Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Terça-Feira, 23 de Abril de 2019
0
Publicado em 15/04/19, às 11:37

História

Amanhã, domingo, 14, será comemorado o dia internacional do café. É um bom motivo para lembrarmos da trajetória e das novas tendências com relação ao grão, cuja bebida vive popularidade crescente no mundo todo. O produto, que tem o Brasil como segundo maior consumidor, passa por momento de gourmetização, com maior foco no sabor e qualidade do que propriamente no efeito da bebida. O que especialistas chamam da “terceira onda do café”, em que o rastreamento da produção e práticas sustentáveis são fundamentais para o reconhecimento da qualidade do café pode ser conferida pelos turistas que visitam o Vale do Café, região turística do sul do Estado.

 

A relação do café com a região data do século XIX e teve o auge da produção do grão entre as décadas de 1850 e 1880, quando municípios como Vassouras, Valença, Barra do Piraí e Rio das Flores, entre outros, foram responsáveis pela produção de 80% de todo o café consumido no mundo. Com a abolição da escravatura, arrasamento do solo e decorrente queda do preço do grão, o cultivo extensivo de café desapareceu. Felizmente preservadas, algumas fazendas históricas ainda existem e podem ser visitadas, oferecendo em sua arquitetura e mobiliário importante registro de uma época.

 

Reunindo cinco fazendas históricas já em atividade turística na região, o projeto “Vocações Regionais da Cultura Fluminense”, realizado pelo governo do Rio, sob gestão da analista Lidia Espíndola, atualmente conduz a etapa final no processo de implementação. Segundo ela, a ideia é aproveitar a proximidade da região com a cultura do café e unir a demanda dos visitantes à tendência no consumo de café de alta qualidade. “Durante o Festival Vale do Café, os visitantes, sempre encantados com a história, perguntavam-se por que não podiam ver os pés de café. Poucas fazendas abertas à visitação ainda mantinham a cultura, e decidimos ampliar essa prática incluindo novas propriedades produtoras e afinando o processo dos cultivos já existentes”, conta Lidia.

Primeiras colheitas

Após dois anos de trabalho, a Fazenda União, em Rio das Flores, espera a primeira safra comercial para o mês de maio. Os nove mil pés de café ‘Arábica’ produzirão cerca de 70 sacas, que serão vendidas internamente em forma de bebida e em grãos aos visitantes da fazenda.

 

Na União, a visita começa pela sede da fazenda, famosa pelo rico acervo histórico, com itens de museu, e continua com breve caminhada até o cafezal, para explicação da produção e posterior degustação. Como parte do projeto, a fazenda prepara um jardim de variedades para apreciação, com espécies do Brasil Império como Typica, Bourbom amarelo, Bourbom vermelho, entre outras.

 

“Na implantação e manejo do cafezal, recebemos orientação do professor Flavio Borem, da Universidade Federal de Lavras, especialista em cafés especiais, que sugeriu a irrigação por gotejamento. um mostra do nosso solo foi enviada à Universidade para avaliação e posterior enriquecimento. Tudo indica que teremos um grão de excelente qualidade”, conta o empresário Mário Vasconcelos, proprietário da Fazenda União.

Especial e orgânico

Na Fazenda Alliança, em Barra do Piraí, toda a produção é orgânica, incluindo o novo cafezal, que já está em processo de colheita, toda feita manualmente. A visita começa com apresentação do original circuito de lavagem e seleção de café, algo único na região, criado pelo antigo proprietário, o Barão de Rio Bonito. Os visitantes percorrem o caminho do grão, que era levado por água até o terreiro de secagem. Após, seguem para o plantio do grão, que embeleza o morro, em curva de nível, entendendo-se por área de mais de 2,2 hectares.

 

Com proposta agroecológica de produção de hortaliças, frutas e búfalas orgânicas, a Fazenda Alliança já possuía produção espontânea de café sombreado, remanescente do café original, que aparece como ingrediente de bolos e doces servidos ao fim da visita. Também está no cardápio o queijo de minas orgânico, feito a partir do leite de búfala produzido na fazenda.

 

“Nosso intuito é em breve oferecer um café personalizado, com secagem natural e torra definidos de acordo com o desejo de cada cliente. A produção é exclusiva, propositalmente em pequena escala, possibilitando um contato com todo o processo de produção do grão.”, conta a arquiteta Josefina Durini, proprietária da Alliança.

 

Para Lidia, além de vender um produto de alto padrão, o objetivo é valorizar a história e tradição da região na produção do grão. “Participando desse movimento em que o café deixa de ser commodity para tornar-se um produto diferenciado, plantado e colhido com cuidado, a região agrega qualidade à sua imagem, abrindo caminho para o reconhecimento de demais produtos da região”.

Visitas  

Hotel Fazenda União (Rio das Flores, RJ) –

Visitação guiada com historiador pela casa sede e passeio pelo cafezal. Reservas: (24) 99915-1210 www.fazendauniao.
com.br

 Fazenda Alliança (Barra do Piraí, RJ) – Visita pelo antigo circuito do café e visitação ao cafezal orgânico. Reservas: (21) 97034-2948 | (21) 99321-1646 | fazendaallianca.com.br

Rio é a capital mais popular no Instagram

O Brasil é o segundo país com o maior número de Instagrammers no mundo. De acordo com levantamento publicado pela agência de pesquisas americana eMarketer, cerca de 44.9 milhões de brasileiros utilizam a rede social, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, com uma base de usuários superior a 85 milhões. Todos os dias milhares de fotos são compartilhadas mostrando experiências, contando histórias e marcando novos destinos. Viajar e Instagram são uma combinação inseparável, por isso, o buscador e comparador de preços para aluguel de temporada, LarDeFérias, fez um levantamento das 10 capitais mais populares no Instagram.

Com mais de 23 milhões de hashtags, o Rio de Janeiro encabeça a lista das capitais. O bairro da cidade maravilhosa com maior presença no Instagram é Copacabana (2.461,126 hashtags) e, como esperado, o monumento mais popular é o Cristo Redentor (739,814 hashtags). Em segundo lugar da lista está São Paulo com mais de 15 milhões de hashtags. Na capital paulista, a região de Vila Madalena aparece como a preferida entre instagramers com mais de 640 mil postagens. Salvador ocupa a terceira colocação, com sua hashtag sendo utilizada em mais de 7 milhões de postagens e o Pelourinho destaca-se como o bairro mais po-pular (283,518 hashtags).

Recife e Fortaleza seguem a lista ocupando a terceira e quarta colocação e responsáveis por fotos do litoral de tirar o fôlego. Em sexto lugar está a capital do país, Brasília. Comumente associado à política, o planalto central mostra que não fica atrás no seu potencial turístico com mais de 5 milhões de hashtags.  Curitiba e Florianópolis representam a região sul no ranking, e, finalmente, Goiânia e Belo Horizonte fecham a lista das 10 capitais mais populares no Instagram. Veja aqui a lista completa com todas as 27 capitais.

A cada dia milhares de novas fotos são postadas e esse ranking pode alterar-se em alguns meses. Fica a pergunta: quais serão as cidades mais populares até o fim do ano?

Metodologia

Foram analisadas as quantidades de hashtags utilizadas em postagens para todas as capitais do Brasil e a partir daí extraídas as 10 mais populares. Os dados foram coletados em 04/04/2019.

Sobre LarDeFérias:

LarDeFérias (www.lardeferias.com.br) é uma plataforma inde-pendente para com-paração de preços en-tre aluguéis de tem-porada que permite que você busque a melhor oferta entre mais de 16 milhões de imóveis catalogados de mais de 600 prove-dores em mais de 200 países. Com funciona-lidades como Filtros Inteligentes, usuários podem encontrar o lugar ideal para suas férias de acordo com datas, preços e comodidades.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.