Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Terça-Feira, 18 de Dezembro de 2018
0
Publicado em 06/08/18, às 08:46

Curtas Política 1109

Defender Neto e ajudar Munir

DELEY

O deputado federal Deley de Oliveira teve sua candidatura homologada na convenção do PTB, realizada na tarde de segunda, 30 de  julho, e vai buscar sua reeleição. Não será fácil. Além de ter vários aliados como adversários, tipo o ex-deputado estadual Nelson Gonçalves (PSD), que decidiu abandonar a Alerj para tentar se eleger à Câmara, Deley não poderá contar com o apoio do Palácio 17 de Julho. “Vamos buscar seguir como representantes do Sul Fluminense e do estado do Rio em geral. Queremos manter nosso gabinete como porto seguro para os prefeitos da região. Nossas portas sempre estiveram abertas a todos. Recebi todos os prefeitos em meu gabinete neste mandato que passou e ajudei todos, sem distinção”, teorizou.

Deley foi além. Garantiu que vai defender, com garra, o ex-prefeito Neto. “É um orgulho imenso ser o representante do legado daquele que foi e continua sendo o maior prefeito da história de Volta Redonda. Orgulho de ter tido a chance de realizar tantas coisas ao lado dele, como o Hospital do Retiro, o Estádio da Cidadania e tantas outras coisas. Agora, temos a missão de cuidar destes espaços, feitos para cuidar da população”, justificou Deley.

Detalhe: no mesmo dia em que teve sua candidatura aprovada, Deley ficou sabendo que iria fazer parte de uma coligação indesejável, do PTB com o Solidariedade, de Zoinho, o inimigo nº 2 de Neto. O inimigo nº 1, como todos sabem, passou a ser o prefeito Samuca Silva. Sorte de alguns, azar de outros, a coligação das duas legendas foi abortada pelos caciques do PTB e do Solidariedade e tudo ficou como Dantes no quartel de Abrantes.  

 

Defender e atacar Brasília  

zoinho_fb

Coube ao presidente nacional do Solidariedade, Áureo Lídeo, oficializar no domingo, 29, a candidatura a deputado federal de Jorge de Oliveira, o Zoinho. Para quem não sabe, o barbudão de Volta Redonda foi o mais bem votado nas eleições de 2010, saindo da cidade do aço com expressivos 44.355 votos. Tem mais. Ganhou expressão nacional ao dizer, via Fantástico, que Brasília não tinha nenhum político honesto. “Nem ele seria?”, ironizam seus adversários.

Mais uma de Zoinho: disse ao aQui que foi o primeiro parlamentar de Brasília a prever a prisão do ex-presidente Lula. Acertou. Só não acertou nas urnas, pois nas eleições seguintes não conseguiu se reeleger e nem conseguiu derrotar ser arquiinimigo, o ex-prefeito Neto.  “Em meu mandato, sempre agi com independência política e trabalhei junto com as prefeituras para trazer recursos para Volta Redonda e região. Minha bandeira é continuar contribuindo para o desenvolvimento regional, apresentando emendas e buscando recursos para o Sul Fluminense, pois sei onde estão esses recursos e sei como buscá-los; conheço bem nossa região e suas necessidades”, pontua Zoinho.

No dia da convenção, sem saber as artimanhas dos caciques que quase o levaram a participar de uma coligação com Deley (e Neto), Zoinho diz que decidiu ser candidato pelo Solidariedade porque acreditava e compactuava “com as ideologias e as bandeiras defendidas pelo partido em defesa dos trabalhadores, dos aposentados e principalmente, em defesa da indústria nacional e do setor produtivo garantindo assim a manutenção do mercado de trabalho”.

 

Enxugando gelo

geraldinho22

No sábado, 28, bem longe dos amigos de Volta Redonda, mais precisamente em São João do Meriti, na Baixada Fluminense, o empresário Geraldinho do Gelo teve seu nome confirmado como candidato a deputado federal pelo PHS. Essa será a primeira vez em que ele concorrerá a um cargo eletivo, anunciou sua assessoria de imprensa. Realmente será, pois sua candidatura a prefeito em 2016 (ele renunciou a ela) não passou de um ensaio. Um teste, diriam. Deve ter gostado, pois acredita que será um dos dois deputados federais que a legenda aposta que irá eleger em outubro. Detalhe: para conquistar uma vaga, Geraldinho terá que enxugar (conquistar) ao menos 30 mil votos.

“Me sinto preparado a ocupar uma vaga como deputado federal e não tenho dúvidas que estamos com grandes chances de conquistá-la. Estou feliz em poder participar desse momento de mudança do nosso país”, resumiu Geraldinho do Gelo, que foi obrigado a deixar a subprefeitura do Retiro, que vinha comandando no governo Samuca.

Geraldinho vai além. Espera reunir os amigos para começar a estruturar a divulgação das suas propostas. “Queremos juntar pessoas que têm o mesmo pensamento que o nosso: o melhor para o Sul Fluminense, principalmente na geração de emprego e na qualidade de vida das pessoas”, disse. Pela ‘selfie’, dá para ver que as reuniões já começaram.

Para quem não o conhece, Geraldinho é nascido e criado no Retiro. Trabalhou dez anos na CSN e, em 1991, abriu seu negócio de fabricação e distribuição de gelo, além de distribuir bebidas por todo o estado do Rio, atendendo a mais de 23 municípios. É, literalmente, um homem que sabe enxugar gelo.

 

Com Saúde no sangue

WhatsApp Image 2017-05-07 at 17.19.17

Ela já foi gerente do Hospital da CSN, do Hospital Vita, foi diretora geral do Hospital do Retiro, diretora do São João Batista, ex-secretária de Saúde e por pouco, muito pouco, não assumiu uma das gerências do Hospital Regional. Hoje, diretora de Saúde licenciada da AAP-VR, a popular Márcia Cury, que já trabalhou com o ex-prefeito Neto e com o prefeito Samuca Silva, além de ser amiga de velha guarda do ex-deputado Nelson Gonçalves, vai fazer das tripas coração para se eleger como deputada estadual nas eleições de outubro.

Ela vai usar as cores do Solidariedade, mesmo partido de Zoinho, e também teria ficado assustada com a possibilidade de uma coligação com seus ex-amigos do Palácio 17 de Julho. Veja o que Márcia Cury disse sobre a coligação do seu SD com o PTB, de Deley e Munir: “A Coligação é uma cláusula permitida ainda para as eleições 2018 e o Solidariedade tem toda a chance de fazer o maior número de deputados estaduais. Mas temos o nosso próprio programa partidário e estatuto, além de posições acerca de vários temas, como a defesa dos trabalhadores. Alguns podem até serem próximos. O Solidariedade é um partido novo mas que tem crescido muito no Estado por conta de seus quadros e lutas. Mas nada muda em relação a mim. A estratégia é trabalhar bastante para poder representar bem nossa região no Parlamento Fluminense”, pontuou Márcia, que é pós-graduada em Administração Hospitalar.

 

Munir, o irmão

neto e munir

Durante os últimos longos anos à frente da secretaria de Ação Comunitária de Volta Redonda, Munir Francisco teve sua candidatura a deputado estadual confirmada durante a convenção do PTB. Assim como Deley, diz que entrou no páreo para defender, com unhas e dentes, o legado deixado pelo irmão, o ex-prefeito Neto. “Nós vamos lutar muito, trabalhar muito para que as cidades de nossa região estejam bem representadas. É necessário colocar o Sul Fluminense no posto que merece, pela importância que temos”, avaliou em seu discurso.

Pelas redes sociais, Munir avaliou que está preparado para a difícil missão de se eleger, afinal, terá a máquina pública, que sempre usou para eleger o irmão e os amigos, dessa vez contra ele. Ou melhor, contra Neto. Isso não o atemoriza. “Demos um passo importante na direção de conseguir o direito de representar Volta Redonda e o Sul Fluminense. Nosso nome foi confirmado na convenção do PTB e vamos concorrer a uma vaga de deputado estadual. É um passo importante, mas a caminhada ainda é longa e vamos precisar de todos vocês para que o final seja feliz. Se cheguei até aqui, foi graças a vocês (ao irmão). Porém, tenho certeza de que juntos poderemos ir muito mais longe. Me sinto preparado para este novo desafio”, crê.

 

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.