Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Sexta-Feira, 14 de Dezembro de 2018
0
Publicado em 03/12/18, às 09:58

‘Boca de Lobo’

Por Roberto Marinho

Em mais um triste capítulo da história política do estado do Rio, o governador Luiz Fernando Pezão acabou sendo preso na manhã de quinta, 29, no Palácio Laranjeiras, em uma nova fase da operação Lava Jato, batizada de ‘Boca de Lobo’, onde ele está sendo acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) pelos crimes de lavagem de dinheiro, organização criminosa e corrupção ativa e passiva. O mandado de prisão foi expedido pelo STF, a pedido do MPF, após delação premiada de Carlos Miranda, operador financeiro do ex-governador Sérgio Cabral, preso desde 2016.

 

Além de Pezão, foram presas outras nove pessoas, incluindo o secretário estadual de Obras, José Iran Peixoto, e Marcelo Santos Amorim, o Marcelinho, casado com uma sobrinha de Pezão e que era subsecretário de Comunicação do governador. Os dois são de Volta Redonda, mas foram presos pela Polícia Federal na capital.

 

A prisão de Pezão era esperada por políticos para assim que ele deixasse o governo, pois o governador era citado em delações premiadas desde 2016, quando Cabral foi detido na operação Calicute – desdobramento da Lava Jato. No total, o MPF diz que Pezão teria recebido pelo menos R$ 39 milhões em propinas e, além de manter o esquema ilegal de arrecadação desenvolvido por Sérgio Cabral, aprimorado, inclusive. A procuradora geral da República Raquel Dodge – que comanda o MPF – chegou a convocar uma entrevista coletiva – o que não é normal – para dizer que a prisão de Pezão seria necessária porque os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro continuavam acontecendo, mesmo com as investigações em andamento.

Transição

Em nota divulgada para a imprensa, a equipe do governador eleito Wilson Witzel afirmou que o processo de transição não será afetado, e a elaboração do plano para o futuro governo continua,devendo ser apresentado até o fim de dezembro. “As equipes designadas pelo governo eleito para este período de transição, sob a coordenação geral de José Luís Cardoso Zamith, seguem em contato com os integrantes das pastas do atual governo, sob a gestão do secretário da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico, Sérgio Pimentel”, diz o comunicado, reafirmando o ‘compromisso de reconstruir o Estado do Rio de Janeiro’.

13° salário

Dois dias antes de ser preso, na terça, 27, Pezão anunciou que o governo do Estado iria quitar o 13o salário dos servidores. A declaração foi dada durante uma cerimônia de premiação de policiais civis, militares e servidores da Segurança Pública que atingiram as metas de redução de criminalidade do Sistema de Metas e Acompanhamento de Resultados (SIM), na Cidade da Polícia (CID-POL), em Benfica. “Vamos fazer o pagamento com a soma de recursos do refinanciamento de dívidas do ICMS (Refis) e da arrecadação do Estado, que vem aumentando. A arrecadação do Rio foi uma das que mais cresceram no país, com uma das maiores reduções de gastos. Na próxima semana, deveremos ter a data de pagamento do décimo terceiro”, prometeu Pezão, sem saber o que lhe esperava. Os servidores agora ficam na expectativa do governador em exercício, Francisco Dornelles.

 

Nota da redação: Em contato com os jornais da capital, através de seus advogados, os envolvidos na nova fase da Lava Jato negam as acusações feitas pelo MPF que, inclusive, conforme noticiário da grande imprensa, como O Globo, não chegou a apresentar provas da movimentação financeira atribuída a Pezão.    

Veja a lista dos envolvidos:

Luiz Fernando Pezão – governador do Estado do Rio de Janeiro;

José Iran Peixoto Júnior – secretário de obras;

Affonso Henrique Monnerat Alves da Cruz –  secretário de de governo;

Luiz Carlos Vidal Barroso – servidor da secretaria da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico;

Marcelo Santos Amorim – sobrinho do governador

Claudio Fernandes Vidal – sócio da J.R.O Pavimentação

Luiz Alberto Gomes Gonçalves – sócio da J.R.O Pavimentação;

Luis Fernando Craveiro de Amorim – sócio da High Control Luis;

César Augusto Craveiro de Amorim – sócio da High Control Luis.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.