Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Quarta-Feira, 15 de Agosto de 2018
0
Publicado em 17/07/18, às 08:17

Macaco morreu por Febre Amarela

A confirmação da morte de um macaco com febre amarela na área ao redor do Clube dos Funcionários acendeu novamente o alerta para a doença, depois da crise do início deste ano, que levou à antecipação das campanhas de vacinação em todo o Brasil. O animal foi encontrado morto nas dependências externas do clube, e o curioso é que a data em que isso ocorreu, até prova em contrário, não bate.
Para a direção do Clube dos Funcionários, o incidente foi há apenas três meses. Mas há quem garanta que o macaco foi encontrado morto há um ano. Mais especificamente, em fevereiro de 2017. O que pode ter provocado a divergência é que o laudo confirmando a doença só foi liberado no mês passado, segundo informou a assessoria de comunicação do Clube dos Funcionários.

Para reforçar a tese de que a morte foi recente, a assessoria do clube disse que só liberou o comunicado por uma questão de transparência e para alertar as pessoas sobre a necessidade de se vacinar. Pode até ser. Em levantamento feito pela secretaria de Saúde de Volta Redonda a pedido do aQui, pelo menos 74,8 mil pessoas ainda não se vacinaram na cidade – 42,4% do público alvo, estimado em 225 mil indivíduos.

Ou seja, para estas pessoas, de nada adiantaram as campanhas de vacinação, os inúmeros alertas das autoridades de Saúde, e nem o desespero de quem queria se vacinar e enfrentou filas quilométricas nos postos de saúde. Muito menos os 168 casos registrados na região, que causaram 50 mortes no Sul Fluminense.  

De acordo com os dados divulgados pela secretaria de Saúde de Volta Redonda no final de fevereiro, auge da preocupação com a doença, cerca de 145 mil pessoas haviam sido vacinadas na cidade. E como até 10 de junho – última atualização dos números – foram aplicadas 150.183 doses da vacina, fazendo os cálculos aproximados, chega-se à conclusão que em cerca de quatro meses foram aplicadas pouco mais de 5 mil doses da vacina. Muito pouco, para uma doença que assustou tanta gente.

Correndo risco
A grande questão é que este descaso com a vacinação foi uma das causas principais apontadas pelos especialistas para a volta da febre amarela, no surto que assolou o Brasil no final do ano passado e início de 2018. Com a falta de consciência de uma parte considerável da população – em Volta Redonda, praticamente a metade do público alvo –, o risco se torna maior para todo mundo.  

De acordo com as informações da assessoria do Clube dos Funcionários, foram feitas em duas ocasiões campanhas de vacinação dentro do clube, para associados e colaboradores, em parceria com a secretaria de Saúde de Volta Redonda. A assessoria informou que todos os funcionários do clube foram vacinados. Pelo menos lá, a consciência está funcionando. Espera-se que no resto da cidade ela também dê as caras.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.