Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Sábado, 14 de Dezembro de 2019
0
Publicado em 18/11/19, às 10:30

Contrato emergencial

Na manhã de quinta, 14, Samuca voltou a falar grosso contra tudo e contra todos. Ou seja, contra o TCE e a Sul Fluminense. “Vou publicar na segunda-feira (dia 18) o edital emergencial de contratação de empresas para prestar os serviços de transporte público em Volta Redonda”, anunciou, durante entrevista ao programa Dário de Paula.
No entender de Sa-muca, tudo o que ele já fez ao longo dos últimos meses justifica tal decisão. “Eu tive uma atitude corajosa. Dei oportunidade para a empresa, dei direito a defesa e ao contraditório. Mas nós ganhamos na Justiça o direito de fazer essa licitação. É a primeira na história de Volta Redonda”, justificou, apelando a seguir para o lado prático do serviço. “Quem usa o transporte público sabe que está ruim, que a passagem é cara, que (os ônibus) quebram toda hora. Você não tem garantia de que vai chegar ao seu destino”, analisou, vendo o lado do passageiro. “Essa empresa não tem mais condições de prestar serviços”, insiste.
Samuca, aliás, mudou um pouco o tom ao reconhecer, para Dário de Paula, que o TCE estaria fazendo o seu papel. “O que o Tribunal de Contas está avaliando não é o mérito (da licitação). Ninguém tá discutindo se pode ou não fazer a licitação; isso já passou”, acredita. “Está se discutindo a forma de fazer, e o Tribunal, em um trabalho correto, está avaliando o edital, mas não podemos esperar essa avaliação (do TCE, grifo nosso)”, disse, para completar: “Eu mandei foto, filmagem de ônibus pegando fogo, de atraso, de reclamação, de estatísticas, mas eu não posso esperar para dar um retorno para a nossa população” completou.
Tem mais. “Acabei de conversar com o nosso chefe da licitação e na segunda (dia 18) o edital (chamamento, grifo nosso) já vai ser publicado. Vou distribuir para todas as empresas”, prometeu Samuca, acrescentando alguns detalhes. “A contaratação será por seis meses”, disse, crendo que o prazo – 180 dias – deverá ser suficiente para que até lá a licitação, se for liberada pelo TCE, possa sair do papel e dar condições à vencedora para se adequar à realidade de Volta Redonda. “Até que a empresa que ganhe a licitação possa comprar ônibus, adquirir ônibus novos, treinar, contratar e prestar os serviços. Acho que em seis meses é possível fazer, dar esse retorno. Então, em breve, a população de Volta Redonda vai ter uma linha de ônibus”, crê.
Na conversa com Dário de Paula, o prefeito explicou a tese do chamamento público. “A contratação será emer-gencial, direta. Eu só estou abrindo um chamamento público para evitar o ‘Ah, mas o prefeito escolheu a empresa A, B ou C’. Então a partir de semana que vem eu começo a contratar nesse chamamento. Habilito empresas que queiram prestar serviços em Volta Redonda para tirar das minhas costas aquele ‘Olha, Samuca está olhando para aquela empresa, é amigo daquela empresa’. Sou amigo de ninguém, sou amigo da população, do povo que mais precisa. Eu creio que agora, em dezembro, nós já teremos ônibus (de uma nova empresa, grifo nosso) circulando nas ruas de Volta Redonda. Quero e estou trabalhando para que ainda em novembro novos ônibus de outras empresas estejam circulando. O prazo inicial que dei lá atrás era dezembro, e como a licitação não ocorreu, eu vou contratar emergencialmente”, pontuou.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.