Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Terça-Feira, 12 de Dezembro de 2017
0
Publicado em 21/11/17, às 10:10

Agora vai!

DSC_6155_SITE
Roberto Marinho
A probabilidade dos voltarredondenses ganharem um presentão de Natal é grande. Ou melhor, podem ganhar dois. Um deles parece até fruto de um milagre, tipo olhar para o céu e ver Papai Noel voando com suas renas pela cidade do aço. Estamos falando da inauguração da Rodovia do Contorno. O segundo, para não estragar a festa, só divulgaremos na próxima edição, e o bom velhinho poderá estar presente, com sua tradicional barba branca para contrastar com a barba preta do prefeito Samuca Silva, que vai encerrar o seu primeiro ano de governo curtindo os mimos deixados pelos seus antecessores.

A conclusão da Rodovia do Contorno, por exemplo, já tinha virado motivo de chacota. Não é para menos. Foram mais de 20 anos de expectativas, e promessas, muitas promessas. A primeira data do final da década de 70, quando o ex-prefeito Paulo Baltazar promoveu a primeira inauguração da via. Detalhe importante: de um pequeno trecho de 100 metros de asfalto de um total de 13 quilômetros. Nas décadas seguintes, embates jurídicos com alguns latifundiários, disputas ambientais e muita política fizeram com que muito dinheiro público escoasse pelos ralos da Rodovia dos Metalúrgicos. Coisa da ordem – cruzes – de R$ 80 milhões.

Felizmente, o último ato deve acontecer na primeira quinzena de dezembro. Pelo menos é o que garantiu a Acciona – uma das várias empresas responsáveis pela obra – ao prefeito Samuca Silva, durante reunião na tarde de segunda, 13, com técnicos do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte), ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre) e DER (Departamento de Estrada de Rodagem).

O engraçado é que o enredo deste ato não ficou claro nos releases enviados aos jornais. Pra começar, a data da inauguração da ‘Rodovia do Transtorno’, como a obra chegou a ser apelidada, está indefinida. Ganhou ares de suspense. Pode até ser marcada, oh glória, para a noite do dia 24 de dezembro, para deixar o Natal de Samuca mais alegre.

Filiado ao Podemos, Samuca, depois de 12 meses de governo, vai poder promover a ‘inauguração do ano’, desejada por todos os prefeitos que ocuparam a cadeira principal do Palácio 17 de Julho (Baltazar, Gotardo e Neto). Alguém mais maroto diria que os três, incluindo os governadores Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão, deixaram o abacaxi descascado e fatiado para Samuca se lambuzar. E ele vai entrar para a história da cidade do aço por entregar uma obra que durou 20 anos para ser concluída.

Mas nem tudo são arranjos natalinos. Samuca chegou a demonstrar preocupação, durante a reunião no Palácio, de que a Contorno seja inaugurada com todas as condições de funcionamento. Ou seja, sem gambiarras. “Não adianta entregar a obra sem a possibilidade de trafegar por ela”, disparou Samuca, acrescentando que a prefeitura de Volta Redonda faria o que fosse necessário para liberar a rodovia para o tráfego. E, acompanhado por assessores, despencou de sua sala em direção ao canteiro de obras, onde pôde constatar que vários carros já trafegam pela via (ver foto).

É bom que ele se preocupe mesmo. Os acessos à rodovia, por exemplo, estão praticamente prontos. Só por poucos lugares ainda não se consegue acessar a pista principal. No trevo de Três Poços existe até uma guarita, com vigilante a postos 24 horas, para impedir o acesso dos motoristas apressadinhos. Segundo o segurança que estava de plantão, apenas carros de moradores de fazendas ao longo da rodovia podem passar, além, é claro, dos carros da Acciona que estão trabalhando na obra. No outro acesso, na Rodovia dos Metalúrgicos, algumas manilhas de cimento continuam posicionadas para evitar que os motoristas passem.

Mas o que está tirando o sono de Samuca em relação à obra são os bois e as cercas. Ou a falta delas. A preocupação do prefeito é que os animais das fazendas que ainda existem ao longo da rodovia, como da família de Maurinho Campos Pereira, seu ‘assessor’ político, invadam a pista, o que pode provocar acidentes gravíssimos. O levantamento dos pontos sem cercas para impedir a invasão dos bovinos está sendo feito e, segundo uma fonte, o custo de implantação da cerca será bancado pela administração de um condomínio de luxo, que tem interesse na área.

De qualquer forma, realmente falta muito pouco para o grande final, apoteótico, de Samuca. A pista de 13 quilômetros já está totalmente pronta, assim como os acessos na altura do Jardim Vila Rica – na Rodovia dos Metalúrgicos – e em Três Poços, na ligação com a BR-393. Nestes últimos locais, todas as obras de arte (viadutos e anéis rodoviários) estão prontos e asfaltados, faltando somente a colocação de algumas placas e a pintura da sinalização horizontal, conforme verificou a reportagem do aQui.
TAC
Na reunião de segunda, Samuca aproveitou para prestar contas das ações da prefeitura em relação ao TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) firmado com o Ministério Público por causa do impacto ambiental da obra de construção da Rodovia do Contorno. E ele disse que o dever de casa foi feito. “O que depende da prefeitura no TAC está garantido”, afirmou, fazendo uma ressalva: “Mas dependemos de outros órgãos. Volta Redonda está à disposição e faremos o que estiver no nosso alcance”.

Entre as ações da prefeitura – previstas no TAC – estão o plantio de quatro mil mudas para criar uma Barreira Acústica Verde, na altura do bairro Vila Rica, o que também deverá ser repassado ao condomínio de luxo existente em área cortada pela rodovia. E que vai ganhar um acesso em troca. O governo do Estado deve plantar outros 65 hectares de mudas no Parque Estadual da Serra da Concórdia, em Valença, também como compensação ambiental pela obra.

A prefeitura também encaminhou ao Ministério Público – como parte do TAC – o levantamento de todos os proprietários das terras no entorno da rodovia, com o número de processo de desapropriação. Curiosidade: só um não teria sido resolvido e este seria justamente o da família do empresário-assessor Maurinho Campos Pereira.

Essas e outras questões, como a sinalização e a colocação de redutores de velocidades em alguns trechos, serão debatidas no próximo dia 30 de novembro – que todos sonham ser a última reunião antes da inauguração – finalmente! – da Rodovia do Contorno. Parece mesmo coisa de Papai Noel. Hohoho!

Ciúmes de você
ze iran e samuca
A movimentação de Samuca preparando terreno para a sonhada festa de inauguração da Rodovia do Contorno gerou ciúmes a quilômetros de distância da cidade do aço. Chegou na cidade maravilhosa, onde um voltarredondense se encarregou de bater no peito e falar, todo orgulhoso, “a filha é minha!”. Estamos falando do atual secretário estadual de Obras, José Iran Peixoto, que herdou o cargo do também voltarredondense Hudson Braga. Em entrevista ao Diário do Vale de quinta, 16. Zé Iran, como é conhecido, minimizou a postura do governo Samuca. “A prefeitura de Volta Redonda também ajudou em serviços como a retirada de entulhos”, disse, mostrando estar disposto a puxar para Pezão o título de ‘pai da Contorno’. Zé Iran, pela primeira vez, disse ainda ao Diário do Vale que a obra da Contorno já consumiu uma soma milionária superior a R$ 100 milhões. “R$ 104 milhões no total”, disparou, salientando que essa dinheirama toda teria saído dos cofres do governo do Estado. Tem mais. Disse que pretende cobrar do governo Federal a verba utilizada na obra. “O governo do Estado está em tratativas com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) para o acerto de contas referentes ao convênio firmados para a complementação desta rodovia”. Ou seja, estão conversando para ver quem vai pagar a conta. E, quem sabe, ter a primazia de inaugurá-la.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.