Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Sábado, 25 de Novembro de 2017
0
Publicado em 31/07/17, às 10:04

Debandada verde

samuca2

Quando, em 30 de outubro de 2016, mais de 89 mil voltarredondenses votaram em Samuca Silva para prefeito de Volta Redonda, o diretório local do Partido Verde foi ao delírio. Deixou de ser nanico jogando em casa – como se diz no jargão esportivo –, ao eleger a chapa puro-sangue formada pelo prefeito e o vice – Samuca e Maycon Abrantes. Só que a lua de mel verde durou pouco, muito pouco. No início do mês, o chefe do Poder Executivo oficializou sua saída da legenda pelo qual foi eleito e foi-se de mala e cuia para o Podemos (ex-PTN). Na época, garantiu que seu grupo político permaneceria no PV. O que não vai acontecer. O desembarque em massa está marcado para segunda, 31.

 

O engraçado é que o vice-prefeito Maycon Abrantes chegou a ser nomeado para compor a Executiva Estadual do Partido Verde, um dia antes de Samuca ir para o Podemos. A estratégia do Palácio 17 de Julho era clara: tirar o PV das mãos de Nena Dupret. A estratégia não deu certo. “A Executiva Estadual, ao invés de indicar para o diretório municipal alguém do grupo do prefeito Samuca, como o Maycon Abrantes, reconduziu ao cargo a Nena e seu grupo. E eles fazem oposição ao governo Samuca. Isso não fez sentido”, destacou uma fonte.

 

Segundo ela, que pede anonimato, a relação entre o grupo de Samuca e Nena já não era boa durante a campanha. Depois da eleição ficou pior. “O próprio aQui chegou a fazer uma reportagem na época, de que o PV estava reclamando que não teria sido ouvido na formulação do secretariado do Samuca. Mas no governo há vários verdes, como o secretário de Saúde, Alfredo Peixoto, a secretária de Políticas para Mulheres, Dayse Penna, e o assessor Marcão, entre outros”, explicou a fonte.

 

“Apesar dos verdes no governo, as críticas continuam fortes. Por isso decidimos sair do partido”, completou a fonte, ressaltando que todos os filiados ao PV que estão no governo devem oficializar a saída na próxima segunda, 31. “Até o vice-prefeito Maycon Abrantes, que é um quadro antigo do partido em Volta Redonda, tendo sido candidato a vereador em 2008, vai deixar o partido. Não faz sentido fazermos parte de um partido que critica o nosso governo. Vamos sair”, disparou a fonte.

 

De acordo com a fonte, que também vai deixar o governo, nem todos deverão procurar abrigo no Podemos de Samuca. “Não há certeza nisso ainda. Alguns já sinalizaram que vão acompanhar. Mas o Maycon Abrantes, por exemplo, deve ficar sem partido por um tempo. Um dos seus destinos pode ser o PHS”, comentou, lembrando que o PHS já esteve, em outros anos, nas mãos do assessor Sérgio Boechat, que perdeu o comando da legenda.

 

O aQui procurou o assessor do prefeito, Marcus Convençal, o Marcão do PV, um dos mais antigos filiados da legenda para confirmar sua saída do PV. “Estou, infelizmente, saindo. Estou até redigindo uma carta sobre o tema. Mas é melhor esperar um pouco”, comentou. “Me dediquei durante 20 anos ao PV, mas infelizmente vou ter que deixar o partido. A atual gestão tem se pautado em cumprir o Plano de Governo, feito em conjunto com o PV, e várias atitudes tomadas pelo Executivo vão ao encontro do que o partido pensa. Mas isso não parece ser suficiente para pessoas que só pensam em seus próprios interesses”, concluiu. 

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.