Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Sexta-Feira, 14 de Dezembro de 2018
0
Publicado em 26/11/18, às 08:31

…na cidade do aço

Por Vinícius de Oliveira

Nas eleições de outubro, quando muita gente boa foi enterrada, politicamente falando, o deputado estadual Gustavo Tutuca (MDB) conseguiu duas proezas: a primeira foi se reeleger para a Assembleia Legislativa, o que já era esperado, apesar de estar em uma legenda que passou a ser tida como maldita. A segunda, que mexe com seus brios de político do interior (ele é natural de Piraí, terra de Pezão), é o fato de ter sido o mais votado da região. Só em Volta Redonda e Barra Mansa, principais colégios eleitorais do Sul Fluminense, o emedebista obteve 4.369 e 2.671 votos, respectivamente.

 

 Não é de hoje que Tutuca virou nome forte na região, mas sua influência, até alguns anos, se restringia a Piraí, seu principal reduto eleitoral. Só que seus planos e sonhos eram – e são – bem maiores. Com o afastamento da vida política de Edson Albertassi, ainda deputado, e Gotardo, ex-prefeito de Volta Redonda, Tutuca viu o caminho livre para se consolidar na região e no próprio estado.

 

Com importantes instituições estaduais nas mãos, como a Faetec, o resultado obtido por Tutuca nas urnas lhe credencia para voos mais altos. Inclusive se candidatar a prefeito. Engana-se quem acha que as ambições do emedebista se restringem à pequenina Piraí. Pessoas mais próximas a ele garantem que seu maior sonho é comandar Volta Redonda, o município mais importante da região. Embora não admita que vá concorrer ao Palácio 17 de Julho nas eleições de 2020, Tutuca já começou a trabalhar a hipótese.

 

Uma das suas primeiras providências foi passar a morar na cidade do aço. “Moro em Volta Redonda desde o início do ano”, confirmou, procurando, entretanto, fugir do tema 2020. “Minha pretensão política, no momento, é retribuir a votação que tive na cidade e defender os interesses do município na Assembleia Legislativa. Quanto a disputas futuras, não tenho planos de ser candidato no próximo pleito”, comentou, deixando no ar que seu sonho poderá ficar para 2024. Ou não.

 

Sobre o resultado das eleições de outubro, Tutuca não usa falsa modéstia, garante que era esperado. “Mais uma vez, tive uma votação expressiva nas duas cidades (Barra Mansa e Volta Redonda), sendo um dos deputados mais votados em Volta Redonda, Barra Mansa e na região. Em Volta Redonda, inclusive, fui o candidato eleito mais votado do município. Esse resultado acabou ficando dentro do esperado. E o feito é importante para mim, já que essa foi uma eleição atípica, com o eleitor sendo bastante seletivo. A votação que tive mostra que conseguimos ter o reconhecimento da população”, pontuou na entrevista exclusiva ao aQui.

 

Questionado a respeito da atuação de Samuca à frente do Palácio 17 de Julho, Tutuca procurou ser neutro. “Volta Redonda tem um governo que ainda está em construção. Um trabalho que vem sendo feito com seriedade, dedicação e zelo pela coisa pública. Nos cenário estadual e nacional, recebemos das urnas uma mensagem clara de mudança. Espero que, com essa mudança manifestada nas urnas, possamos ter uma retomada do desenvolvimento do estado e do país”, avaliou, salientando que o emprego deve ser prioridade. “Precisamos voltar a gerar emprego e renda para as pessoas terem dignidade. Com emprego e renda, resolvemos muitos dos problemas, como o da segurança, que aflige tanta gente. Em nível estadual, Volta Redonda é a cidade mais importante do sul do Estado e uma das mais importantes do Rio de Janeiro. Nacionalmente, pela sua importância econômica, sempre foi e será influenciadora política”, crê.

 

No que diz respeito aos escândalos de corrupção envolvendo homens importantes de seu partido e indagado se pretendia se afastar da sigla para que as denúncias não respinguem nele, Tutuca foi pragmático. Disse que não pretende mudar de partido e que espera que as pessoas confiem nele, mesmo estando no MDB. “Fiz uma opção de disputar a eleição pelo MDB. Isso por entender que o partido tem uma história importante na construção da democracia no nosso país. Acredito que um partido não pode ser julgado por algumas pessoas que possam ter tido problemas na sua vida pública. Atualmente, até por conta da fidelidade partidária, não existe possibilidade de me desfiliar (do MDB). O momento é de reconstrução do partido no Rio e no Brasil, com novas pessoas, novas lideranças”, garantiu.

 

Tutuca também falou sobre Jair Bolsonaro, presidente eleito, e Wilson Witzel, governador eleito. “O governador e o presidente eleitos foram uma mensagem das urnas por mudança. Uma virada de página, que é o que a população espera. Já me encontrei algumas vezes com o governador eleito. Espero que ele faça um governo que dê sequência à reconstrução do estado, com geração de emprego e renda, para que possamos cuidar das áreas mais sensíveis, como a segurança pública e a geração de emprego”, opinou, afirmando que pretende manter relação amigável com Witzel. “O governador parece estar motivado a dar continuidade ao trabalho de reconstrução.  Da minha parte, mesmo não o apoiando na eleição, não vejo motivo para não ter boa relação e ajudar na construção da governabilidade”, finalizou.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.