Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Domingo, 18 de Agosto de 2019
0
Publicado em 22/07/19, às 11:48

Fato ou fake 

Vinicius de Oliveira

Três dias depois de completar 65 anos, pode-se dizer que Volta Redonda ainda é uma jovem senhora. Apesar da pouca idade, o município carrega por baixo das fuligens do aço que lhe renderam fama nacional e o apelido peculiar, mistérios que com certeza vão intrigar o leitor. São histórias contadas de pai para filho desde a emancipação política e administrativa da cidade, em 1954.

Muitas delas certamente alguém já ouviu em algum canto ou leu em livros de história. Outras, no entanto, são desconhecidas do grande público, riquezas que estavam escondidas nas memórias dos voltarredondenses mais antigos até que um internauta desconhecido resolveu trazê-las à tona. O autor misterioso reuniu, ao todo, 20 curiosidades de todo tipo. Fatos que contam a história, por exemplo, do Jardim dos Inocentes, passando pela Greve de 1988 na CSN e até das personalidades famosas que viveram ou passaram por aqui.  

A lista, de forma despretensiosa, chegou a viralizar nas redes sociais e, para comemorar o 65º aniversário da cidade do aço, o aQui, com a ajuda de historiadores e pessoas que conhecem bem a história de Volta Redonda, apurou quais itens seriam verdadeiros e quais não passariam de contos da carochinha. Alguns, dado às suas peculiaridades, não puderam ser confirmados.

 

1) O nome real do ‘’Jardim dos Inocentes’’ é Praça Esperanto. Apesar de ter esse nome tão fraternal, o local, que no começo era uma praça só com bancos, foi remodelado e transformado em jardim e é mais conhecido pelo submundo como “praça dos dorme sujo’’ ou pequena Amsterdã.   

Fake: Segundo o presidente do Conselho Municipal de Cultura de Volta Redonda e artista popular Carlos Eduardo Giglio, a história do Jardim dos Inocentes é menos dramática do que pinta o internauta desconhecido. “O Jardim dos Inocentes sempre foi um jardim. E tem esse ‘apelido’ porque nos primeiros anos da cidade, babás e mamães iam com seus babies tomar sol nesse jardim tão lindo”, contou, sem saber afirmar se Esperanto era, de fato, seu primeiro nome. A verdade é que o termo “Jardim dos Inocentes” acabou se popularizando e a prefeitura fixou por lá uma placa oficializando o nome.   

 

2) Existe uma cápsula do tempo enterrada embaixo do obelisco da Praça Brasil; essa cápsula contém sonhos e alguns objetos que alguns cidadãos ansiavam para o futuro. O ato, junto com a inauguração da praça, teve a presença do ex-presidente Juscelino Kubitschek.  

Fato e fake. Não há notícias oficiais da existência da tal cápsula na Praça Brasil, mas é verdade que Juscelino esteve em Volta Redonda prestigiando a inauguração da referida praça, em 24 de janeiro de 1957.  Porém, esta não teria sido a única vez. Segundo o extinto jornal ‘A Noite’, o ex-presidente esteve em Volta Redonda um ano antes ao lado de ninguém menos que Richard Nixon, ex-presidente dos EUA. As duas comitivas – de Nixon e JK – foram trazidas por cinco aviões, que pousaram no Aero Clube em pleno verão tropical. A visita causou furor na pequena cidade do aço, mesmo já acostumada a receber figurões como Getúlio Vargas, que gostava de se hospedar no Hotel Bela Vista.

Em seu discurso, Nixon chamou Volta Redonda de a “Pittsburgh do Brasil”, já que a americana também era conhecida como “Cidade do Aço”, por conta das várias usinas instaladas por lá. “Tão grande ou maior do que a Pittsburgh que eu conheço, mas com um pouquinho menos de fumaça”, teria dito Nixon.  

Já Juscelino teria afirmado que Volta Redonda era “um monumento da amizade norte-americana e brasileira. Uma prova do que deve e pode ser a colaboração entre as duas nações”.  

Voltando ao tema da cápsula abordado pelo internauta desconhecido, ele pode estar se referindo à que foi colocada pelo prefeito Samuca Silva na Praça Sávio Gama, no Aterrado, em comemoração ao aniversário de Volta Redonda no ano passado, e que só será resgatada em 2038. Quando for aberta – daqui a 19 anos – será possível retirar da cápsula informações guardadas para gerações futuras, como mensagens escritas por alunos de escolas municipais, os jornais do dia 17 de julho de 2018; um pendrive com fotos que retratavam Volta Redonda; o filme com as atrações da festa de 64 anos; além de uma flâmula do município.

3) A greve de 88 e a causa operária foram as grandes notícias daquele ano e geraram intensas mobilizações, causando comoção da classe artística, debates (…) me atrevo a dizer a grande moda daquela época, e foi decisiva no debate para as eleições presidenciais de 89. E foi responsável pelo aumento de popularidade de políticos de esquerda e progressistas, fazendo estes terem importantes vitórias em cidades como São Paulo. Foi responsável também pelo ressurgimento da igreja católica nas bases operárias.  

Fato. Assim como no resto do país, Volta Redonda vivia um momento de abertura política, com ideais de esquerda efervescendo pelas ruas da cidade. A greve da CSN – com a morte dos três operários – foi o estopim para um forte debate político que buscava participação popular. De acordo com o historiador barramansense Leonardo Angelo, estudioso da cidade do aço, foi nesta época que surgiu por aqui o movimento negro. “Tanto que elegeram o senhor José Garcia (vereador) no mesmo ano que elegeram o Juarez para prefeito. A campanha da fraternidade de 1988 ajudou muito com a questão racial à época, pois era uma temática que tratava do racismo”, explicou.  

 

4) Por ser o marco zero, a região da Avenida Amaral Peixoto é o verdadeiro Centro da cidade, porém as pessoas por costume nunca assimilam esse fato ao lugar e muitos acham que a Vila é o centro da cidade.  

Fato. A Amaral Peixoto é, de fato, o centro de Volta Redonda. Mas, conforme explica a professora de Geografia Mafalda de Oliveira, não só a Vila Santa Cecília, mas também o Retiro e o Aterrado são considerados bairros centrais dado à pujança comercial existente nesses locais. “A Vila faz parte da Zona Central da cidade, com cerca de 1 km² de área. Lá se encontra a parte comercial mais moderna e diversificada de todo o Sul Fluminense, sendo um dos atrativos do município. Possui diversas praças arborizadas e clubes, além de shopping centers e outros centros comerciais, cinemas e teatros, além da maior biblioteca pública da região e o Zoológico Municipal de Volta Redonda, único no interior do estado do Rio. Não é à toa que as pessoas pensam que a Vila é o centro de Volta Redonda”, comentou.  

 

5) Vários bairros, como 208, 207, 60, 249 e São João, eram ruas e avenidas de alguns bairros como Conforto, Centro, Vila e São Lucas e devido às pessoas usarem como termo de moradia, foram desmembrados de seus bairros originais e suas ruas em volta foram anexadas e transformadas em bairros, tendo sido oficializados no Plano Diretor de 2005.  

Fato.  Segundo o urbanista e arquiteto Ronaldo Alves, a Rua 207 era a principal entrada de Volta Redonda desde os anos 1950 até 1976, quando foi inaugurada a VRD 001 Rodovia do Aço; depois, em 1985, a Tancredo Neves; e depois, em 1989, a dos Metalúrgicos. “Mas a 207, no trecho entre a atual cabine da PM e a entrada da sede do Voltaço, era plena de estabelecimentos comerciais. Sempre foi uma área de centralidade conhecida. E assim se manteve até os dias de hoje, dominando uma área em seu entorno, sendo assim reconhecida como bairro  207”, afirmou, indo além. “Da mesma forma aconteceu com a Rua 60”.

 

6) Em sua visita ao Brasil, o filósofo existencialista Jean Paul Sartre e sua esposa, Simone de Beauvoir, em seu trajeto para São Paulo vindos do Rio de Janeiro, foram ‘forçados’ a se hospedar no Hotel Bela Vista por uma noite, devido a uma chuva torrencial que caía naquele dia – segundo consta a lenda, um registro, nunca mostrado, provaria a visita do casal Sartre ao hotel; aliás, esse hotel teve vários hospedes ilustres, seleções de várias partes do mundo, times de futebol, cantores. Uma lenda da conta que (Frank) Sinatra iria se hospedar no hotel. A cidade também recebeu em sua fase de construção, da cidade e da usina siderúrgica, a visita do cineasta Orson Welles, acompanhado de Grande Otelo e Ary Barroso, para filmar cenas de certo documentário chamado “É tudo verdade”, porém o mesmo esqueceu a câmera e pouco se prova desse fato. 

Fato. É verdade que muitas celebridades se hospedaram no Hotel Bela Vista, mas a Fundação CSN, que administra o local, não soube confirmar se Jean Paul Sartre e sua esposa Simone de Beauvoir, bem como Orson Welles, acompanhado de Grande Otelo e Ary Barroso, passaram por ele.

 

7) Em 20 anos, a cidade teve apenas dois prefeitos, sendo que um está (estava) no poder há 16 anos. Hoje, um rapaz ou uma moça, ambos de 20 anos, nunca teriam visto outro prefeito sem ser o gordinho Neto, se levar em conta que Gotardo, além de primo, era da base aliada e manteve a mesma forma de governo e secretariado do governo anterior.

É fato se desconsiderar a passagem meteórica de América Tereza pelo Palácio 17 de Julho. Ela, que era presidente da Câmara, assumiu a prefeitura interinamente no dia 28 de agosto de 2013, depois que o ex-prefeito Antônio Francisco Neto foi cassado. América deixou o cargo dois dias depois após a Justiça conceder liminar permitindo que Neto voltasse ao poder.   

 

8) Existe um parque natural com trilhas, lago e cachoeira, aberto ao público, que somado não tem nem 30 visitações por mês; este local se chama Reserva do Ingá, no bairro Santa Cruz.   

Fake. O Parque Natural Municipal Fazenda Santa Cecília do Ingá não tem lagos ou cachoeiras e há controvérsias sobre o número de visitantes. Mas, de fato, o local é pouco considerado pelos voltarredondenses.  

 

9) A Sávio Gama, maior avenida da cidade, não tem início no Retiro. O bairro começa no trecho em frente ao mercado Floresta. Ali, na teoria, começa o bairro Retiro. Outro importante fato é que a margem do rio onde foi fundado o bairro era para ser um cinturão verde. E se você analisar, a fumaça sempre tende a ventar para o lado “norte’’, onde hoje fica a região do Retiro e na época a sede das fazendas Barreira Cravo e Retiro. Na ideia inicial o “cinturão’’ ia conter o avanço da poluição e não ia afetar o lado planejado da cidade. Como na época pouco se sabia sobre o assunto, a ideia começou a fracassar, a usina a poluir mais e, com o crescimento da cidade, aqueles arigós que não ganharam casas da CSN começaram a invadir o lado norte da cidade, dando início assim à povoação do outro lado do rio.  

Fato. O bairro Retiro foi loteado após a eleição de Sávio Gama, que era dono da fazenda Retiro (a teria comprado em 1939). Foi o primeiro prefeito-loteador da cidade. Ele também era dono da empresa de terraplanagem que fez o bairro Aterrado, antes da emancipação de Barra Mansa. Tem vários episódios na ata da Câmara de Barra Mansa em que vereadores questionam os aditivos para a obra.  

 

10) O cantor Wando (foto) foi feirante aqui, Odair José foi engraxate no Aterrado, Marta Rocha foi moradora da cidade, Chico Anysio teve casa no bairro Laranjal, Junior Baiano e Túlio Maravilha jogaram no time da cidade, Eduardo Coutinho, famoso documentarista, filmou um documentário a pedido de Dom Waldyr sobre a greve de 88, o nome da equipe de som Studio Black aparece nos agradecimentos dos discos do Racionais Mc’s e Mc Jack, a banda  punk da cidade Deaf Kids fez uma extensa tour na Europa por diversos países, talvez sendo a única da cidade a ter este feito. 

Fato: Vanderley Alves dos Reis, o Wando, passou sua adolescência em Volta Redonda. Entregava leite de casa em casa, vendia jornais, e foi realmente um feirante. Na época, teria se interessado pela música e aprendeu a tocar violão clássico. Por oito anos morou em uma casa simples no Minerlândia. 

 

Fake: Não há registro na biografia de Odair José sobre sua possível passagem pelo Aterrado, onde teria sobrevivido engraxando sapatos. O ‘terror das empregadas’ nasceu em Goiás, mais precisamente na cidade de Morrinhos, a cerca de 125 quilômetros de Goiânia, capital do estado. 

 

Fato: Martha Rocha, a eterna Miss Brasil, que venceu o concurso em 1954, tendo ficado em segundo lugar no Miss Universo, chegou a morar em Volta Redonda. Atualmente, vive em uma casa de repouso ao redor da capital.  

 

Fake: Chico Anysio nunca teve casa em Volta Redonda. Ele chegou a ser dono de um sítio em Piraí.

 

Fato: O icônico Túlio Maravilha e o polêmico Júnior Baiano jogaram no Voltaço em anos diferentes. O primeiro foi artilheiro do time em 2005, conforme lembrou o jornalista esportivo Sérgio Luiz. Já o zagueiro Junior Baiano atuou pelo time do aço em 2009, formando dupla com o (hoje famoso) zagueiro Dedé. 

 

Fato: Em 1989, o documentarista Eduardo Coutinho lançou o documentário ‘Volta Redonda, Memorial da Greve’, com depoimentos do Bispo D. Waldyr Calheiros, de militantes das CEBs, do sindicato dos Metalúrgicos e ainda de movimentos populares. A Cúria, procurada, não confirmou se o curta-metragem foi encomendado por D. Waldyr, o bispo vermelho. 

 

Fato:  Deaf Kids começou a combinar as preferências musicais de cada membro com um interesse comum em explorar cada vez mais o ritmo hipnótico e brutal do D-beat, uma das batidas conhecidas do punk e hardcore. A banda já realizou duas turnês europeias e excursionou por todo o Brasil (ao todo foram mais de 100 shows). Pouco tempo atrás, eles dividiram o palco do Carioca Club em São Paulo com a banda californiana Neurosis.  

 

11) Volta Redonda está na estatística de ter tido participantes e artistas  em todos os reality shows musicais realizados na televisão brasileira até aqui, como o notável e saudoso Mister Crazy no programa ídolos e seu Bené do Laranjão no Caldeirão, não estava competindo, mas teve seu carro reformado e ganhou nossos corações.  

Fato. Além dos citados, Julinho dos Palmares participou do programa do Chacrinha assim como José Carlos Silvério, ‘funcionário’ do Fórum de Volta Redonda e recordista em ganhar o troféu ‘abacaxi’ das mãos do Velho Guerreiro (foi por isso que ganhou o apelido com o nome da fruta). O voltarredondense aparece, inclusive, no documentário ‘alô, alô, Terezinha’. Também fica o registro que, mais recentemente, a cantora Vick Valentin, de Volta Redonda, foi pupila de Ivete Sangalo no The Voice Kids de 2016.  

 

12) No meio artístico, Volta Redonda é conhecida por ser a terra da atriz global Vanessa Giácomo, dos jogadores Deley, Dedé e Felipe Melo (que disputou até copa do mundo), de ter tido uma globeleza, e a deputada da cidade Cida Diogo ficou famosa por ser insultada e chamada de feia pelo Clodovil.

Fato: Deley encerrou sua carreira de jogador no Voltaço, em 1993, e atualmente vive da política. Dedé e Felipe Melo foram descobertos nos times de base do Voltaço e despontaram na seleção brasileira. 

 

Fato: Vanessa Giácomo, hoje estrela global, nasceu em Volta Redonda e chegou a ser dirigida por Giglio. Quanto à ex-deputada Cida Diogo, ela realmente teve um embate com Clodovil, em 2007. Em entrevista ao falecido Paulo Henrique Amorim, a petista explicou o que aconteceu. “Ele (Clodovil) afirmou com todas as letras para mim que aquelas alegações sobre mulher ordinária, vulgar, cheia de silicone, que trabalha deitada e descansa em pé, ele estava se referindo às mulheres bonitas. E que até as putas têm que ser bonitas. E que como eu sou feia, nem para puta eu sirvo. Exatamente nesse tom e dessa forma que ele se referiu a uma parlamentar”, desabafou. 

 

Os citados acima não foram os únicos. Conforme lembrou Giglio, exemplos de outras personalidades voltarredondenses são: Tânia Maria, jazzista nos EUA; Flavio Franciulli, trapezista e ator, na França; Adriana Gueant, acrobata na França; Úrsula de Miranda Fleming, professora e atriz de teatro na Alemanha; Claudio Ribeiro (dançou na Cia da Débora Colker Volta Redonda).  

 

13) O beco do mercado (no Aterrado, grifo nosso) era realmente um mercado, nos moldes de ‘mercadão público’, que tem em cidade grande, porém a ideia não vingou, e o local infelizmente passa quase despercebido pela população e hoje é mais conhecido devido às lojas de bicicletas que existem por lá. Vale acrescentar que o hoje abandonado Edifício Redondo foi considerado um projeto inovador comercial para a época, sendo junto com o Shopping Praia, do Rio de Janeiro, a Galeria do Rock, em São Paulo, um dos pioneiros dos modelos das galerias pré-shoppings no país. Outro fato importante é que, junto com Campinas,  Volta Redonda contém o maior complexo de autarquia de serviços e representação do governo federal fora das capitais. 

Fato. O Edifício Redondo, garante Ronaldo Alves, foi projetado pelo arquiteto Osvaldo Moreira, o mesmo que projetou a sede da Associação dos Arquitetos e Engenheiros de Volta Redonda.  

 

14) Várias personalidades internacionais já passaram por aqui, tendo como destaque a apresentação do hit man do reggae Jimmy Cliff, que na época era detentor da música do ano ‘’Reggae Night’’, fora que a cidade e a única do interior do Brasil a receber a visita de 3 presidentes americanos, nove presidentes da república, 10 chefes de estados de diversas partes do mundo.  

Fato. Na inauguração da Praça Brasil, a cidade recebeu, além de Juscelino Kubitschek e Richard Nixon, várias personalidades políticas importantes na época, como o governador do estado do Rio, Miguel Couto Filho; o ministro da Fazenda, José Maria Alckmin etc.

 

15) O acervo da antiga Rádio da CSN foi considerado pela revista Rolling Stone, em 1968, como um dos 20 maiores da América Latina e recebeu doações das principais gravadoras americanas, como CBS e Polydor e foram dadas de presente pelo governo americano à cidade. O destino do acervo é uma lenda, porém se sabe que parte dele se encontra na Fundação CSN e contém algumas raridades sonhadas por colecionadores de discos.  

Fato. A assessoria de imprensa da Fundação CSN confirmou a história. “Parte do acervo da antiga Rádio Siderúrgica foi doada para a Fundação CSN e foi realizado um projeto de higienização e organização desses vinis. Atualmente esse material encontra-se na Fonoteca do Centro Cultural Fundação CSN e está aberto a visitação e pesquisa. Os interessados podem fazer o agendamento pelo telefone (24)3343-3990 ou centrocul tural.fcsn@csn.com.br 

 

16) Volta Redonda fez parte da ufania modernista, tendo seu projeto idealizado pelo mesmo arquiteto  que projetou as cidades de Goiânia e Palmas, e foi projetada para ter um inovador complexo cultural com clubes, centros sociais, rádio, cinemas, escolas e teatros, hospital, faculdade, parques – tudo em função e administração da usina (da CSN), porém as coisas começaram a desandar com a privatização. Vale lembrar que o Cine 9 de Abril detém o recorde de maior do Brasil e mais antigo em atividade, e o Gacemss um dos principais espaços culturais fora das capitais, sendo o único a ter montagem de peças consagradas além dos teatros dos circuitos das grandes cidades.  

Fato. Segundo o historiador da arquitetura Alberto Xavier, Volta Redonda tem como modelo a cidade industrial do urbanista inglês Tony Garnier (1896-1948). Desenhando a cidade com base em uma organização fabril, Atílio Corrêa Lima, o urbanista idealizador dos traços arquitetônicos presentes no município, definiu Volta Redonda como “zonas funcionais estanques e uma ocupação que segue a hierarquia produtiva, reforçada pela topografia original do sítio, de maneira que os destacados bairros dos engenheiros e técnicos especializados estão mais próximos do centro administrativo, dos equipamentos sociais e da indústria do que o bairro dos operários não especializados”, explica Alberto em texto retirado dos acervos da Enciclopédia Itaú Cultural. 

 

17) A cidade por muitos anos abrigou o maior bowl de skate da América do Sul, só perdendo para o “campom’’ de São  Bernardo do Campo.  

Fake. O bowl, do inglês “tigela”, ganhou este nome devido ao seu formato, com os cantos arredondados para a prática do skate. No ginásio de Volta Redonda não existe bowl.  

 

18) A cidade conta com várias obras de artes e arquitetônicas espalhadas pelas cidades de personalidades famosas como Oscar Niemeyer, Glauco Rodrigues,  Burle Marx, Lygia Clark, e dentro do Escritório Central, havia obras de Brecheret, Portinari, Di Cavalcanti, Iberê Camargo, que foram retiradas da cidade e levadas para São Paulo após a privatização.  

Fato. Um exemplo é o Monumento 9 de Novembro de Oscar Niemeyer,  na Vila, que homenageia os três operários mortos na greve de 1988. Além desse, existem as esculturas do Arigó, Desenvolvimento, Casulo do Dragão, São Francisco de Assis, Rotatória Santa Cruz, Memorial Zumbi dos Palmares.   

 

19) As principais pontes de ligações da cidade foram batizadas com nomes dos principais presidentes da ditadura militar, por sinal, a cidade por ser sede da principal usina do Brasil, era considerado território estratégico para a tal revolução, por isso foi transformada em área de segurança nacional. Isso significava que o presidente tinha total poder nas decisões políticas da cidade, e o prefeito era escolhido. Ou seja, no período militar Volta Redonda não tinha eleições diretas assim como as capitais.  

Fato. Volta Redonda foi área de segurança nacional entre 1973 e 1985, devido à importância econômica da produção da CSN, que ainda era uma empresa estatal. Por esse fato, os militares da época não só se faziam presentes no município como eram homenageados sempre que possível. Em 2014, um movimento da Comissão da Verdade, com apoio do ex-vereador Jerônimo Teles, tentou mudar parte da história apresentando um projeto para mudar o nome do Viaduto Presidente Médici, no Aterrado, para D. Waldyr Calheiros, bispo que combateu a ditadura. O projeto foi engavetado após a saída do parlamentar. 

Waldyr Calheiros Novaes, bispo emérito da Diocese de Barra do Piraí-Volta Redonda, morreu em 30 de novembro de 2013, aos 90 anos. Durante a ditadura, acolheu vários presos políticos e também defendeu os operários na greve da CSN, em 1988, quando três deles foram mortos na invasão da fábrica por tropas do Exército em 9 de novembro daquele ano. 

 

20) Fatos históricos envolvendo essa cidade que deveriam ser ensinados nas escolas não são nem citados. Fatos como a cidade ser o berço da expansão industrial no Brasil; da usina (da CSN) – em uma decisão polêmica – ser tombada como patrimônio histórico pela UNESCO; do primeiro  impeachment do Brasil ter sido aqui; das mudanças  que a greve de 88 causou no cenário político social do Brasil; da sua importância, nos primeiros anos que Volta Redonda teve na criação e emancipação; de influência direto dos veteranos do movimento tenentista dos anos 30, o que explica a existência da grande quantidade de ruas com nomes de heróis desse movimento; da criação na cidade dos primeiros sindicatos fora das capitais, entre outros fatos que fazem da cidade do aço um patrimônio histórico do Brasil.  

Fato. Outras informações podem ser encontradas no  https://www.facebook.com/groups/residencianamemoria/ , perfil que desenvolve projeto de educação patrimonial contando a história da cidade do aço, com fotos, filmes e artigos sobre Volta Redonda.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.