localizada no Barreira Cravo. As avaliações não agradaram à direção da CSN, revela uma fonte do aQui. “Eles (o clube) não mandaram propostas. Apenas encaminharam três avaliações: a menor, de R$ 1.219,75, a segunda, de R$ 1.400,00,  e a terceira, de R$1.500,00”, enumera. “As avaliações são questionáveis”, dispara, lembrando que originalmente o clube tinha feito uma proposta irrisória de pagar apenas R$ 500 de aluguel pela área que o Ressaquinha ocupava.

 

A fonte vai além. Garante que a CSN está disposta a abrir uma negociação com os dirigentes do Ressaquinha. E lembra que o caso foi até discutido pelo prefeito Samuca Silva em recente visita ao presidente da empresa, Benjamin Steinbruch. “A intenção da CSN é negociar algo que não signifique apenas a cessão gratuita do terreno. Os dirigentes da UPV também estão favoráveis à negociação”, pontua a fonte.

 

De forma exclusiva para o aQui, a fonte fez uns cálculos que indicam que a CSN poderia até concordar em ceder a área do Ressaquinha desde que o aluguel ficasse em torno de R$ 10 mil. “A equipe da CSN, ao analisar as avaliações feitas pelas imobiliárias de Volta Redonda, chegou à seguinte conclusão: A primeira de R$ 1.219 – única que apresentou racional de cálculo, tem como premissa uma renda anual de 0,4%… = 0,033% ao mês. É um valor muito baixo, pois normalmente o aplicável é de 5% ao ano / 0,4% ao mês, o que daria um aluguel mensal de R$ 9.930,00”, avalia.

 

O número pode assustar a quem não entende do assunto, mas é bom que todos saibam que, segundo a fonte, a direção da CSN não vai se apegar apenas em números. “Esse caso (do Ressa-quinha) não se resolverá apenas com números. A direção da empresa está analisando outras alternativas que poderiam ser negociadas”, finaliza.

 

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.