Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Terça-Feira, 12 de Dezembro de 2017
0
Publicado em 04/12/17, às 13:50

‘8 horas já’

Os metalúrgicos da CSN encerraram, na quarta, 28, mais uma etapa para a implantação do turno de 8 horas na Usina Previdente Vargas. Trata-se da escolha, por votação, da melhor tabela e horários para a mudança da jornada. Três opções foram apresentadas e a escolhida, por 92,9% dos votos (2.841), foi a do 4×1, 4×1, 4×2, (entenda melhor abaixo). Eles também puderam escolher o horário de cada turno e recusaram, apenas, a possibilidade de sobreposição de 15 minutos a cada troca de turno. A nova jornada, de 8 horas, vai entrar em vigor ainda em dezembro.

A votação, realizada na Praça Juarez Antunes, foi organizada pelo Sindicato dos Metalúrgicos e contou com três cédulas diferentes. Na primeira, foi possível decidir sobre a sobreposição de 15 minutos na troca de turno. Se votassem “Sim” – o que não aconteceu –, os horários disponíveis eram 23h45 às 8h; 7h45 às 16h; 15h45 às 24h; ou 22h45 às 7h; 6h45 às 15h; 14h45 às 23h. Se optassem pelo “Não” – como ocorreu –, os horários seriam de 0h às 8h; 8h às 16h; 16h às 0h; ou 23h às 7h; 7h às 15h; 15h às 23h.
Na segunda cédula de votação, o trabalhador pôde escolher entre o “Horário Par” (0h às 8h; 8h às 16h; 16h às 24h ou 23h45 às 8h; 7h45 às 16h; 15h45 às 24h) ou o “Horário Ímpar” (23h às 7h; 7h às 15h; 15h às 23h; 22h45 às 07h; 6h45 às 15h; 14h45 às 23h). Neste item, os operários escolheram a opção “Horário Ímpar” (1.810 votos), com o horário de 23h às 7h; 7h às 15h; 15h às 23h.

Para Silvio Campos, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, a jornada escolhida facilita o retorno de casa para o trabalhador do último horário (23h). “Saindo meia noite, o cara acabava perdendo o último ônibus e teria que ir embora a pé”, avaliou.

Já na terceira e última cédula de votação, os trabalhadores tiveram a oportunidade de escolher a tabela de turno que quer cumprir: se 4×1 4×1 4×2 com a última folga de 80h; 5×1 5×1 5×3 com a última folga de 72h; 6×2 6×2 6×2 com a última folga de 80h; ou ainda 6×1 6×2 6×3 com a última folga de 96 horas. A primeira opção foi a mais votada, com 2.841 (92,9%) votos. Sobre a Sobreposição foram 2.342 votos pelo NÃO (76,64%) e 682 pelo SIM (22,32%). Brancos somaram 26 (0,8%) e nulos 6 votos (0,1%).
Após a apuração dos votos, a CSN foi comunicada imediatamente do resultado da votação e, desde então, trabalha na elaboração das novas tabelas, para a implantação definitiva do turno de 8 horas.

Volta do turno – Com votação apertada, os trabalhadores da CSN decidiram, no último dia 23 de novembro, aceitar a proposta da empresa pela implantação do turno de 8 horas. Foram 2.202 votos contra 1.742. Na ocasião, a CSN ofereceu um abono de R$ 4 mil, sendo R$ 2 mil em até 5 dias úteis após a homologação (1/12), R$ 500 em crédito no cartão-alimentação no dia 15 de dezembro e a terceira parcela, de R$ 1.500,00 no pagamento de maio de 2018. Inicialmente, a CSN havia divulgado boletim informando que a primeira parcela do abono seria paga no dia 30 de novembro, o que não ocorreu. Os valores depositados no dia 30, conforme o aQui apurou, foram referentes ao salário de novembro e à primeira parcela do 13º. O abono ficou de ser depositado ontem, sexta, 1.
PLR – A Usiminas, concorrente da CSN, antecipou de abril para dezembro o pagamento, a título de Participação nos Lucros e Resultados, correspondente a 30% do salário-base dos empregados. O benefício, mais de R$ 11 milhões, contempla quase 10 mil empregados da Usiminas, Unigal Usiminas e Mineração Usiminas. A expectativa é a de que os empregados recebam o benefício já na próxima quinta, 7.

Cade – Por falar em Usiminas, o Cade arquivou processo em que a CSN questionava a compra de ações da Companhia pela Ternium/Techint em 2012. A CSN já havia perdido a batalha, mas ingressou com recurso, que não foi aceito. A CSN tenta provar que houve troca de controle na Usiminas, quando houve a negociação dos papéis.

Fraude – A CSN está desconfiada de que alguém estaria usando o nome da empresa para vender produtos siderúrgicos a preços ‘camaradas’. O pior é que vende, recebe e não entrega a mercadoria.   

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.