Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Sábado, 19 de Agosto de 2017
0
Publicado em 24/07/17, às 08:31

Bate bola – Sergio Luiz

A foto é do time do Pinheiros Futebol Show, que completará 30 anos de fundação na terça, 25. As festividades ocorrerão amanhã, 23, com vários jogos, a partir das 9 horas, no Estádio Cipozão, do Flamenguinho do Retiro. A foto é do time de 1987/88, com colaboração do Bruno.

Pinheiros Futebol Show - Time de 1987-1988

Em pé da esquerda para a direita: Manoel, Renato, Juarez, Jorge Barbela, Sérgio Sergato, Zaqueu, Samuel, Pardal e Zezé. Agachados: Luciano, Cacá, Zezinho, Adilson, Fabinho, Tamir e Laércio.

Vergonha, vergonha, vergonha

Foi o maior vexame. Assim, curto e grosso, posso definir a goleada (5 a 1) sofrida pelo Voltaço diante do Audax pela Copa Rio, na noite de quarta, 18. Foi a maior até agora em jogos realizados no Raulino. Pior: o placar poderia ter sido maior. Foi simplesmente medíocre a atuação do time (reserva) do Volta Redonda que podia jogar pelo empate ou perder por 1 a 0, haja vista que havia vencido a partida de ida por 2 a 0. O que se viu foi um time apático, covarde, sem nenhuma responsabilidade. E olha que todos estão com os salários em dia.

A derrota eliminou precocemente o time da Copa Rio e lá se foi o sonho de conquistar uma vaga para a Copa do Brasil do ano que vem. Prova que estávamos certos quando dizíamos que alguma coisa estava acontecendo nos bastidores e que ninguém tomava providência. O resultado está aí.                                               

Sem querer generalizar, mas há um monte de refugo – de empresários – jogando no time do Volta Redonda, que prefere dispensar os garotos da base só para dar espaço para os “protegidos de fora”.  Sem falar na lambança de Felipe Surian, que subestimou o adversário e escalou um time reserva, dizendo que ia poupar alguns jogadores.

Mancharam o nome do Voltaço e muitos merecem receber um bilhete azul de ida, para nunca mais voltar. Vergonha, sacanagem, má vontade, preguiça, falta de profissionalismo. Somando tudo isso, descobre-se por que esses jogadores nunca chegaram a lugar nenhum. Não jogam nada. São apenas ‘artistas’ de espertos dirigentes. Só que ao torcedor eles não enganam mais. Dá saudades do ex-diretor Edson Correa, o Edinho Gordo que dava tudo do bom e do melhor, mas não dava moleza. duvido se esses caras teriam coragem de fazer o que fizeram. Tenho dito!

 

Joinville

Será o adversário do Voltaço, hoje, sábado, 22, às 16 horas, no Raulino de Oliveira. O tricolor de aço está na 4ª colocação do grupo B da série C do Brasileirão, com 10 pontos. A vitória por 3 a 0, sobre o Macaé, trouxe um novo ânimo ao torcedor, que deverá marcar presença logo mais. Vale lembrar que o Botafogo-SP lidera o grupo com 17 pontos, seguido pelo São Bento e Tupi com 16 pontos. No dia 30, domingo, vai a Ribeirão Preto enfrentar o líder Botafogo.

 

Reformas

O estádio Raulino de Oliveira vai passar por reformas para atender exigências da CBF. Os bancos de reservas serão ampliados para abrigar 11 jogadores. Nos vestiários, serão colocados armários individuais, de madeira, ao estilo dos grandes estádios. Outras modificações também darão mais conforto aos jogadores. E para os torcedores, nada?

 

Barra Mansa

Conforme a coluna adiantou, um grupo de torcedores do Leão resolveu agir e pretende reformular o clube de ponta a ponta. A começar pelo Conselho Deliberativo e diretoria. O projeto que envolve empresários, comerciantes e outras personalidades, prevê uma reformulação radical no comando do Barra Mansa. Não pretendem aproveitar ninguém. É pagar pra ver. O Barra Mansa precisa mesmo de pessoas com credibilidade para dar um choque de ordem no clube.

 

Perigo

Enquanto isso, em campo, o Barra Mansa periga cair na zona de rebaixamento. No sábado, 15, empatou com o Serrano em 0 a 0, no Raulino de Oliveira. Ocupa a 18ª colocação com 7 pontos. É o primeiro acima dos três que estão na zona da degola.  Volta a campo hoje, sábado, 22, às 17 horas, em Campos, contra o Goitacás. O clube luta com muitas dificuldades para continuar na competição e foi punido com uma multa de R$ 10 mil por causa de um atraso do time sub-20.

 

História

Vida de repórter esportivo não é mole, principalmente, quando tem que transmitir jogos na Baixada de clubes da segundona. Que o diga o comentarista da Rádio do Comércio, Gino Lopes. Certa vez, ele foi comentar Barra Mansa x Heliópolis, em Belfort Roxo. Detalhe: a única cabine de rádio existente ficava sobre a laje da arquibancada e o único acesso era uma escada espiral que passava por um buraco no teto. Gino, com 1,90m e pesando 140 quilos, antes de subir, mirou bem o espaço do buraco por onde teria que passar e decidiu: “Vai dar”. E começou a escalada. Mas não deu. Resultado: Gino ficou entalado no buraco da escada. Foi preciso chamar o Corpo de Bombeiros para retirá-lo de lá, já que o gordo estava em pânico e com falta de ar. Outro detalhe: fazendo um tremendo esforço, o saudoso narrador Paulo Miranda e o repórter João Bosco empurravam-no pela bunda para cima, até que conseguiram tirar o nosso Gino. Que sufoco!

 

Bola fora

1- Para a derrota vergonhosa do Voltaço para o Audax por 5 a 1, em pleno Raulino de Oliveira. Foi sacanagem!

2 – Para os despreparados dirigentes do Barra Mansa, que resolveram barrar a imprensa no Estádio Raulino de Oliveira, no jogo contra o Serrano. Eles exigiram que os profissionais pagassem ingressos. Fala sério!

 

Bola dentro

Para o time titular do Voltaço, que obteve uma grande vitória diante do Macaé, por 3 a 0, na Região dos Lagos. Pena que os reservas entraram de “salto alto” para enfrentar o Audax. Foram castigados: perderam por 5 a 1 e deveriam ser dispensados por conta do vexame. Sem direito a nada.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.