Jornal Aqui - Volta Redonda - Barra Mansa

Sexta-Feira, 14 de Dezembro de 2018
0
Publicado em 09/07/18, às 09:30

Grampos

escritorio central

Escritório Central (I) – As negociações entre Benjamin Steinbruch e Samuca Silva pelo Escritório Central emperraram de vez. É que o presidente da CSN recusou a proposta que o prefeito lhe fez de pagar R$ 50 milhões pelo prédio, em prestações mensais de R$ 500 mil durante 10 anos, divulgada com exclusividade pelo aQui (edição 1101, de 9 de junho).

 

Escritório Central (II) – Para piorar, o presidente da CSN teria apresentado uma contraproposta de receber os R$ 50 milhões a perder de vista, desde que a prefeitura lhe desse mais R$ 20 milhões em isenções de IPTU, a contar de 2018 (com vencimento no ano que vem). Que Samuca não concorda nem que a vaca tussa.

 

Escritório Central (III) – Pelo que o aQui apurou, na terça, 3, um dos diretores da CSN teria ligado para Samuca e lhe teria dado a má notícia: “O presidente da CSN recusou sua proposta e pediu que lhe fizéssemos uma contraproposta: ele aceita o pagamento parcelado de R$ 50 milhões, mas quer outros R$ 20 milhões em abatimento do pagamento do IPTU a partir do ano que vem”, relatou uma fonte do aQui.

 

Escritório Central (IV) – A resposta de Samuca teria sido um “pqp, assim não dá”, diz a fonte do aQui, que estava no Palácio 17 de Julho quando o prefeito recebeu a ligação de São Paulo. “Diga a ele que estou encerrando as negociações”, pediu Samuca. O recado deve ter sido dado.   

 

Escritório Central (V)  – A partir do impasse, aliados de Samuca imediatamente entraram em cena; contra a CSN, é lógico. Foi quando um deles soltou a sugestão: “Vamos desapropriar o Escritório Central a bem do interesse público” sugeriu, recebendo apoio dos demais. Samuca, que estava irritado, não teria esboçado nenhuma reação. O que já é um sintoma…

 

Escritório Central (VI) – A proposta de desapropriação defendida por aliados de Samuca se justifica, afinal, a prefeitura de Volta Redonda anda ruim das pernas, com queda de arrecadação e deveria desapropriar o elefante branco de aço, dando como garantia parte dos valores que estão sendo cobrados pelo Palácio 17 de Julho que a CSN deixou de pagar ao longo dos anos. “Assim, o município só terá que gastar com a reforma do prédio”, justificou. 

 

Escritório Central (VII) – Só pra relembrar, como o aQui divulgou com exclusividade, a última proposta de Samuca a Steinbruch foi a seguinte: a prefeitura de Volta Redonda pagaria R$ 50 milhões pelo prédio, em 10 anos, com prestações mensais da ordem de R$ 500 mil. Cederia ainda os dois últimos andares do prédio para a CSN usar a seu bel prazer. Mas tudo com uma condição: o martelo só seria batido em 2019. Durante esse prazo de carência, a prefeitura tentaria arrumar parceiros para ocupar os 13 andares do seu futuro imóvel. E, importante: se depois de um ano de carência o projeto não vingasse, o acordo seria desfeito.

 

Indigesto – Na noite de sexta, 29, segundo uma fonte, o empresário Ruy Munis, proprietário do grupo Soebras, estava jantando no Hotel Bela Vista com uns três integrantes do alto escalão do Hospital Vita. No dia seguinte, dois deles ficaram sabendo que não seriam aproveitados na administração do Hospital das Clínicas de Volta Redonda. pode-se dizer que a comida da noite foi indigesta.

PHOTO-2018-07-03-11-51-25

Placas – Uma das primeiras providências dos administradores do Hospital das Clínicas de Volta Redonda foi mandar retirar, na manhã de domingo, 1, as placas de identificação do Hospital Vita, que serão substituídas por outras novas, já com a logotipo da unidade. Aliás, o logo ficou muito bonito.

 

Baixas (I) – Segundo fontes do aQui, os novos donos do Vita Volta Redonda não teriam dado baixa nas carteiras dos cerca de 500 empregados do hospital, conforme determinação judicial. Mesmo assim, eles começaram a trabalhar para o Hospital das Clínicas já a partir de domingo, 1 de julho. Detalhe: cerca de 10% não teriam sido reaproveitados pelo HC. No popular, teriam sido demitidos. Alguns, inclusive, foram para as redes sociais reclamar da ‘demissão’.  

 

Baixas (II) – Entre os ‘não aproveitados’ (ou demitidos, como queiram) estariam, revelam as fontes, aqueles que optaram por não continuar trabalhando no hospital. Os aposentáveis, por exemplo. Outros teriam sido descartados por um pequeno grande detalhe: faltavam muito ou não vestiam a camisa do hospital. “Estavam sempre faltando”, justificou uma das fontes, pedindo anonimato.

 

Baixas (III) – Outra fonte, depois de confirmar que 10% dos funcionários do Vita não teriam sido aproveitados pelo HC, apresentou outra versão: “Parece que todo o pessoal de boa qualidade ficou”. É. Faz sentido.

 

Baixas (IV) – A respeito do percentual de não aproveitados (demitidos), a fonte garante que teria sido do interventor judicial a decisão pelo corte dos funcionários. “Eles cortaram em torno de 10% do quadro do hospital. Era a meta revelada pelo administrador judicial. Alguns cortes eram esperados. Mas, como disse, todo o pessoal de boa qualidade ficou”, avaliou a fonte, indo além. “A nova gestão está se empenhando, é voluntariosa e conta com o apoio da imensa maioria dos empregados e dos médicos”, pontuou. 

 

Plantada (I) – Até que alguém do Hospital das Clínicas diga oficialmente o que está acontecendo, os boatos vão tomar conta dos corredores da unidade. Para muitos, por exemplo, a informação do corte de 10% do pessoal do ex-Vita não procede. A notícia estaria sendo “plantada para criar o caos”, disse uma fonte. É. Pode ser.

 

Plantada (II) – Para esta fonte, que pede que seu nome não seja revelado, os únicos não reaproveitados pelo HC seriam do alto figurão administrativo do Vita. “Os mesmos que estavam jantando com Ruy Muniz”, ironizou. 

índice

Confirmado (I) – O médico voltarredondense Nelson dos Santos Gonçalves, ex-deputado estadual, como o aQui noticiou com exclusividade, será um dos pré-candidatos do PSD à Câmara Federal. A notícia foi confirmada na terça, 3, pelo pré-candidato ao governo do Estado, Índio da Costa. “Nossa escolha foi baseada em diversos fatores, entre eles a credibilidade do Nelson junto aos seus eleitores, que o acompanham durante sua trajetória política incontestável, onde a prioridade sempre foram os projetos defendidos pela população”, justificou Índio.

 

Confirmado (II) – Com seis mandatos consecutivos de deputado estadual, Nelson Gonçalves, disse que somente tomou a decisão de aceitar o desafio de renovar a bancada federal do Rio de Janeiro, em Brasília, após conversar com lideranças e eleitores próximos. “É desafiador e ao mesmo tempo motivador, por se tratar de uma experiência nova, mas que se assemelha a todo o trabalho que tenho realizado ao longo do meu mandato como deputado estadual”, completou Nelson avaliando que, ao ocupar uma cadeira na Câmara de Deputados, poderá garantir conquistas reais para o Sul Fluminense.

 

Da série perguntar… – Será que Deley (PTB) gostou da notícia de que terá mais um adversário – Nelson Gonçalves –  nas eleições para a Câmara? É lógico que não, afinal os dois circulam pelos mesmos redutos eleitorais na região, principalmente em Volta Redonda. Ou seja, a pré-candidatura de Nelsinho poderá atrapalhar os sonhos de Deley. Quem viver, verá!

 

Verbas – Por falar no ex-craque da seleção brasileira, Deley dá conta que liberou mais de R$ 3 milhões em verbas para a região. O total será rateado entre seis cidades fluminenses, sendo três da região. Barra Mansa, por exemplo, vai receber R$ 1,7 milhão. Volta Redonda ficou de fora. As outras duas cidades beneficiadas por Deley serão Piraí (R$ 400 mil) e Pinheiral (R$ 416 mil).

 

Armados – Os juízes do Supremo Tribunal Federal estão impossíveis. Agora liberaram o uso de armas para todo mundo que for de uma Guarda Municipal, não importa o tamanho da cidade.  Detalhe: poderão usar as armas até fora do trabalho. Que Ele nos proteja…

PHOTO-2018-07-06-08-38-29

Prestígio – Embora esteja mais preocupado em apoiar a pré-candidatura de seu irmão Munir à Alerj, o ex-prefeito Neto encontra tempo para ir a encontros de amigos que também sonham em se eleger deputado estadual. É o caso do publicitário Peça O’hara. “Recebi, em minha casa em Barra Mansa, algumas lideranças empresariais para falar da minha campanha como pré-candidato a deputado estadual. Tivemos a presença do (ex) prefeito Neto, que veio oficializar o seu apoio a mim como candidato dele em Barra Mansa”, postou Peça. 

Alerta (I) – A prefeitura de Volta Redonda já avisou à Nova Dutra que a partir de 1º de janeiro de 2019 não vai mais permitir o acesso de carretas pesadas que ainda – vindo de São Paulo pela Via Dutra – passam pelo bairro 207 para acessar a cidade do aço. Para o prefeito Samuca, os caminhoneiros têm que passar é pela Rodovia do Contorno. Faz sentido.

 

Alerta (II) – O prazo, aparentemente longo, se justifica. É que Samuca e Rodrigo Drable (prefeito de Barra Mansa) aguardam autorização do Dnit para assumir os trechos da BR-393 que cortam os dois municípios. “Nós estamos buscando a municipalização (dos trechos), mas já avisei à Nova Dutra que a partir de 1° de janeiro do ano que vem nós vamos proibir o acesso das carretas em trânsito. Vamos proibir o trânsito de carretas pesadas, com determinadas toneladas”, disse. 

 

Ambiente – O Colégio Estadual Rondônia está oferecendo um curso gratuito de técnico em Meio Ambiente. As inscrições vão até o dia 25 e podem ser feitas à Rua Dourado, n° 155, bairro São Geraldo, em Volta Redonda. Mais informações em (24) 3343-3611 ou pelo e-mail colegiorondonia
@oi.com.br

 

Gripe A prefeitura de Volta Redonda mantém a Campanha de Vacinação contra Influenza para atingir a meta de imunizar 90% da população alvo, cerca de 60 mil pessoas. E lembra que as doses estão disponíveis em todas as 44 unidades da Atenção Básica, de segunda a sexta, das 8 às 17 horas.

 

PDV – Termina na segunda, 9, o prazo para quem trabalha no Saae-VR e queira aderir ao Plano de Demissão de Voluntária da autarquia. Até o fechamento desta edição, 25 pessoas já tinham pedido as contas. “Isso representará um milhão e quatrocentos mil reais de economia para o Saae de Volta Redonda”, comemorou José Geraldo, o Zeca, presidente do Saae, explicando que as despesas com indenizações e benefícios vão até 2020. Em termos de folha, os nomes dos 25 que aderiram ao PDV já não serão incluídos a partir deste mês. Fica a pergunta: e o PDV da prefeitura, quando será colocado na mesa?

 

Exonerado – Protegido de Deley, o voltarredondense Marcelo Xavier de Castro perdeu o cargo de diretor de produção do Combustível Nuclear da Indústria Nuclear do Brasil, a INB. A exoneração saiu no Diário Oficial da União com data de 29 de junho. O novo diretor é Marcio Adriano Coelho da Silva.

 

UBM – Com grande atraso, a assessoria de imprensa do UBM, em e-mail ao aQui, negou o boato de que o empresário Ruy Muniz, aquele que comprou o Hospital Vita e quebrou a cara, estaria negociando a aquisição do Centro Universitário de Barra Mansa. “Não temos nenhuma informação dessas (sic)”, escreveu.

 

Ataque – A entrevista do ex-prefeito Neto, dizendo que será candidato em 2020 e que pode lançar seu irmão Munir, caso a Justiça o impeça de disputar a eleição, não caiu bem no meio político. Fez o prefeito Samuca ir ao ataque e irritou outras lideranças. O presidente da Câmara, Washington Granato, em entrevista nas rádios, lembrou que Neto estaria de fato inelegível. “Ele teve três contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado e pela Câmara de Volta Redonda”, justificou.

 

Sem candidatura – Por falar em Granato, o vereador anunciou oficialmente o que o meio político já sabia: não será candidato a deputado federal em 2018.

 

Discurso – O desabafo de Samuca sobre os problemas do governo Neto acordou os chamados ‘ervilhas’: os defensores de Samuca na época da campanha eleitoral. Muitos, que estavam na encolha, já reapareceram nas redes sociais.

 

Visita – O prefeito Samuca deve ir a São Paulo na próxima quinta, 12, para se encontrar com o presidente da CSN, Benjamin Steinbruch. Na pauta, três importantes assuntos: Escritório Central, projetos imobiliários da CSN e até a pilha de escória no São Sebastião.

rogerio e romario

Podemos (I) – Quem esteve em Volta Redonda na semana passada foi o senador Romário, pré-candidato do Podemos à sucessão de Pezão. Ele foi recebido pelo presidente do diretório do partido, Rogério Loureiro, que é um dos pré-candidatos da legenda à Alerj. O encontro só não contou com a presença do mais ilustre Podemos da cidade, o prefeito Samuca Silva. Os dois não se bicam há muito tempo e Samuca só está esperando a eleição de outubro para decidir se fica ou se filia a outro partido, como o Solidariedade. Aliás, Samuca só fica se Álvaro Dias for eleito presidente da República.

 

Podemos (II) – Rogério Loureiro, por sua vez, está morrendo de amores pelo baixinho. Mas quem acha que Loureiro e Samuca também não se bicam, pode perder o rumo da partida. Os dois estão trocando passes nos bastidores para, juntos, assumirem o comando do Voltaço.

 

Podemos (III) – No encontro com Romário, Loureiro defendeu mudanças na política fluminense. “O Rio de Janeiro está há muitos anos sendo governado pelos mesmos grupos políticos e agora é hora de dar uma chance ao novo, que é o Romário. Ao mesmo tempo, considero fundamental que haja uma renovação total da Assembleia Legislativa, e por isso estou apresentando meu nome mais uma vez. Acredito que é fundamental votar em quem não tem mandato e poderá oxigenar a Alerj”, pontuou. Romário também falou no encontro sobre as críticas de seus adversários de que não teria experiência para ser governador. Ele lembrou que foi deputado federal por quatro anos e, desde 2015, é senador.

 

Bomba – Antes da final da Copa do Mundo da Rússia, uma bomba deve explodir na cidade do aço. Vai pegar meio mundo de surpresa e os estragos, para quem já a conhece, são incalculáveis.

Os textos e as fotografias veiculadas nas páginas do aQui se encontram protegidos por direitos autorais, sendo vedada sua reprodução total ou parcial para finalidades comerciais, publicitárias ou qualquer outra, sem prévia e expressa autorização de Jornal Aqui Regional. Em hipótese alguma o usuário adquirirá quaisquer direitos sobre os mesmos. E no caso de utilização indevida, o usuário assumirá todas as responsabilidades de caráter civil e/ou criminal.