Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Terça-Feira, 22 de Maio de 2018
0
Publicado em 19/01/18, às 18:39

‘Ação entre amigos’

JOSELITO

Roberto Marinho

Economizar R$ 30 mil e ter exclusividade para oferecer seus produtos a 120 mil pessoas durante uma feira de alcance regional é uma oportunidade que ninguém vai recusar, certo? Certo, ainda mais se for adepto da famosa ‘Lei de Gerson’, craque do futebol brasileiro que originou o princípio em que determinada pessoa ou empresa obtém vantagens de forma indiscriminada, sem se importar com questões éticas, financeiras ou morais. 

 

Guardadas as proporções (não sabemos se foi craque de peladas) é o caso de Maurinho (Campos Pereira), empresário e assessor político do prefeito Samuca Silva. Dono do cemitério Portal da Saudade, da construtora Aceplan, entre outras, o ex-presidente da Associação Comercial de Volta Redonda vai ocupar 10 estandes da 6ª edição do Liquida VR, tida pelos seus organizadores como a maior feira de liquidação do Sul Fluminense, a ser realizada entre 15 e 18 de março, sem gastar um centavo. Totalmente de graça.   

 

Merecer a cortesia, Maurinho pode até merecer. Mas alguns concorrentes de sua empresa de construção civil não pensam assim. “Vocês vão denunciar a exclusividade do Mauro Campos no Liquida VR? As vendas (dos estandes) já começaram e dá para simular a compra de um stand, basta dizer que é para uma construtora ou imobiliária…”, escreveu um deles em e-mail ao aQui. “Não é possível que ninguém tenha coragem de enfrentar esse Maurinho…”, desabafou, provocando a reportagem a apurar sua denúncia.

 

Ele está certo. Até prova em contrário, em todas as edições da feira a exclusividade no ramo de construção e incorporação imobiliária sempre foi da Aceplan, empresa de Maurinho. Joselito Magalhães, atual presidente da Associação Comercial e dublê de secretário de Desenvolvimento Econômico de Volta Redonda, confirma a prioridade e a cessão – gratuita – de 10 dos 160 estandes da próxima feira. Para ele, tudo seria fruto da parceria de longa data da entidade para com a empresa e vice-versa.

 

“Neste evento nossos clientes são os empresários de Volta Redonda. O primeiro Liquida VR foi muito difícil de realizar. Tivemos três meses para organizar tudo, ninguém acreditava muito. Por isso os parceiros – e alguns estão conosco desde o primeiro momento – são muito importantes”, alega. Ele vai além. Diz que o público não absorveria estandes de mais uma construtora. “Não adianta colocar três lojas de material de construção, por exemplo. O público vai se dividir e o resultado não será bom para nenhum dos empresários”, pontua, afirmando que em outros segmentos – roupas e calçados, por exemplo – o número de expositores é maior para atender todos os níveis de público, do popular ao mais sofisticado. 

 

Voltando à parceria com Maurinho, Joselito diz que o valor de R$ 30 mil que o empresário deveria pagar para ocupar os 10 estandes (cada um custa R$ 2.944) é pago em forma de permuta que a Aceplan faz da feira pela televisão. “Ele (Maurinho) usa esse valor na divulgação, é uma parceria”, tenta explicar, garantindo que a empresa convoca os potenciais compradores de imóveis – populares – para ir até seus estandes no Liquida VR.

 

Ele pode estar certo. Mas como presidente de uma associação que deve ter outros empresários do setor da construção civil e secretário do governo Samuca, que prioriza a geração de empregos, Joselito deveria se preocupar em: 1 – não favorecer nenhum dos associados, mesmo que  sejam seus amigos; 2 – atrair novas empresas para a cidade do aço. Da área da construção civil, passando por sapatos, a penduricalhos, desde que gerem novos empregos.  

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.