Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Terça-Feira, 12 de Dezembro de 2017
0
Publicado em 10/07/17, às 13:55

‘Mea culpa’

“Venho aqui pedir desculpas pelos transtornos que você encontra no seu dia a dia na cidade”. Foi assim, com essas palavras e fazendo um mea culpa, que o prefeito Samuca Silva começou um vídeo, de quase cinco minutos, que postou em suas redes sociais. O intuito da postagem, disse o prefeito, era mostrar como encontrou a cidade do aço quando assumiu o mandato. E ainda mostrar as medidas de gestão que já tomou à frente do Palácio 17 de Julho. O problema é que, mesmo pedindo desculpas, Samuca fez questão de jogar a culpa no ex-prefeito Neto, hoje seu inimigo político nº 1.

Pedindo um pouco de paciência para a população, Samuca – fazendo alusão a uma frase dita durante a campanha -, afirmou que queria ter uma conversa com os voltarredondenses ‘sem blá blá blá’. “O momento não é de promessas, mas sim de ajustes. Recebemos uma cidade falida, cheia de problemas e de cascas de banana, como se diz por aí”, bradou, dizendo que quando assumiu a prefeitura, estavam faltando remédios nos hospitais, professores nas escolas, material escolar e ainda havia obras inacabadas. “E muitos pontos abandonados. Registramos tudo que pode ser acompanhado no blog ‘A cidade que herdamos’”, comentou, pedindo para a população acessar o blog que criou, recheado de fotos pontuais da cidade do aço.

Samuca jura, por exemplo, que, através de auditorias feitas, descobriu que a dívida da prefeitura passa de R$ 1 bilhão. “Mas nossa receita é de R$ 800 milhões”, comparou, ressaltando que, ao assumir, existia uma dívida de R$ 100 milhões com fornecedores para pagamento imediato – como merenda escolar, material hospitalar, limpeza urbana, entre outros. “Esses são casos de pagamento atrasados, alguns até com cinco meses de atraso”, disparou. “Denunciamos essas irregularidades ao Ministério Público e aos Tribunais de Contas do Estado e da União”, acrescentou, ressaltando que autorizou auditorias e sindicâncias na prefeitura.

“Nosso déficit, que é quando acaba o dinheiro, seria agora em junho. Mas com todo o esforço de redução de despesa, com muita gestão pública, jogamos para agosto. Estamos renegociando as dívidas”, explicou, destacando que 54% da receita municipal são usados para a folha de pagamento de pessoal. “Ou seja, metade do que a gente arrecada é destinado para pagamento de pessoal. Por isso fizemos o recadastramento dos servidores públicos”, completou, sem dar detalhes do resultado obtido. Não disse nem se chegou a encontrar ‘funcionários fantasmas’, que apostava existirem.

O prefeito, tentando se desvencilhar das críticas, foi além. Disse que a cidade, quando assumiu, estava com muitos buracos e sem asfalto para tampá-los. “Licitamos e abrimos nossa usina de asfalto. Já iniciamos uma Operação Tapa Buraco em toda a cidade”, completou. “Também não tínhamos professores no primeiro semestre há tempos. Mas já convocamos novos auxiliares e professores. Registramos a falta de material nas escolas, pois os contratos estavam vencidos. Já os materiais serão entregues”, prometeu, esquecendo-se que os alunos da rede municipal já estão prestes a entrar de férias. 

Na área da Saúde, diz Samuca, existiam mais de 20 mil pessoas inscritas numa fila de espera para atendimento médico. “Já chamamos mais de 12 mil pessoas. Centenas de pessoas esperavam há anos por uma cirurgia de catarata, e conseguimos que mais de 300 fizessem a cirurgia”, destacou. Sobre desenvolvimento econômico e geração de empregos, o prefeito disse que, nos últimos dois meses, a cidade registrou um saldo positivo entre empregos e desempregos.

“Estamos no começo de uma mudança ainda maior”, jurou Samuca. “Mas entenda: se seu lixo está sendo recolhido, se a escola do seu filho funciona, mesmo com todos os problemas, é porque estamos fazendo uma gestão pública eficiente”, garantiu. “Nós somos a primeira prefeitura com PPA (Plano Plurianual) Participativo e Digital. Participe da mudança na cidade”, pediu.

Ao concluir, Samuca destacou que estaria apenas há cinco meses no cargo (o vídeo era gravado). “Estamos fazendo os ajustes para garantir os recursos necessários para o futuro. Pensa na sua casa: quando falta dinheiro, o que você faz? Corta excessos, diminui custos, renegocia dividas. Esse é o nosso momento e estamos avançando com diálogo e eficiência. Muito obrigado”, concluiu Samuca. Ah, o vídeo alcançou, até o fechamento desta edição, 21 mil visualizações.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.