Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Domingo, 18 de Agosto de 2019
0
Publicado em 12/08/19, às 09:10

Bate-Bola Sergio Luiz

Varandão da saudade

Esta foto é de um combinado do União E.C. São Geraldo, S. E. Retiro e o DMA da CSN. Foi tirada no Estádio Municipal da minha Além Paraíba (MG), numa partida amistosa com o São José E.C., meu ex-clube, em 1972. Pertence ao acervo do Nilo.

 

Em pé, da esquerda para a direita: Julinho (diretor), Valci, Jota, Álvaro, Joaquim Lagoa, Jair, Zé Gordo, Jorge Zumbi e Noel (treinador). Agachados: Zé Luiz, Cunha, Nelsinho, Lulu, João Canela, Vado, Feijão e Nilo.

 

Vergonha nacional

Não, não foi nenhuma vergonha a derrota do Voltaço para o Ypiranga por 2 a 0, no sábado, 3, em Erechim-RS. Faz parte do jogo. Vergonha foram as ofensas, de cunho racista, da torcida do time gaúcho contra os jogadores do Voltaço. Foi revoltante, nojento, asqueroso. Coisa de energúmenos e retrógados que, em pleno século XXI, ainda ofendem outros seres humanos, jogadores ou não, em estádios de futebol.
Na súmula do jogo, o árbitro Marcos Mateus Pereira relatou que foi obrigado a “interromper a partida aos 16 minutos do segundo tempo, chamado pelo preparador físico do Voltaço, Paulo César Fagundes, reclamando que alguns torcedores, posicionados atrás do banco de reservas, dirigiam palavras ofensivas contra os jogadores que faziam aquecimento, tipo: “Vocês são um bando de macacos”. Alertado, ele chamou a PM e um torcedor foi identificado como sendo Narciso Felipe Volpato, que acabou expulso do estádio. O detalhe é que não é a primeira vez que acontece esse tipo de ato de racismo nos jogos do Ypiranga, e o clube já chegou a ser punido em outras ocasiões.
A diretoria do Voltaço fez o que devia: emitiu nota repudiando as ofensas raciais sofridas pelos seus atletas e está tomando as providências que o caso requer. Já a diretoria do Ypiranga, em nota, também repudiou a atitude do torcedor e prometeu investigar o caso, colocando-se à disposição da Justiça para ajudar a esclarecer o caso. Vergonha nacional!

Classificação
Ontem sexta, 9, o Voltaço jogou contra o Remo, no Raulino de Oliveira, e, devido ao fechamento da edição, não tivemos como acompanhar a partida. Mas, é claro, ficamos torcendo por uma vitória do tricolor de aço.

Arbitragem
Jogadores, comissão técnica e torcedores reclamaram, e com razão, da péssima atuação do árbitro Marcos Mateus Pereira, na derrota do Voltaço para o Ypiranga, por 2 a 0. O soprador de apito, no primeiro gol dos gaúchos, não viu que o atacante Jackson empurrou o zagueiro Heitor, que se contundiu no lance, tendo que ser levado de ambulância para o hospital. Também deixou de marcar um pênalti claro contra o Ypiranga, quando a bola tocou na mão de um zagueiro. Sem falar no pênalti mal marcado contra o Voltaço, que o goleiro Douglas Borges defendeu. O cara é muito fraco.

Marroni
O jornal ‘O Lance’, na coluna do jornalista César Guimarães, afirmou, na edição do dia 5 de agosto, que o atacante Marroni, do Vasco, tem 10% dos seus direitos econômicos “desaparecidos”. Ou seja, o Vasco detém 70%, o Volta Redonda outros 20% e 10% ninguém sabe de quem são. É um caso típico de novela mexicana! Filho bonito tem pai. Quem será o pai dos 10%?

História
Quando era repórter, Ednésio Quimp, da Rádio do Comércio, flagrou o time da Cabofriense fazendo uma oração antes de entrar em campo. Os jogadores estavam numa rodinha, abraçados e já rezavam o “Pai Nosso”, quando Ednésio colocou o microfone na boca de um deles. Deu para ouvir: “Padre nosso que estás no céu, certificado seja o vosso nome”. É mole? Mas Deus perdoa, não é?

Acompanhe
A equipe seleção do rádio acompanha todos os jogos do Voltaço e os demais clubes do Rio de Janeiro através das rádios web Equipe seleção do Radio (face book), Comércio Web (RadiosNet) e pela Rádio Destaque Popular on line (Radiosnet). No seu computador ou no celular.

Barra Mansa
O Leão voltou a rugir e continua invicto no segundo turno da série B2. No domingo, 4, obteve a sua segunda vitória consecutiva ao derrotar o Pérolas Negras, por 2 a 1, na Colônia. Amanhã, domingo, 11, o Barra Mansa joga contra o Rio – São Paulo às 15 horas no Los Larios, em Duque de Caxias.

Bola fora
Para a torcida ou parte da torcida do Ypiranga-RS, que ofendeu com frases de cunho racista os jogadores do Voltaço. Ridículo, sobre todos os aspectos. O Voltaço tem que exigir que os culpados sejam punidos. Que punam até o clube…

Bola dentro
Para os atletas brasileiros que estão brilhando nos jogos Pan-americanos. Estão em segundo lugar no quadro de medalhas. E vem mais por aí. Valeu, rapaziada!

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.