Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Sábado, 19 de Agosto de 2017
0
Publicado em 18/07/17, às 09:39

Duas tacadas

Como forma de cutucar o ex-prefeito Neto, muitos dos aliados do prefeito Samuca Silva bradam aos quatro cantos que, na gestão passada, nenhuma grande empresa se instalou na cidade do aço. Pior. O problema é que os ex-verdes, ao comemorar recentemente, com pompa e circunstância, a instalação de uma fábrica de esmalte, a Nati, localizada na Barreira Cravo e que deve gerar 180 empregos diretos até 2019, se esqueceram de alguns detalhes. O primeiro é que a empresa foi atraída para Volta Redonda por Jessé de Hollanda Cordeiro, ex-secretário de Desenvolvimento Econômico do governo Neto. A licença ambiental para o funcionamento da fábrica, válida até 2021, foi concedida, em agosto de 2016, pelo então secretário do Meio Ambiente, Carlos Amaro.

 

 Em meados de junho de 2014, o ex-prefeito Neto convocou uma coletiva de imprensa para anunciar a chegada da Nati. Outro detalhe: a instalação da empresa em Volta Redonda não vai beneficiar somente a cidade do aço. Isso porque, segundo uma fonte do aQui, a Paz Cosméticos (produtora do esmalte Nati) vai distribuir seus produtos a partir de um centro de distribuição em Barra Mansa. “Foi um acordo firmado com a Codin (Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro), para beneficiar as duas cidades. A empresa já até alugou um galpão em Barra Mansa para fazer a distribuição dos seus produtos”, revelou a fonte.

 

Quem confirmou a informação foi Davi Aragão, diretor financeiro da Paz Cosmético. Segundo ele, a empresa recebeu uma dedução fiscal para se instalar no Rio de Janeiro e o acordo com o governo do Estado era justamente esse: que além da fabrica, o centro de distribuição ficasse também no Rio. “Nós temos a Paz Cosméticos instalada em Volta Redonda, ela produz e vende cosméticos. O centro de distribuição em Barra Mansa é uma outra empresa, e vamos vender os cosméticos para essa distribuidora de Barra Mansa. Todos os impostos de produção e venda são recolhidos para Volta Redonda. O centro de distribuição que fica em Barra Mansa paga seus impostos lá”, comentou, ressaltando que as empresas são do mesmo grupo econômico. “Mas com CPNJs diferentes”, ponderou.

 

“Na verdade, a empresa faz jus de um benefício fiscal. E um dos acordos era para que se montasse um centro de distribuição no estado. Esse centro era em São Paulo e aí pediram para trazer para o estado do Rio, e trouxemos para Barra Mansa. O acordo com o governo do Estado foi para que a gente trouxesse tudo para cá”, comentou. “Mas também vendemos para outros centros de distribuição, como em São Paulo e no Grande Rio. Mas como parte do acordo, trouxemos o nosso centro de distribuição próprio, que ficava em Sorocaba, para a região”, completou Davi Aragão, diretor da empresa de cosméticos.

 

Oficialmente

O anúncio ‘oficial’ da instalação da Nati Cosméticos contou com a presença de diversos empresários, diretores e funcionários da empresa, além de políticos e outros convidados. Sentados na primeira fila, os pais de Vinícius Ferreira, diretor da Fábrica. Seu Davi e dona Magda, que há 20 anos deram início ao negócio, receberam os parabéns do prefeito Samuca Silva sobre o momento histórico para cidade. “Quero parabenizar seu Davi e dona Magda, que deram origem a tudo isso que hoje tem a continuidade aqui em Volta Redonda com a inauguração da fábrica sob o comando do Vinícius (filho do casal). Podem contar com a prefeitura. A geração de empregos e renda é o caminho que vamos apoiar”, enfatizou Samuca na época.

 

 A fábrica, que chega a produzir, em média, quase dois milhões de unidades por mês, é especializada na produção de esmaltes e deve gerar 180 empregos diretos até 2019. A empresa está instalada no Barreira Cravo, com seis mil metros quadrados.  Segundo o diretor financeiro, Vinicius Ferreira, Volta Redonda tem a localização ideal para os planos de expansão da empresa, que está entre as quatro que mais vendem no mercado nacional no setor de esmaltes. “A cidade está no centro de grandes polos consumidores do país. Costumo dizer que éramos uma empresa paulista com alma fluminense e agora estamos aqui na cidade. Nosso investimento chegará a R$ 5 milhões nesse empreendimento”, revelou, ressaltando o elevado IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) da cidade, da mão de obra feminina e da cultura do trabalho de Volta Redonda. “Mesmo com a crise econômica e política do país, a indústria de cosméticos vem crescendo em média 11%, por isso os nossos planos de expansão são reais”, ressaltou. Que assim seja!

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.