Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Domingo, 30 de Abril de 2017
0
Publicado em 10/04/17, às 10:02

“Me esquece e vai trabalhar”

neto (6)_cor

A manhã de ontem, sexta, 7, foi gratificante para o ex-prefeito Neto. E, por tabela, decepcionante para o atual prefeito Samuca Silva. É que, ao participar do programa de Betinho Albertassi, o Fato Popular da Rádio 88, onde abordou a polêmica sobre a votação de suas contas na Câmara de Volta Redonda, Neto ganhou apoio da maioria dos ouvintes. “99% ficaram do lado do Neto”, avaliou Betinho, em conversa com um repórter do aQui. “Muitos clamavam pela sua volta”, completou, fazendo questão de enviar cópias dos depoimentos dos ouvintes à redação do jornal.

 

Betinho estava certo. “Volta, Neto” foi o bordão mais usado pelos ouvintes do Fato Popular. O ex-prefeito, é claro, adorou. E na entrevista insistiu em pedir a Samuca que o esqueça de vez. “Eu já pedi uma, duas vezes, ao Samuca para me esquecer e trabalhar. Mas ele não quer me esquecer. Essa preocupação comigo é burra”, avaliou Neto. “Não sou inimigo dele. Não serei candidato a deputado estadual, deputado federal ou a prefeito. Não serei candidato a nada. Ele tem que me esquecer. Tem que olhar para frente”, reiterou.

 

Provocado por Betinho Albertassi a analisar os 100 primeiros dias da gestão Samuca – que serão completados na segunda, 10 –, Neto inicialmente disse que se sentia incomodado de fazer tal análise. “Meu coração não permite isso”, disparou. Mas, logo a seguir, deu o recado: “Todo mês, desde que tomou posse, ele cita o estado de calamidade pública que decretou como desculpa para atacar meu governo. Não existe calamidade. A prefeitura de Volta Redonda tem mais de R$ 100 milhões em caixa, é só uma questão de gestão, saber usar esse dinheiro” alfinetou.

 

Neto também disse ao Fato Popular da Rádio 88 que Samuca, na opinião dele, estaria por trás da armação para pressionar a Câmara de Volta Redonda a rejeitar suas contas de 2011 (ver matéria completa nas páginas 6 e 7). “Ele fala que não é (a briga com ele) uma coisa pessoal. Mas com certeza ele está por trás disso. Ele chamou os vereadores, os 7 da base dele, e outros para assinar o requerimento de urgência e preferência. Pediu para que todos votassem contra mim”, disparou o ex-prefeito. “O que o leva a fazer isso?”, indagou o ex-prefeito, acrescentando saber que alguns dos vereadores do ‘Grupo dos 14’ estariam dispostos a votar contra ele a pedido de Samuca. “O parecer do TCE é político, como a análise das minhas contas na Câmara de Volta Redonda será política”, avaliou.

 

A Betinho Albertassi, o ex-prefeito acabou revelando o que ele entende ser um fato inédito. “Em 2012, o deputado Edson Albertassi ia me levar ao TCE para que eu pudesse explicar alguns fatos da prestação de contas de 2011. Estávamos disputando a eleição e nós achávamos que venceríamos já no primeiro turno. Não deu. E eu não pude ir à reunião com o conselheiro do TCE. O Albertassi foi e levou alguns dos meus assessores para explicar tudo. Eles não foram atendidos, pois o conselheiro se sentiu ofendido. E ele votou pela rejeição das contas. Foi uma decisão política”, revelou Neto.

 

Ainda com relação à análise das contas de 2011 na Câmara de Volta Redonda, Neto fez questão de expressar seu aborrecimento com a postura de Samuca. “A população de Volta Redonda não está preocupada com a aprovação ou não das minhas contas em um processo político. Essa é a menor preocupação do povo. O que interessa é a saúde, a educação, os buracos etc”, disparou, de forma irônica. “Isso (as contas) só interessa a um grupo de 30 empresários”, ironizou, referindo-se ao grupo ligado à direção da Associação Comercial, que apoia Samuca Silva. “Que o prefeito me esqueça, que trabalhe. Que complete as obras que deixei quase prontas. Tem obras com 90% prontos; é só ele completar e inaugurar”, avaliou.

 

Antes de se despedir dos ouvintes que pediam a sua volta ao Palácio 17 de Julho, Neto deixou no ar uma informação que merece ser analisada. De que a gestão Samuca teria contratado uma empresa de ortopedia desnecessariamente. “Nós fazíamos cerca de mil consultas com especialistas no Estádio da Cidadania durante o meu governo”, declarou, sem detalhar qual seria a irregularidade.      

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.