Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Terça-Feira, 13 de Novembro de 2018
0
Publicado em 15/10/18, às 08:22

Eleição virtual

Na próxima quarta, 17, durante todo o dia, os administradores fluminenses deverão votar, exclusivamente pelo site www.votaadministrador.org.br, nas eleições para a renovação de 2/3 do Conselho Regional do Rio de Janeiro – CRARJ. Serão eleitos 8 dos 12 atuais conselheiros, sendo que cada um dos efetivos terá o seu suplente. Detalhe: a Executiva do Conselho será, mais tarde, eleita pelos conselheiros titulares.

 

A chapa 3 é encabeçada pelo administrador Edson Machado, que concorre ao cargo de conselheiro do Conselho Federal de Administração – CFA, que em Volta Redonda é representada pelo administrador e professor Dácio Antonio M. de Souza. “A Chapa 3 – Novos Rumos é de oposição à atual gestão do Conselho que domina o órgão há décadas”, justifica Dácio, aproveitando para detalhar algumas das propostas da sua chapa.

 

“Queremos a revogação da Resolução Normativa 512”, dispara, referindo-se à norma que permite o registro de ‘mestres e doutores’ de outras profissões, o que acaba reduzindo o espaço do Administrador de Empresas no mercado de trabalho. “Também somos contrários ao registro das chamadas profissões conexas”, acrescentou, lembrando que existe uma tese que defende há anos que “Administração é para Administrador”. Ou seja, bate de frente com a atual administração do CRARJ que entende que a profissão é para gestores de qualquer formação. “Não aceitamos essa imposição”, frisa Dácio.  

 

Até em termos financeiros a Chapa 3 promete influir caso renove a composição do Conselho. É que a entidade no Rio de Janeiro, ao contrário dos demais Conselhos, só ofereceu um desconto de 5% aos associados que antecipam o pagamento da anuidade. “A Chapa 3 promete brigar para que o administrador que efetuar o pagamento de sua anuidade antecipadamente tenha direito a um desconto de 20% sobre o valor da anuidade”, promete Dácio, revelando outro ponto que mexe com o bolso dos administradores. “A Resolução Normativa 510 isentava de pagamento de anuidades, taxas e contribuições o administrador acometido de doença grave ou em situação de hipossuficiência financeira, que era caracterizada por rendimentos, salários ou remunerações equivalente a até quatro anuidades. Só que a atual direção eliminou esse desconto por situação de hipossuficiência financeira, o que entendemos ser um desserviço à categoria. Num momento de crise, com milhões de trabalhadores em dificuldade, privilegiar a arrecadação é um absurdo”, destaca Dácio de Souza, da Chapa 3.

 

Ele vai além. Lembra que a direção do órgão tem até colocado em órgãos de restrição de crédito o nome dos administradores inadimplentes. “O CFA (Conselho Federal de Administração) e o CRARJ tem negativado na divida ativa um número enorme de Administradores gerando dificuldades aos colegas que muitas vezes deixam de pagar por dificuldades financeiras. Deixam de pagar até mesmo por questões de sobrevivência”, desabafa Dácio, prometendo, em nome da Chapa 3, manter um processo de negociação com o profissional em atraso. “Vamos negociar caso a caso”, garante, lembrando que a medida de negociação será adotada também nos casos dos recém formados.

 

“Hoje o CRARJ faz uma campanha direta para o processo de registro de administradores recém formados, inclusive, com palestras e processo de registro nas próprias Instituições de Ensino. O que não fica claro para o recém formado é que ao fazer a sua inscrição no órgão, ele assume o compromisso de pagar a anuidade do Conselho, o que muitas vezes não é viável em função do mesmo ainda não ter renda ou mesmo não atuar na área de formação. A CHAPA 3 vai fazer um trabalho com transparência de informações junto aos estudantes”, encerra.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.