Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Sexta-Feira, 22 de Junho de 2018
0
Publicado em 02/04/18, às 08:22

Covardia

Jean Souza Seixas materia de porto real

 Um crime bárbaro chocou os moradores de Porto Real em plena Semana Santa. Jean Souza de Seixas, 29 anos, foi assassinado com requintes de crueldade por três homens na tarde de terça, 27, em Resende. Os assassinos já foram identificados pela Polícia Civil mas, até o fechamento desta edição, não tinham sido presos. Jean foi encontrado ainda com vida, amarrado a uma cadeira e com o corpo queimado, no interior de uma casa no bairro Santa Isabel. Segundo o delegado da 89ª DP, Marcelo Nunes Ribeiro, o crime está sendo investigado como latrocínio (roubo seguido de morte). A vítima teve o carro – Fox prata LOY-7080 – e a carteira roubados.  

Jean tinha colocado o carro à venda no site OLX e dois homens de Resende se interessaram pelo veículo. O rapaz então combinou de se encontrar com eles no bairro Santa Isabel. Chegando ao endereço – uma casa alugada na Rua Dona Arcídia –, os supostos compradores anunciaram o assalto, espancaram Jean e ainda atearam fogo no corpo dele. Uma vizinha viu a fumaça, desconfiou e acionou o Corpo de Bombeiros. Quando a equipe do 23ª GCB chegou, encontrou Jean desacordado, sentado em uma cadeira com as mãos amarradas, bastante machucado. Ele morreu a caminho do hospital. A causa da morte, segundo o IML, foi traumatismo craniano.

A casa, segundo informações do proprietário, teria sido alugada por um homem que se apresentou como representante de uma empresa ambiental do Ceará.  O cômodo onde Jean foi encontrado estava parcialmente queimado – uma mochila e um galão com um pouco de gasolina foram encontrados e recolhidos pela perícia. A Polícia acredita que o crime foi premeditado, porém a escolha da vítima pode ter sido aleatória.

Depois do crime, os bandidos foram até o supermercado Panamil, que fica atrás da casa, e compraram bebidas alcoólicas. As câmaras do circuito interno do supermercado filmaram o momento em que eles passavam pelo caixa, usando o cartão de crédito de Jean para pagar a compra. Estas imagens já estão de posse do delegado e foi através delas que os criminosos foram identificados.

Consternação
 Jean morava no bairro Freitas Soares, em Porto Real, era casado e tinha uma filha. Na cidade, o clima era de tristeza e revolta pela morte do rapaz. Seu corpo foi velado na Igreja Metodista do bairro e sepultado no início da tarde de quarta, 28, no Cemitério Municipal de Quatis. Jean era sobrinho e afilhado do prefeito de Quatis, Bruno de Souza, e filho do senhor Elias, um antigo servidor da Secretaria de Educação de Porto Real.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.