Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Terça-Feira, 26 de Março de 2019
0
Publicado em 11/03/19, às 09:31

Bate-bola Sergio Luiz

Varandão da saudade

Esta foto é de um combinado do União E.C. São Geraldo, S. E. Retiro e o DMA da CSN. Foi tirada no Estádio Municipal da minha Além Paraíba (MG), numa partida amistosa com o São José E.C., meu ex-clube, em 1972. Pertence ao acervo do Nilo.

Em pé, da esquerda para a direita: Julinho (diretor), Valci, Jota, Álvaro, Joaquim Lagoa, Jair, Zé Gordo, Jorge Zumbi e Noel (treinador). Agachados: Zé Luiz, Cunha, Nelsinho, Lulu, João Canela, Vado, Feijão e Nilo.

Voltaço dançou em campo

Depois de desfilar diante do Botafogo (ganhou de 1 a 0), no sábado de Carnaval, o time do Volta Redonda parecia estar de ressaca na tarde de ontem, sexta, 8. Resultado: perdeu para o fraco time do Bangu por 1 a 0, gol de Anderson Lessa, aos 25 minutos do primeiro tempo.
Apesar da nota baixa em campo, o Voltaço continua líder do grupo A, com seis pontos, contra quatro de Fluminense e Vasco, que ainda vão jogar neste final de semana. Se os dois grandes perderem ou mesmo empatarem com Cabofriense e Flamengo, respectivamente, o tricolor de aço vai passar mais uma rodada à frente dos adversários.
E vai ficar faltando pouco para garantir uma das duas vagas na semifinal do Carioca, reservadas para os dois melhores na contagem geral, além dos dois campeões da Taça Guanabara e Taça Rio.
O ruim é que o próximo adversário do Voltaço será o Flamengo, no sábado, 16, às 19 horas, no Maracanã. Um fio desencapado, com certeza. Mas, pelo que vinha jogando – esqueça a derrapada de ontem diante do Bangu –, o tricolor de aço pode voltar do Maraca com pelo menos um empate e um pontinho, que pode ajudar no final do Carioca. Quem viver verá!

Conselho
O conselho Deliberativo do Voltaço, em reunião extraordinária no dia 14 de fevereiro, aprovou a adoção de um valor promocional para atrair novos sócios contribuintes. O valor será de R$ 50,00 e vale para todo o mês de março. Os interessados podem procurar a secretaria do clube na Avenida Ronald Jarbas, no São Lucas, levando uma foto 3×4 e comprovante de residência.

Marrony
O voltarredondense Marrony, 20 anos, joia rara do Vasco, já está sendo monitorado por vários clubes europeus. Há quem diga que até o final do ano, o garoto deverá ser negociado, seguindo os passos de Paulinho (R$ 78 milhões) e Douglas (R$ 49 milhões). Segundo uma fonte, a multa liberatória de Marrony deve atingir a casa dos R$ 150 milhões. O Voltaço teria direito a de 20% a 30% dos direitos sobre o atleta, mas o clube já os teria negociado. Resta saber se o Voltaço ainda terá direi-to a alguma grana como clube forma-dor do atleta, coisa que terá que ser devidamente comprovada. Confuso!

Barra Mansa
Um grupo de torcedores do Barra Mansa continua desen-volvendo a campanha sócio-contribuinte para tentar salvar o Leão. Até agora, o clube conta com 14 sócios em dia com as mensalidades Na prestação de contas de janeiro, fevereiro e março, arrecadou-se R$ 800,00, que deram para pagar duas contas da Light – uma de R$ 263,06 de agosto de 2018 e outra de R$ 268,32 de setembro. O mesmo grupo tenta negociar com outros fornecedores e espera a adesão de mais torcedores.

Mudanças
A Internacional Board aprovou mudanças nas regras do futebol. Entre elas, a tal mão na bola, que será mais precisa e detalhada. Gols marcados diretamente com a mão ou oportunidades de gol criadas depois de ganhar a posse da bola com a mão, mesmo que de forma acidental, não deverão mais ser permitidos. Outra mudança: os jogadores substituídos terão que deixar o campo na linha mais próxima. Não haverá mais obrigação de que a bola deixe a grande área na saída de bola em tiros de meta ou cobranças de falta dentro da área. No bola ao chão, o árbitro deverá reiniciar a partida desta forma quando a bola bater em seu corpo. E os goleiros agora só serão obrigados a manter um de seus pés sobre a linha de gol. Mais uma: os membros da comissão técnica serão punidos com cartões amarelos ou vermelhos, como os jogadores. As alterações entrarão em vigor a partir de 1º de junho.

História

Essa é do desportista Lauro Barros. Conta que na década de 60, a seleção de Resende recebeu, em seu estádio, a visita da seleção de Barra Mansa. Foi um jogo tumultuado. O time barramansense vencia por 1 a 0 e o juiz fazia de tudo para que o time da casa empatasse. Aos 44 minutos, para preservar a pele, marcou um pênalti contra o Leão. É claro que os jogadores visitantes partiram para cima do juiz, que não se intimidou e manteve a decisão. Bola na marca da cal, o atacante ajeitou-a carinhosamente. Na meta, o goleiro, encostado numa das traves, berrou: “Isso é sacanagem. Pode bater, não vou nem tentar pegar. É pênalti roubado. Pode fazer o gol”. Diante do inusitado, o artilheiro correu para a bola e tocou devagarzinho para o meio do gol. Resultado: o goleiro, vendo a bola rolando mansamente, saiu correndo e defendeu o pênalti. Aí não teve jeito, o pau comeu de vez na casa de Noca.

Bola fora
Para os gênios da Federação Carioca que continuam aprontando na hora de marcar os jogos. É sexta, às 16h30min; é pelada no Maracanã às 21h30min; ou às 10 da manhã de sábado. Uma zorra total. Tudo para atender à Rede Globo. Também, né? Quem manda os clubes, na forca, pedirem esmolas adiantadas? Tem mais é que comer na mão da Telinha mesmo.

Bola dentro
Para as mudanças da Fifa nas regras do futebol. Já não era sem tempo. Outras mudanças ainda deverão ocorrer, como a lei de impedimento, que precisa ser atualizada. Valeu!

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.