Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Quinta-Feira, 16 de Agosto de 2018
0
Publicado em 11/06/18, às 09:24

Bate bola – Sergio Luiz

Este é o timaço de juniores do Volta Redonda, campeão da Taça Rio de 1983. Tem mais. A moçada conquistou o vice-campeonato brasileiro daquele ano, representando o estado do Rio, no campeonato brasileiro de seleções. A foto pertence ao acervo do lateral Almir.

sergio

Em pé: Geraldinho (técnico), Alemão, Eli, Magal, Alencar, Gelson, Almir e Jansem. Agachados: Claudinho Azevedo(supervisor), Eduardo Bragança, Ramon, Gilvan, Ênio e Isaias.

Quando 100% não é nada…

A derrota do Voltaço, de virada, para o Tupi, por 3 a 2, provocou a queda do técnico Marcelo Sales. A demissão, inclusive, já era esperada por todos, motivada pela campanha irregular do time na série C do Brasileiro. Obteve 100% de aproveitamento jogando em casa e 0% fora de casa. Para ser preciso: venceu três jogos no Raulino e perdeu três fora de Volta Redonda. Jogava de uma forma agressiva quando tinha o mando de campo e de maneira acovardada quando atuava na casa do adversário.

 

Ninguém esperava pela derrota para o Tupi. ‘A escrita será mantida’, diziam os mais otimistas. Ledo engano. Os craques de Marcelo Sales não jogaram nada e quem pagou o pato foi o treinador. Aliás, nesse jogo, o Voltaço não apresentou nenhum esquema tático. Era um bando a correr atrás da bola. E deu no que deu.

 

 Confesso que Marcelo Sales nunca foi o técnico ideal para comandar o Voltaço. Pra começar era e ainda é inexperiente. Seu currículo, inclusive, nunca encheu os olhos de ninguém. Quem era Marcelo Sales? Pelo que me consta, é apenas o filho de Marco Antônio, ex-lateral do Vasco, Fluminense e seleção brasileira. É pouco, muito pouco para ser técnico do Volta Redonda. Nada contra ele, pessoalmente, é claro. 

 

Por outro lado, fica a me pergunta: a solução é simplesmente trocar o treinador? Acho que não. A diretoria tem culpa, muita culpa, e ninguém foi demitido. Os caras prometeram montar um ‘grande time’ para a série C. E não cumpriram. Pra começar, contrataram mal, não podiam querer fazer nem um bom time.

 

Com a saída de Marcelo Sales, os dirigentes foram a Minas e contrataram Moacir Júnior, experiente em séries C. Chega como salvador da pátria. Tomara que consiga levantar o moral da turma e que obtenha a sonhada vaga. Uma coisa é certa: Moacir Júnior é técnico, e não milagreiro. Tenho dito!

 

Currículo

Moacir Vieira de Araújo Júnior, 51 anos, é mineiro de Curvelo e já dirigiu o Cuiabá-MT, Botafogo-SP, Tombense-MG, Criciúma-SC, Náutico-PE, ABC-RN, América-MG, Tupi-MG, Oeste-SP, Bahia-BA e Linense-SP, onde estava antes de vir para a cidade do aço. Com ele veio Altair Coimbra, que será seu auxiliar técnico, ao lado de Wilson Leite. Boa sorte a todos!

 

Adversários

O técnico Moacir Junior fará sua estreia à frente do Voltaço na segunda, 11, contra o Joinville, às 21h15min, na Arena Joinville, com transmissão pela TV Interativa. O segundo turno começa no próximo sábado, 16, às 16 horas, contra o Operário-PR.

 

História

Meu velho amigo e conterrâneo Garcia é quem conta essa história interessante, ocorrida na década de 80, durante jogo de várzea em Jamapará, divisa com Além Paraíba. Um veloz ponteiro, conhecido pela alcunha de “Tira-Gosto”, devido ao seu um metro e sessenta de altura, levou uma canelada de um zagueiro chamado Tião Navalhada. O detalhe é que ele não era barbeiro, mas tinha muita habilidade com a ferramenta. Tira-Gosto rolava no chão de dor quando um improvisado massagista chegou perto e disse: “xá comigo, disafasta, arreda que eu cuido dele”. Abriu aquela maletinha, branca de madeira, com uma cruz vermelha no meio, lembra? Tirou aquela pomada preta, melequenta, chamada iodex e começou a esfregar na perna do paciente. Depois ordenou: “levanta e bate o pé três veis”. Obediente nosso herói bateu o pé no chão. Sabe o que aconteceu? Tira-Gosto deu um grito de espantar leão e o osso da tíbia apontou. Fez uma fratura exposta. É mole?

 

Errata

Na edição 1098, por erro de digitação, publicamos que: “o ex-vice-presidente do Voltaço, Gabriel Torturella, fora sabatinado por um grupo de torcedores durante uma reunião no Aero Clube”. Na verdade, ele ainda é o vice-presidente do clube, até porque foi eleito. Mas deixou de ser coordenador das divisões de base por ter sido exonerado pelo presidente Flávio Horta. Apesar disso, Torturella garante que é candidato a presidente do clube e jura que não tem apoio de ninguém. Vai por conta própria. 

 

Barra Mansa

Estreou com vitória na série B2, vencendo o Juventus por 4 a 0, no Raulino de Oliveira. Amanhã, domingo, 10, pega o Sete de Abril, no Giulite Coutinho, às 15 horas. O técnico Luiz Fernando Irala teve que buscar jogadores da divisão de base para completar o elenco.

Macaé

Voltou a perder agora em segunda instância no caso do lateral Lucas Gabriel, que teria sido escalado irregularmente em vários jogos e fora rebaixado. O time macaense vai recorrer ao STJD – superior Tribunal de Justiça Desportiva. Porém, dificilmente terá sucesso e terá que disputar a seletiva em 2019. Bom para o Voltaço que fica com a vaga.

 

Bola fora

Para os campeonatos estaduais das séries B1, B2 e C. A maioria dos clubes atuou nas primeiras rodadas com jogadores irregulares. Uma bagunça só. Se já é difícil organizar a primeira divisão, que se dirá das demais. Lamentável!

 

Bola dentro

Para mais uma Copa do Mundo, que começa na quinta, 14, em Moscou. É a maior competição esportiva do planeta. Vamos lá Brasil, mostra sua cara. Eu acredito no Hexa. Boa sorte rapaziada.

 

 

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.