Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Segunda-Feira, 16 de Setembro de 2019
0
Publicado em 09/09/19, às 09:12

‘Balaio de gatos’

O prefeito Samuca Silva anunciou na quinta, 5, para surpresa geral, várias mudanças no primeiro escalão do governo. Entre elas, o aproveitamento de ex-adversários nas eleições de 2016. Foi o caso do ex-deputado estadual Nelson Gonçalves, da ex-vereadora América Tereza e do empresário Rogério Loureiro, seus inimigos na política até bem pouco tempo. “Nosso governo é do diálogo”, resumiu. “Mostramos que, com a união de pessoas que realmente amam Volta Redonda, podemos unir o que as pessoas têm de melhor para nossa cidade avançar. Agradeço a confiança da América Tereza, do Nelson e do Loureiro. Unidos por amor a Volta Redonda, vamos ter muitas conquistas para a população”, crê Samuca.

 

A bomba pegou meio mundo de surpresa. Nos bastidores, entretanto, muitos sabiam que o Palácio 17 de Julho flertava com Nelson Gonçalves já há muito tempo. Quando Nelsinho, filho do ex-parlamentar e ex-vice-prefeito de Neto, foi nomeado para um cargo sem função – de diretor do Hospital Santa Margarida, ainda fechado –, o ex-deputado quase ‘samucou’. Assediado pelo ex-prefeito Neto, Nelsinho sumiu do mapa, dando a impressão que tinha capitulado. Só reapareceu no mês passado, quando foi visto almoçando com Márcia Cury, ‘amiga-inimiga’, que é coordenadora da Policlínica Municipal. E deu no que deu. Nelsinho, com seus 22.215 votos, vai assumir o Gegov (Gabinete de Estratégia Governamental), que era ocupado por Claro Mariano.

 

Enquanto Nelsinho era seduzido por Márcia, o Palácio 17 de Julho começou a assediar a ex-vereadora América Tereza, aliada de Neto, pelas mãos do ex-vereador Maurício Batista. Uma fonte conta que inicialmente o cargo oferecido a Tereza – que obteve 35.576 votos nas eleições de 2016 – seria o que foi entregue a Nelsinho. Conversa vai, conversa vem, Tereza ganhou a cadeira que era de Dayse Penna, passando a comandar a secretaria de Políticas para Mulheres, Idosos e Direito Humanos (Smidh).

 

Para ‘fechar o caixão’ (expressão popular, tá, gente?), Samuca atraiu Rogério Loureiro para o Palácio 17 de Julho. Ex-vice de Zoinho – a chapa obteve 8.853 votos –, o empresário vai assumir a secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo, cujo ex-titular ganhou como prêmio de consolação a secretaria de Projetos Especiais e Captação de Recursos (Casa Civil, um cargo que nunca existiu).

 

O engraçado é que Samuca nas entrevistas às rádios e jornais (ver matéria nas páginas 14 e 15) insiste em dizer que não está preocupado com as eleições de 2020. Está sim, e muito. Não é à toa que o ex-prefeito Paulo Baltazar, cacifado por 50.881 votos obtidos no primeiro turno na eleição de 2016 e 74.049 no segundo turno, também trabalha para o governo Samuca, seduzido que foi com a oferta do cargo de diretor médico do Hospital do Retiro, depois de ter sido dispensado como médico de duas prefeituras vizinhas.

 

Assim, Samuca vai começar o ano eleitoral de 2020 tendo ao lado quase todos os ex-adversários políticos, políticos que atacava como sendo representantes da velha política. Há quem brinque até que, em breve, ele pode vir a convidar o ex-prefeito Gotardo e o ex-deputado federal Deley de Oliveira para trabalhar com ele. Resta saber como é que o Palácio 17 de Julho vai domar políticos que nunca tiveram um patrão, como é o caso de Nelsinho e Loureiro. Com Tereza, Baltazar e Márcia, todos no mesmo barco, Samuca não deve ter problemas, pois todos já têm experiência em dizer sim, cada qual em seu lugar.

 

O teste começará a ser feito na segunda, 9, quando Nelsinho, Tereza e Loureiro deverão ‘bater ponto’ em suas novas funções. “O momento do Brasil e de Volta Redonda é do diálogo e união de esforços para superar os problemas do dia a dia da população. Independente das questões partidárias, das cores das camisas, precisamos unir esforços por nossa cidade”, espera Samuca.

 

Só para relembrar e pensar mais à frente, veja abaixo os resultados das eleições de 2016, lembrando que Márcia Cury, integrante do Grupo dos Notáveis’ do Palácio 17 de Julho obteve 17.785 como candidata a deputada estadual.

Samuca – 1° Turno: 39.547 / 2° Turno: 89.055
Baltazar – 1° Turno: 50.881 / 2° Turno: 74.049
América Tereza – 35.576
Nelson Gonçalves – 22.215

‘Amar é…’

Procurado para analisar a união inusitada de seus amigos e aliados com Samuca Silva, o ex-prefeito Neto não quis polemizar. Muito, é claro. “Quem tem de avaliar essa aliança é a população de Volta Redonda”, destacou, aproveitando a oportunidade para deixar no ar mais uma alfinetada ao atual prefeito. “Como diz o ditado, quem ama cuida. E a nossa cidade está muito mal cuidada”, analisou.

‘Incompatibilidade política’

Procurada para falar, Dayse Penna usou pouquíssimas palavras, garantindo que o que motivou sua saída foi “incompatibilidade política” entre ela e Samuca. “Vou me dedicar ao mestrado e continuar atuando nas causas de enfrentamento da violência. Este mês é significativo para a prevenção do suicídio; penso que o estado de depressão é motivado por diversas violências que a sociedade mantém ocultas”, filosofou.

 

Quando questionada para onde iria e se Samuca ‘pagou’ a dívida de honra que ele dizia ter com ela desde que não conseguiu mantê-la no cargo de vice-prefeita, Dayse não quis polemizar. Preferiu desconversar, inclusive depois de ser perguntada se estaria decepcionada com os novos acordos políticos do prefeito. “Parodiando a nossa querida Arlete Sales… Prefiro não comentar”, ironizou Dayse, encerrando a conversa.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.