Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Sexta-Feira, 22 de Junho de 2018
0
Publicado em 05/03/18, às 10:35

Bate-boca virtual

A voltarredondense Natália Santos Costa está dando o que falar nas redes sociais. Acontece que ela usou seu perfil no Face-book para reclamar do prefeito Samuca Silva, mais especificamente do material escolar disponibilizado pela secretaria de Educação aos alunos da rede pública. Segundo Natália, nada do que foi entregue às crianças corresponde ao prometido. Mas, até aí, tudo bem. Pois, como a própria reclamante diz, “a página é sua e escreve lá o que bem entende”. A ‘treta’, no entanto, começou quando uma internauta, identificada como Verônica de Paula Araújo, tomou as dores do Palácio 17 de Julho e resolveu comprar a briga publicamente.

 

Em sua rede social, Natália conta que foi ameaçada por Verônica logo após criticar o kit escolar composto por uma mochila, dois cadernos e um estojo com lápis, borracha, cola e apontador, que seu filho recebeu no início de janeiro. A seguir, o desabafo na íntegra. “Nossa como a pessoa pode ser tão mesquinha uma pessoa que diz ser funcionária do nosso Prefeito Samuca Silva ter coragem de me chama no Messenger é me ameaçar se caso eu não apagasse a publicação que postei sobre o material escola muito baixa ela. Uma funcionária pública ameaçando um cidadão onde vamos para. Me falem onde na publicação eu desacatei o prefeito. Simples ela vai ter que prova né porque ela mesmo conserteza denunciou a publicação e o face apago né meu bem”, escreveu, revoltada.

 

Logo em seguida, Natália atacou a internauta – suposta funcionária pública. Em nova postagem, publicou um print com mensagens via Messenger onde aparece Verônica exigindo que ela apagasse a reclamação, caso contrário levaria o caso ao conhecimento de Samuca. “Então iremos resolver isso com senhor prefeito Samuca Silva. Eu trabalho para ele, na prefeitura. Eu vou mostrar isso para ele. Que você está desacatando a autoridade pública que ele é. Eu, junto com a prefeitura e junto com o senhor prefeito iremos te denunciar”, revelou.

Como Natália não cedeu à chantagem, Verônica teria denunciado ao Facebook a postagem (uma alternativa disponibilizada pela empresa para moderar ataques entre os usuários. Geralmente faz-se esse tipo de denúncia quando alguém sente sua dignidade violada por conta de comentários preconceituosos ou que incitem à violência e ao crime). Além disso, a suposta funcionária foi além na ameaça. No print, Verônica aparece dizendo que o filho de Natália não estudaria mais em nenhuma escola da rede de Volta Redonda. “Ou você tira aquela crítica que fez contra ele e contra a prefeitura ou iremos denunciar você e nunca mais seu filho poderá estudar em (sic) nenhuma outras escolas públicas. Você que escolhe”.

 

Em sua página pessoal, Verônica continuou a discussão. Chegou a fazer uma postagem ridicularizando quem reclama de kit escolar. Segundo ela, pobre, cujo filho estuda em escola pública, não deveria questionar o que recebe do governo. “Os pobres metidos a ricos reclamando dos materiais escolares das escolas públicas de Volta Redonda que seus filhos ganham, só rindo mesmo porque vocês pobres não vão se preocupar com a educação dos seus filhos para que eles não se tornem usuários de crack e de drogas elícitas e não virem bandidos e parem de reclamar só os pobres que não vão às ruas fazerem o movimento para mudar o país e só reclamam que a bolsa família está pouca e só reclamam do material escolar das escolas públicas que está em péssimas qualidades , eu acho que as escolas públicas de Volta Redonda são muito melhores que às outras escolas de outras cidades e de outros estados. Eu estou muito grata e satisfeita pelo o que o prefeito está fazendo para melhorar a nossa cidade, para tornar a cidade melhor”, reclamou.

 

Verônica continuou dizendo que mães gastam o que recebem como auxílio no bar. “Tem mães que recebem bolsa família e fica gastando o dinheiro da bolsa família comprando litrão de cerveja itaipava no boteco de quinta categoria e deixa seus filhos jogados e largados no meio da rua qual será a educação que essas crianças vão ter no futuro sendo largadas pelas próprias mães que recebem bolsa família e bolsa auxílio aos presidiários”, completou a funcionária.

 

O bate-boca entre as duas ganhou adeptos de ambos os lados. Amigos de Natália compartilharam a discussão, provocando o prefeito Samuca a dar uma resposta. Na página de Verônica algumas pessoas também fizeram eco ao seu posicionamento contrários aos pobres reclamões.

 

O aQui tentou contato com as duas protagonistas da briga. Até o fechamento desta edição, Natália não respondeu e Verônica excluiu seu perfil logo após o jornal contata-la..

a prefeitura também foi procurada. Em nota, a secretaria de Comunicação disse que a informação não procede e que a prefeitura não tem nenhuma funcionária com este nome. No entanto, afirmou que o governo não compactua com o comportamento descrito na matéria.

 

Nota da redação: As postagens dos envolvidos na confusão virtual foram reproduzidas na íntegra pelo jornal. Eventuais erros de digitação e de Português cometidos pelas internautas em questão foram mantidos para garantir a veracidade das postagens.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.