Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Sexta-Feira, 14 de Dezembro de 2018
0
Publicado em 19/11/18, às 14:58

Ônibus – Na madrugada de terça, 6, fiscais da secretaria de Ordem Pública de Barra realizaram uma fiscalização em todos os ônibus da Empresa Colitur. Segundo o titular da pasta, o ex-vereador Luiz Furlani, a ação é permanente, mas estaria sendo intensificada para melhorar a qualidade do transporte público na cidade. O engraçado é que Furlani nem se deu ao trabalho de dizer se apreendeu algum ônibus ou não. Como não apreendeu e, para ser justo, deveria dizer a verdade para não queimar a Colitur.

Ônibus (II) – Para piorar, o ex-vereador anunciou que a próxima empresa a ser fiscalizada seria a Triecon. “Nos próximos dias a vistoria será feita nos coletivos da Empresa Triecon, quando também serão verificados faróis, freios, catracas, limpeza, conservação dos assentos e principalmente o sistema de funcionamento das rampas de acesso a cadeirantes e deficientes físicos”, pontuou. Os donos da empresa agradecem.
Ônibus (III) – A fiscalização na garagem da Triecon, na Vila Maria, ocorreu na madrugada do dia seguinte, quarta, 7. E o resultado também não foi divulgado.

Lazer – Amanhã, domingo, 11, das 9 às 15 horas, a prefeitura de Barra Mansa realiza a terceira edição do ‘Lazer na Leste’. Dessa vez as ações serão concentradas na Avenida Waldomiro Peres Gonçalves, próximo ao Posto de Saúde do bairro Mangueira.

Na mesma praça (I) – Há coisas que só acontecem em Barra Mansa. Recentemente, por exemplo, o vereador Daniel Volpe, que não é da base aliada de Rodrigo Drable, fez o que todo político deveria fazer. Ele mesmo buscou recursos em Brasília para beneficiar moradores do bairro Bom Pastor. As verbas – no valor de R$ 74 mil – foram conseguidas por ele para a reforma da pracinha do bairro e ainda para a criação de uma Academia ao Ar Livre. Não satisfeito, conseguiu a promessa de que a localidade ganhará um núcleo do projeto “Virando o Jogo”, do Ministério do Esporte.

Na mesma praça (II) – Daniel não contou que tinha conseguido, ele mesmo, os recursos em Brasília. E nem contou que as obras seriam feitas imediatamente, às vésperas da eleição. E foram. Detalhe: em apenas três dias.

Na mesma praça (III) – Quando descobriu que a pracinha do Bom Pastor, doada pela Câmara de Barra Mansa há décadas, ganharia roupagem nova (a academia seria até coberta), o prefeito Rodrigo Drable teria espumado de raiva.

Na mesma praça (IV) – Para acalmar o prefeito, Daniel o convidou para a inauguração, que ocorreu na noite de 27 de setembro. Deixou até que Rodrigo falasse no evento, desde que não escondesse da população que ele, Daniel, é quem era o pai da criança.

Na mesma praça (V) – A obra repercutiu tão bem entre os moradores do bairro que a internauta Santana Vieira Honda fez questão de dar os parabéns ao jovem vereador. E postou o seguinte comentário: “você é de uma linhagem especial. E você mostra que com poucos recursos pode-se fazer muito. Meu futuro prefeito”.

Da série perguntar não ofende – Se Daniel Volpe conseguiu arrancar verbas sem intermediários, por que é que a prefeitura de Barra Mansa não consegue fazer o mesmo?

A conferir – Por falar em verbas, há quem acredite que os R$ 20 milhões (verbas da bancada fluminense) decantados por Rodrigo Drable para a conclusão do famoso Pátio de Manobras não chegarão aos cofres da prefeitura de Barra Mansa em 2019. Motivo: é que vários deputados federais, como Deley e Julio Lopes, não se reelegeram, e como as verbas não passam de uma sugestão – não seria impositiva –, é possível que tudo não passe de um sonho de verão.

2020 – Três nomes já se destacam entre os políticos de Barra Mansa como prováveis candidatos à sucessão de Rodrigo Drable. Todos empresários: o primeiro é o de Bruno Marini, seguido por Cláudio Manes e, correndo por fora, Alexandre da AM4, que poderá contar com o apoio da família Bolsonaro, caso tope o desafio de se lançar candidato à prefeitura de Barra Mansa.

Uniformes – O governo Rodrigo Drable vai comprar uniformes e kit escolares de uma empresa que leva o nome de Consórcio Intermunicipal Multifinalitário da Área Mineira da Sudene (CIMAMS), formado por 56 prefeituras do Norte de Minas Gerais. O consórcio foi criado em 2015 e sua área de atuação prioritária seria voltada para a iluminação pública dos mineiros. Teoricamente, o CIMAMS não visa lucros e não prejudicaria o comércio dos municípios. “A Central de Compras, que consiste em outra área em que o Consórcio pretende atuar, não prejudicará o comércio dos municípios, já que serão comprados por meio do Consórcio os produtos que não forem encontrados localmente”, dizem seus diretores. Mas, com certeza, pode prejudicar o comércio de Barra Mansa, não é mesmo?

Uniformes (II) – No caso de Barra Mansa, os uniformes escolares e os kit escolares serão fornecidos pela Brink Mobil Equipamentos Educacionais Ltda, empresa de ‘Atuba Colombo’, do Paraná.

Uniformes (III) – No site da Brink dá para checar quanto Rodrigo deve gastar. Cada kit para educação infantil, por exemplo, custa R$ 61,80; o Kit para anos iniciais sai a R$ 51,21 etc. Já os uniformes saem por R$ 178,42, com direito a três camisetas de manga curta, uma regata unissex, duas jaquetas, uma bermuda e uma calça.

Uniformes (IV) – O mais engraçado de tudo é que a prefeitura de Barra Mansa publicou na quarta, 7, um edital nos jornais dando conta que vai promover um pregão eletrônico (nº 103/2018) no próximo dia 30, às 9h01min, para receber propostas de interessados em fornecer uniformes para o governo Rodrigo Drable. Dá para entender?

Fazenda do Salto – A secretaria de Desenvolvimento Rural de Barra Mansa concluiu a recuperação de uma ponte no assentamento agrário da Fazenda do Salto, no distrito de Floriano. Considerada uma das principais vias de acesso para escoamento da produção leiteira local, a ponte recebeu reforço em sua estrutura, além de colocação de guias de orientação nas laterais. Também foram realizadas melhorias na estrada de acesso ao local, com a colocação de escória e abertura de valas para evitar o acúmulo de águas pluviais.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.