Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Sábado, 14 de Dezembro de 2019
0
Publicado em 02/12/19, às 10:05

Bate-Bola Sergio Luiz

Varandão da saudade

Este é o timaço do Clube dos Funcionários. Foto de 5/6/1955. Pertence ao acervo do Afrânio Conceição Leal.

Em pé, da esquerda para a direita: Acácio Filgueiras (diretor), Arnaldo, Adão, Romero, Souza, Osmar Cachimbo e Alexandre. Agachados: Afrânio Leal, Paulo Ávila, Pedrinho, Nenê e Detinho.

Ao conselheiro mal informado

Mostrando a minha imparcialidade, provando que nossa coluna é democrata e honesta, estamos publicando (ver página anterior) a carta do conselheiro Aloizio Dias.
Inicialmente, quero agradecer ao mesmo pro ter provado o quanto somos imparciais diante do Voltaço, diante dos seus dirigentes e conselheiros, como ele, Aloizio. Sua carta mostra que sou o mesmo nas críticas e elogios ao ex-presidente Rogério Loureiro e até mesmo ao ex-presidente e ex-prefeito Neto. Se os dois merecem ou não a o título simbólico de “presidente de honra” do Voltaço, é uma questão de opinião. Respeitamos a sua e gostaríamos que respeitasse a nossa.
Como colunista do aQui, em nenhum momento ressaltei os feitos de cada um para merecer esta ou aquela homenagem. Defendo, sim, o direito de todos os presidentes de ter a mesma honraria. Bons ou ruins, todos deram parte das suas vidas para que o Volta Redonda, o popular Voltaço, pudesse existir até hoje, incluindo o atual presidente, Flávio Horta, quando este encerrar o seu mandato. E se você, Aloizio, não sabe, eu e o Manoel Alves fomos os primeiros a apoiar a candidatura de Horta.
Você, Aloizio, por 10 longos anos esteve afastado da vida do Voltaço (me corrija se estiver errado), desde que foi para os Estados Unidos e, portanto, não deve saber de muita coisa que se passou no clube.
Nós acreditamos na sua honestidade, é claro, e jamais a colocaríamos em dúvida. Mas não admitimos que você coloque a nossa em dúvida, como o fez ao perguntar se somos remunerados pelo clube, pela direção do Voltaço ou pelos seus dirigentes. Somos pagos, sim, pelo veículo onde prestamos serviços e tenho minha vida pautada neste quesito. Tem mais. O Conselho eleito, e você deve saber, apesar de não ler a minha coluna, sempre teve espaço no aQui e no Bola Show, da Rádio do Comércio, durante a campanha para presidente. A propósito, a situação também teve espaço e não quis aproveitá-lo. Problema deles, não é? Quanto aos conselheiros remunerados, que fique bem claro, que me refiro àqueles que são conselheiros e, ao mesmo tempo, são funcionários do Volta Redonda. Se você, Aloizio, não sabe, que fique sabendo: Leandro Leal (Léo), Sabrina Maciel, Dr. Claudio Bittencourt, sem falar nos suplentes Emanuel Ferreira (Manú) e Sandro Aparecido estão nessa situação. São conselheiros e funcionários do clube (no conselho fiscal temos o caso do Reinaldo Luiz da Silva).
Pelo estatuto, conforme artigo 53, todos estariam irregulares, pois lá está escrito: “Perderá o mandato o membro do Conselho ou da Diretoria Administrativa do Clube que venha a ocupar o cargo de administração nos termos da legislação aplicável, se houver”. Ou seja, para que o clube aja dentro da lei, todos têm que ser substituídos pelos suplentes, e isso não acontece, com a conivência do Conselho. Desminta-me se for capaz.
Para encerrar, caro Aloizio, sempre trabalhei pelo Volta Redonda, sem jamais me promover ou ser remunerado. Sou sócio-benfeitor especial, e ao longo da minha vida na cidade do aço já ajudei – ou desenvolvi – campanhas como a do Mutirão do Voltaço; da campanha dos 4 mil sócios; do festival do Chope, para comprar o passe do atacante Amauri, lembra? Além do Pagode do Voltaço, Carnê Fartura, e outras ações que mantiveram o clube vivo. Sempre priorizamos, mesmo com prejuízos comerciais, o Voltaço nas transmissões esportivas. Temos certeza, amigo Aloizio, que já fiz muito mais pelo Voltaço do que muitos que andam se arvorando por aí. Detalhe: sem nunca levar vantagens. Mantenho a minha posição: HONRARIA PARA TODOS OS PRESIDENTES. Tenho dito.

Bom senso
Recebo ligação do ex-prefeito Neto informando que alguns conselheiros do Voltaço lhe comunicaram que o seu nome e o de Rogério Loureiro não serão retirados do Estatuto do clube. Ou seja, vão continuar sendo presidentes de Honra. Mas, para que isso aconteça, conforme o artigo 59, do Código Civil, Lei 11127 de 2005, será preciso convocar uma assembléia geral específica, haja vista que, segundo o próprio presidente do Conselho, Murilo Pragana, a retirada do título foi votada, aprovada e consta em ata. Ponto final.

Reforço
O atacante Pedrinho, 22 anos, artilheiro da série B1, que estava no América (MG), foi contratado para o Estadual de 2020.

Bola fora
Para os conselheiros do Voltaço que são funcionários do clube. Nada contra trabalhar e receber, mas para continuar no ‘trampo’, deveriam sair de licença ou pedir demissão do cargo de conselheiro. O artigo 53 do Estatuto é claro: isso não pode. Portanto, é ilegal!

Bola dentro
Para o Flamengo, campeão de fato e de direito da Taça Libertadores, do Brasileirão e do Carioca de 2019. Valeu!

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.